.

.
.
.
.
.

VAMOS LÁ COM MEIGUICE QUE HÁ MUITOS BRITÂNICOS NA EUROPA


Os cidadãos estrangeiros - mas da União Europeia - com residência no Reino Unido, poderão manter o seu estatuto de residentes ('settled status') mesmo no caso pouco provável de um Brexit sem acordo europeu, segundo uma declaração que o actual governo britânico entregou esta semana ao parlamento

No caso de uma saída sem acordo deixará de haver o "período de transição" e o registo e a solicitação do estatuto de residente terá de ser feito até 31/12/2020 e não até 30/06/2021, como se encontra previsto no acordo

O estatuto de residente permanente ('settled status') será atribuído àqueles com cinco anos consecutivos a viver no Reino Unido, enquanto que os que estão há menos de cinco anos no país terão um título provisório ('pre-settled status') até completarem o tempo necessário.

O processo será feito através da Internet, num portal actualmente em fase experimental e que abrirá a 30 de Março de 2019.
Este registo será obrigatório para todos os cidadãos europeus que não tenham dupla nacionalidade, ainda que tenham outro tipo de documentos de residência.


Cartões de identidade nacionais, como o "cartão de cidadão", só serão aceites pelas autoridades britânicas até ao final de 2020;
A partir de 1 de Janeiro de 2021 só o passaporte nacional será reconhecido

Até esta data, 1 de Janeiro de 2021, os cidadãos da U.E. com estatuto de residentes poderão trazer os seus familiares próximos: cônjuges, filhos, pais e avós; direitos actuais dos cidadãos europeus como a assistência médica, educação, subsídios e habitação social serão mantidos pelo Reino Unido

UM PASSO À FRENTE E DOIS ATRÁS

Quando era miúda de vez em quando acontecia-me ir atrasada para as aulas. Detestava aquilo. Não era bem o atraso, era ter de explicar por que estava atrasada. Lembro-me de algumas vezes fazer a parte final do caminho para a sala de aula dando dois passos para a frente e um para trás. E o raio da campaínha não tocava... E eu reforçava, dava um passo para a frente e dois para trás...

Lembrei-me disto ao ver a conversa sobre a redução das taxas sobre os combustíveis
O Governo anunciou que ia baixar a taxa sobre a gasolina - o gasóleo fica quieto -  em 3 cêntimos por litro a partir de 1 de Janeiro. 30 cêntimos em 10 litros, 1,20 euro em 40 litros que é em média meio depósito. Sempre são, em média, dois cafés... 'Bora lá bater palmas.


Quem bateu palmas bateu, quem não bateu batesse. Acabou o tempo.
Na sexta-feira, dia 4, sai uma portaria no D.R que acaba com a festa.
Aumenta a taxa de carbono e blá blá blá o aumento do preço do petróleo
«O Brent está a negociar em queda esta quarta-feira, 26 de Dezembro, pela quarta sessão consecutiva, tendo quebrado a barreira dos 50 dólares por barril pela primeira vez em um ano e meio.» Jornal de Negócios 26Dez.
Vai daí o aumento previsto é de 2 cêntimos/litro na gasolina e 1,5 cêntimos no gasóleo, que não tinha baixado


Ao contrário de mim, quando chegava atrasada às aulas, que me incomodava ter de dar explicações, esta espécie de governo fá-lo com grande desenvoltura e orgulho expressando na tal portaria que a actualização da taxa de carbono é: "de grande relevância no plano nacional, em linha com o contexto internacional".
Que fixe!

Mas há alguém com dois dedos de testa que leve isto a sério?

OS NÚMEROS DO COSTA

O meu amigo Miguel é tão dedicado ao Costa, a quem carinhosamente apelidou de Bosta, quanto eu, em seu tempo, me dediquei a José, vulgo "o Sócrates". Como disse ontem ao Miguel, é uma questão de serviço público, e de higiene biliar, acrescento.
Confesso que me falta a paciência, e a militância, para actualmente me dedicar ao Costa; quanto o tipo foi fazer de primeiro ministro, pela mão de um Cavaco corroído de inveja e despeito pelo Pedro Passos Coelho, combinação odiosa que o levou a preferir uma espécie de governo não eleito a dar um providencial murro na mesa e a proferir o "Entendam-se ou vamos para novas eleições" que se impunha, escrevi por aqui várias vezes "Não vou levar isto a sério".
Nada disto, do que se vem passando em Portugal, é passível de ser levado a sério. Está uma série de mânfios a reinar e a mentir descaradamente, sustentada por uma malta a quem nunca foi dada legitimidade eleitoral, nem em 75, para ter voz activa.
"A crise acabou" "Acabou a austeridade", proferiu o Costa nos seu primórdios geringôncicos.  Pois, então não? Os impostos que pagamos hoje, directa e indirectamente, são claustrofóbicos, a impunidade uma regra e a mentira um modus operandi.

Voltando umas linhas atrás, faço jus ao Miguel pela sua cruzada contra o "Seja o Costa, vale tudo desde que não seja o Passos Coelho". É assim que se vive, no Vale Tudo, por ódio cego a quem fez, sem rodeios, o que era imprescindível ser feito.

Hoje o Miguel, publicou assim, claro e sucinto; achei que valia a pena re-publicar.
Bom ano a todos, menos ao Costa




BOCADINHOS DE 2018 - 3



TO BREXIT

OR

NOT TO BREXIT,

THAT IS THE QUESTION

_____________________



A MONTANHA

PARIU

UM RATO






HELL - SINKI, 

O SEGREDO




________________________





(LINK PARA A HISTÓRIA)




_____________________________________


UM ENTRE 18


TIROTEIOS

EM  ESCOLAS


NO PAÍS DO "NRA"



_____________________

A AMORALIDADE, A CRUELDADE 
E A IRRESPONSABILIDADE
COMO POLÍTICA DE DISSUASÃO
__________________________________


SALISBURY, GB

OS ALVOS DE PUTIN
E OS 
DANOS COLATERAIS



_____________________________________


.

DE 2018 PARA 2019 - 2

Lembram-se disto? (primeira viagem exterior de Trump Jun. 2017)


E disto? (Out. 2018)

Foi enquanto ocorria (e ocorre) isto

YEMEN -     https://www.google.pt/search

E isto


Pergunta:
Dentro de cada um de nós, em consciência - cristã para muitos - onde traçamos o limite do geo-político, do interesse económico, dos valores humanos e morais?

.

DE 2018 PARA 2019 - 1

Lembram-se disto? (Set. 2018)

Passou a isto
(Dez.2018)



Logo seguido disto













       Consequentemente

"Mattis resigns after clash with Trump over troop withdrawal from Syria and Afghanistan"  (W.P.)

e

"Turkish forces will cross into Kurdish-held Syria" The Guardian (25Dez.)

Pergunta: 
Sobre os ombros de quem recairá o programado genocídio dos curdos, apelidados como "terroristas" por Erdogan?

While ISIS Tied Up with Palmyra, Kurds Advance in Raqqa
Syrian Democratic Forces take up positions in their battle against the Islamic State terrorist group
(Photo: Getty Images)

.