.

.
.
.
.
.

DIGNIDADE

«AMBOS PROCURÁVAMOS NO OUTRO A PARTE DE VERDADE QUE O OUTRO HAVIA DE TER»

«E AMBOS TÍNHAMOS, ACHO, O HUMOR SUFICIENTE PARA NÃO DAR VALOR ABSOLUTO AO QUE TEM SEMPRE UM LADO RELATIVO»

«O QUE EXPLICA A NOSSA IRREDUTÍVEL AMIZADE É UMA PALAVRA CHAMADA RESPEITO; RESPEITO NÃO COMO VENERAÇÃO FORMAL MAS COMO CAPACIDADE DE RENUNCIARMOS A ALGUMA COISA DE NÓS PRÓPRIOS PARA CONSERVAR O ESSENCIAL DO OUTRO E DO QUE O OUTRO SIGNIFICA PARA NÓS»

Paulo Portas sobre Miguel Portas, Cerimónia evocativa, 29/04/2012

video AQUI


.

O SONHO DO DEPENDENTE DO COMPUTADOR

Há coisas que guardamos no computador de casa
Há coisas que guardamos no computador de trabalho
Há aqueles que, como eu, se passeiam com uma "pen drive" para o que der e vier

Também há aqueles que pensam: "Tenho de fazer um backup dos documentos..."; e no dia em que acontece, no dia em que se espraia o malvado virus empestando os acessos ao que queremos, não temos outro remédio senão formatar o bicho. Lá se vai tudo e ficamos chorando sobre leite derramado.

Claro que já todos sabemos que existem vários "armazens de dados" on line mas a verdade é que , por uma razão ou por outra, não são massivamente utilizados. Uns são caros, outros de confiança duvidosa, outros ainda são chatos de utilizar - pouco intuitívos, restritivos, lentos no upload.


Se é verdade que a Microsoft mudou o mundo, não se pode dizer menos da Google.
E...
A Google lançou hoje  mais um serviço que está prestes a ser disponibizado que, estou convencida, irá ter um forte impacto na forma como pensamos, organizamos e acedemos aos nossos documentos,  como os partilhamos e disponibilizamos a terceiros.
Já não precisaremos de viajar com o portátil para ter acesso, e fazer downloads que pretendemos guardar, já não precisaremos de enviar por e-mail ficheiros pesados, bastar-nos ter acesso a um qualquer ponto de internet.

Chama-se Google Drive, foi lançado hoje e está tudo aqui:

UM HOMEM DO 25 DE ABRIL



 SALGUEIRO MAIA
    1944 - 1992





A grandiosidade da nobreza de carácter não se põe em bicos dos pés, não reivindica atenções dúbias, não faz birras de frustração
Um homem nobre faz o que tem a fazer de acordo com as suas convicções, faz aquilo  que acredita ser o correcto e necessário; depois não grita aos quatro ventos o quanto é grande, a história encarrega-se de o fazer, com uma elegância inimitável.







  «Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados corporativos e o estado a que isto chegou! Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos. De maneira que quem quiser, vem comigo para Lisboa e acabamos com isto. Quem é voluntário sai e forma. Quem não quiser vir não é obrigado e fica aqui.»
Salgueiro Maia, madrugada de 25 de Abril, 1974, Escola Prática de Cavalaria, Santarém. 






«A revolução em Portugal», 1974 
(Centro de Documentação 25 de Abril - Universidade de Coimbra)

Para ler a entrevista na integra clicar no link:   Entrevista de Salgueiro Maia


.

25 DE ABRIL, SEMPRE? NÁÁÁÁ, NÃO ME APETECE

A Associação 25 de Abril (A25A), na pessoa de D. Lourençote de Melena e Pá, demarcou-se das comemorações oficiais do aniversário do 25 de Abril por considerar que "as medidas e sacrifícios impostos" aos portugueses "ultrapassaram os limites do suportável".
Não estou a ver o que tem uma coisa com a outra mas isso sou eu, que não tenho o "golpe de vista" de D. Vasco.
E mais acrescenta:
«O povo português e a todas as suas expressões organizadas que se mobilizem e ajam, em unidade patriótica, para salvar Portugal, a liberdade, a democracia».

Isto lembra-me aquela história das bananas, sim, aquela coisa com que se compram as bananas...
Quando, em Abril do ano passado, estávamos à beiríssima da banca rota, de no mês de Maio não haver carcanhol para pagar aos bué funcionários do Estado, D. Lourençote de Melena e Pá não se mostrou tão preocupado com "os Direitos, Liberdades e Garantias" do nosso povo nem desistiu de beber mais um copo em honra dos festejos do 25 de Abril. Será que não se apercebeu da situação do país ou acreditava piamente no camarada Zé Sócrates, y en su perrito de estimacion - El Pacientíssimo Teixeira - quando aquele dizia que não havia derrapagem orçamental e que estava fora de causa pedir um resgate financeiro?
Há outra hipótese... D. Lourençote, quando for grande, quer ser como D. Otelo, El Guerrero del Blanco Caballo del Poder, e já anda a praticar... Pode ser...

D. Lourençote justifica:
«A linha política seguida pelo actual poder político deixou de reflectir o regime democrático herdeiro do 25 de Abril configurado na Constituição».

D. Lourençote... Por mais que te chateie "a linha política seguida pelo actual poder político" é legítima. É exercida por um poder político ELEITO pela maioria do povo português, o que é mais do que se pode dizer de ti e da rapaziada que te acompanha nestas declarações.
Desculpa lá o mau jeito mas é verdade.

Sim, e mais ainda. Dizes tu inflamadíssimo:
«O poder político que actualmente governa Portugal configura um outro ciclo político que está contra o 25 de Abril, os seus ideais e os seus valores».

D. Lourençote... Os ideais e valores do 25 de Abril consagram a democracia e a liberdade de escolha, entre outras. Tem paciência mas se os resultados das eleições não te agradam, se o governo legitimamente eleito vai contra a tua vontade, "os ideais e valores do 25 de Abril" ditam que tu respeites a soberana vontade expressa do povo.
E se é «outro ciclo político» ainda bem, quer dizer que evoluímos, que já não vivemos em fervores pós-revolucionários, que amadurecemos, fizemos escolhas. Ir além não é ir contra, mesmo se as escolhas da maioria não forem conformes às tuas. Quando fores crescido pode ser que venhas a entender isso. Até lá senta-te e espera, pode ser que tenhas sorte para as próximas eleições.

E não, D. Lourençote, não me venhas dizer que o teu problema não é a cor do poder político eleito, que o teu drama são os sacrifícios impostos ao povo. Uma ova!
Enquanto o primeiro-ministro socialista, aquele que era tão bom que ainda estava para nascer um melhor do que ele, escavou os buracos sem fundo onde foram plantados os actuais sacrifícios, tu passate o 25 calado que nem um ratinho e ficaste roendo o teu queijinho.
Lourençote, não me chateies, eu também aguentei o outro, eleito e, espantosamente, reeleito, e tive de o aguentar, a bem da Democracia, em que eu acredito e que defendo, mesmo quando "a linha política seguida pelo poder político" me desagrada e considero que me está a lixar, que está a lixar o país.

"Este 25 de Abril já não está a dar pró nosso lado, vamos fazer outro que nos agrade" não é defesa de Liberdade, nem de Democracia, nem de Direitos; é a defesa de ideais (?) próprios e interesses pessoais.

De ti não aceito lições de Democracia

_____________________________


Não constituísse esta decisão comunicada por D. Lourençote já preocupação bastante, horas depois lá vem mais uma para me branquear a melena (a minha, não a de D. Lourençote de Melena e Pá) : O Mário também não vai comparecer, recusa-se! E agora? Como se hão-de fazer comemorações sem o Mário? Logo o Mário... Que chatice!
E depois veio o Manel... A seguir ao Mário ter dado um desgosto ao país veio o Manel e em cima de pedra, coice, solidarizou-se - não com o Mário, com os militares. O Manel sempre curtiu militares.
Disse o Manel : «Uma celebração do 25 de Abril sem aqueles que o fizeram não tem o mesmo significado» . Sem alguns dos que o fizeram, diria eu, que sou uma chata.
E fizeram para quê? Ora, lá estou eu a ser chata outra vez , a repetir-me, a bater na mesma tecla.
É caso para dizer: " Poderíamos viver sem o D. Lourençote? Poder, poderíamos, mas não era a mesma coisa». Aaah, pois não.


Nota de encomenda - E vós, de esquerda, à esquerda da esquerda, pensai duas vezes e avivai uma podendo para tal exercício debruçar-vos sobre as declarações de um "gonçalvista" convicto, AQUI.


.

CAMPANHA FIXE!

UM CLIC PARA AUMENTAR

UM MOMENTO FELIZ

Um piloto de um helicóptero conseguiu salvar um pequeno veado, empurrando-o para fora de um lago gelado onde estava paralisado e de onde não conseguiria mais sair porque escorregava na superfície vidrada do gelo.

O piloto teve uma ideia genial, engenhosa e aparentemente tão simples como a do Ovo de Colombo.

Se a fina camada de gelo debaixo do corpo do animal tivesse quebrado ele morreria gelado e afogado.

Para empurrar o animal, o piloto utilizou o efeito de sopro produzido pelas pás do seu helicóptero e fez o veado deslizar sobre o gelo até terra firme.

Um momento feliz, e inteligente.

Bem haja!




.

DAR A VOLTA


«Governo é a instituição em que portugueses menos confiam» - 20-04-2012

«O Governo continua a ser a instituição em que os portugueses menos confiam, mas, face ao ano anterior, o índice de confiança subiu de 9 para 29%, revela uma sondagem internacional do “Edelman Trust Barometer” que se realiza há 12 anos e é um dos principais estudos de credibilidade a nível mundial. A análise é apresentada todos os anos na abertura do Forum Económico Mundial, em Davos, na Suíça. »

_____________________


«Clima económico melhorou pela primeira vez em 18 meses» - 19-04-2012

«De acordo com o INE, este indicador inverteu a trajectória de queda que se verificava desde Outubro de 2010.»

_____________________


«Economia dá sinais de recuperação» - 20-04-2012

«Quebra da actividade económica abrandou.
Também o indicador do consumo privado melhorou no mês passado três décimas, interrompendo pela primeira vez a queda de consumo desde 2000. »

_____________________


«Portugal tem cumprido "sem nenhuma escorregadela"» - 20/04/12

«O presidente do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) defendeu hoje que Portugal está a ganhar "competitividade".»

_____________________

«Portugal vende mais do que compra» - 09-04-2012

«Segundo o INE, as exportações aumentaram 10,2% entre Dezembro de 2011 e Fevereiro deste ano. Já as importações caíram 6%.»

_____________________

EU ACREDITO QUE PORTUGAL VAI "DAR A VOLTA"
mesmo que, estranhamente, haja quem fique muito chateado
com essa perspectiva


QUANDO UMA NAVE ESPACIAL VIRA "DINOSSAURO"


O Space Shuttle Discovery subiu pela primeira vez em direcção aos céus a 30 de Agosto de 1984. Acumulou o maior número de dias de voo no espaço, 352, percorreu um total de 241 milhões de quilómetros, transportou o maior número de astronautas para o espaço, 246, colocou em órbita o primeiro telescópio espacial Hubble, em 1990.

O Discovery foi o terceiro dos cinco "Shuttles" filhos da NASA (Columbia - o primeiro da frota, foi lançado a 12 de Abril de 1981 - o Challenger,o Discovery, o Atlantis - o penultimo a ser lançado mas o último a voar, tendo fechado as missões a 21 de Julho de 2011 - e o Endeavour).

Estas naves "vai-vem" transportaram astronautas para/em órbita repetidamente, lançaram, recolheram e repararam satélites, foram pioneiras em pesquisas de vanguarda no espaço e foram as bases de construção da maior estrutura existente no espaço - a Estação Espacial Internacional.

Hoje o Discovery virou peça de museu como um "dinossauro" mais; foi transportado do Kennedy Space Center no dorso de um Boeing 747 transformado, o NASA 905 (o mesmo que havia feito a entrega do Discovery Kennedy Space Center em Novembro de 1983) para o Smithsonian's National Air and Space Museum Steven F. Udvar-Hazy Center em Chantilly, Va.

A despedir-se do Discovery estiveram muitos amigos seus: astronautas, equipes de especialistas e inúmeros colaboradores da NASA que ao longo dos anos deram o seu melhor para manter esta super-resistente e especialíssima nave apta para o impecável cumprimento das suas fantásticas missões.


Muitos viram-na partir de lágrimas nos olhos
Eu, aqui no meu cantinho, emociono-me também.
E pergunto-me: quando uma peça de engenharia tão especial como esta vira bicho de museu o que nos trará o futuro da exploração e construção espacial? Ora aí está algo que pago à vida para ver.





.

A GRANDE FESTA DO PARQUE

O outro, o gajo que se foi pavonear para Paris, dizia que não havia descontrolo do déficit, que era tudo por vontade do executivo.

Esta, a gaja que o olhava com leais ardores seguidistas, nega, repetidamente, ter havido derrapagem no investimento das escolas .
Mais: "A Parque Escolar foi uma grande festa para o País", diz ela.
E foi, uma festa de arromba, no mais directo sentido do termo. Pena é que os convites para a festa fossem tão restritos mas as festas íntimas e exclusivas são assim.

Se bem me lembro, a 21 de Junho de 2011, o Tribunal de contas dizia assim:

«O Tribunal de Contas detectou em 2010 mais de 2.845 milhões de euros em despesa irregular, revela o relatório de actividade e contas da instituição, divulgado na segunda-feira.
O valor representa um aumento de 184% face a 2009.

Os gastos irregulares detectados devem-se a:

«situações muito diversas, das quais se salientam pelo seu valor mais elevado: violação dos princípios e regras orçamentais da anualidade, da unidade e universalidade, da não compensação, da especificação, da unidade de tesouraria do Estado; e registo de receitas extraordinárias sem terem sido reflectidas nas demonstrações financeiras as correspondentes responsabilidades perante terceiros»

Mas não foi só depois do leite derramado que o TC deu conta do problema.
Também nas fiscalizações prévias foram detectadas irregularidades, a tempo de impedir os deslizes. O Tribunal de Contas recusou o visto a 53 actos e contratos, impedindo despesa no valor de 131,1 milhões de euros. Despesa que estava «em desconformidade com as leis em vigor, sem cabimento orçamental ou ultrapassando os limites legais de endividamento».

Obviamente que estes valores detectados não dizem apenas respeito ao ministério da Educação, são gerais, como generalizada foi a festa; o ministério da Educação apenas esteve em conformidade com os festejos das outras "freguesias", que é como quem diz diz dos outros fregueses.
Mas voltando à vaca-fria (expressão idiomática aqui aplicada com toda a propriedade), em Agosto de 2010 o ministério da educação fez saber da sua decisão de fechar 701 escolas do ensino básico e jardins de infância; Conseguiu então algo difícil, a voz uníssona da oposição parlamentar:
«A oposição condenou hoje no Parlamento a decisão do Governo de encerrar escolas do ensino básico com menos de 20 alunos, enquanto o Executivo afirmou que o ensino em Portugal viveu nos últimos anos uma «revolução» - 7/06/ 2010

Presentemente, algures em Lisboa:

«Tribunal de contas concluiu que a administração da Parque Escolar pagou ilegalmente 545 milhões de euros nas obras de modernização em 205 escolas.»
«O juiz conselheiro Mira Crespo concluiu que a empresa pública pagou ilegalmente 545 milhões de euros nas várias obras do programa de modernização das escolas secundárias do país.
No relatório divulgado hoje (23/03/2012), o TC arrasa a gestão da Parque Escolar, e diz que houve derrapagem injustificável dos custos, endividamente excessivo e falta de transparência na contratação de arquitetos. Quando foi apresentado, em 2007, o programa propunha-se investir 940 milhões de euros em 332escolas. Em 2011, tinham sido gastos três mil milhões em apenas 205 escolas.

O próprio TC admite que a execução do programa "está comprometido". Há mais cinco auditorias a obras em cinco escolas que ainda não estão concluidas.» In "Expresso" 24/03/ 2012

.../...
«Despesas e pagamentos ilegais em virtude da adopção sistemática de procedimentos de concurso urgente para aquisição de bens de uso não corrente, em violação dos princípios da concorrência e transparência e incumprimento dos pressupostos de urgência». Esta é a ilegalidade mais grave que o Tribunal de Contas encontrou na auditoria feita à Parque Escolar.

O TC detectou cerca de 500 milhões euros de despesas e pagamentos ilegais, «em virtude da não submissão a visto do Tribunal de Contas» por parte da Parque Escolar em relação a 34 contratos de empreitada e de aquisição de bens e serviços entre 2007 e 2009.

Há ainda quase 900 mil euros de pagamentos e despesas ilegais relacionadas com a adjudicação do aluguer de monoblocos pré-fabricados para a instalação provisória de salas de aulas «por um valor consideravelmente superior ao preço base, na sequência da conversão de procedimento de concurso público internacional em procedimento de negociação».

E quase 28 milhões euros de pagamentos e despesas ilegais «resultantes da adopção de concursos públicos urgentes para o apetrechamento das escolas das fases 1 e 2, em incumprimento dos pressupostos de urgência». A este valor somam-se ainda «despesas e pagamentos ilegais no montante de 12.181.143 euros e de 11.924.438 euros, respectivamente, pela prática de fraccionamento de despesa.

O Tribunal de Contas explica que «o valor global das empreitadas, relativas às fases 0 a 2, aumentou em 53,7 milhões de euros em virtude de contratos adicionais, que resultaram da relaização de trabalhos a mais e de trabalhos de suprimento de erros e omissões, no valor global de 65 milhões de euros e de 23,9 milhões, respectivamente».

«Foram realizados trabalhos a mais em todas as 105 escolas e trabalhos a menos em 89 escolas», lê-se no relatório do TC.».In "Sol" 24 Março 2012
Então e a Lurdicas? A Lurdicas é amigalhaça.
Enquanto se decidia, entre outras maravilhas, o fecho de 7 centenas de escolas primárias, a Lurdicas resolveu fazer uns contratos... Um deles foi a João Pedroso, irmão do ex-dirigente do PS, Paulo Pedroso (rapaz mediático por razões adversas), para consultor jurídico do Ministério da Educação, entre 2005 e 2007.
Esta contratação envolveu um valor global de mais de 300 mil euros através de contratos feitos pelo gabinete da ex-ministra, por ajuste directo, com o objectivo de João Pedroso elaborar trabalhos de investigação para o Ministério da Educação. Investigação, pois, não duvido...

Lurdicas não está só ao ser pronunciada pelo Tribunal de Instrução Criminal pelo crime de prevaricação, acompanham-na também como arguidos o tal João Pedroso, João da Silva Baptista, então secretário-geral do Ministério da Educação e Maria José Matos Morgado, chefe de gabinete da ex-ministra, acusados, em co-autoria, do crime de prevaricação praticado por titular de cargo político, segundo o despacho de acusação da 9ª Secção do DIAP de Lisboa.

Os contratos foram feitos com violação das regras do regime da contratação pública para aquisição de bens e serviços.

Parece que estavam todos convidados para a festa...


.

A PORTUGUESES COM FILHOS NA ESCOLA


A Drª Madalena Homem Cardoso, médica, no exercício do poder paternal para com a sua filha, e educanda, uma menina de 7 anos de idade, aluna do 2º ano do ensino primário, escreveu uma carta ao ministro da Educação, no dia 24 de Março do corrente ano, a qual veio a ser noticiada pelo jornal "Público" a 5 de Abril; Inicia-se nos seguintes termos:

«No exercício do poder paternal, cumpre-me dirigir-me a Vossa Excelência para, com a maior deferência, comunicar ao Ministério da Educação e Ciência, na pessoa do seu máximo responsável, que não posso de forma alguma autorizar que a minha filha e educanda Inês --------, com sete anos de idade, aluna nº-- do 2º ano (Turma -) na EB1-------- , seja ensinada de modo não conforme à ortografia actualmente em vigor (aquela que foi promulgada pelo Decreto-Lei nº35 228/1945 de 8 de Dezembro,e depois ratificada com alterações mínimas pelo Decreto-Lei nº32/1973 de 6 de Fevereiro, sendo que, até à data, nada na ordem jurídica portuguesa veio revogar estes Decretos-Lei

Em particular,no papel de encarregada de educação,não do posso anuir a que a aprendizagem da minha filha seja perturbada pelo auto-denominado "Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa(1990)(que passarei a referir por "AO90", o qual
nâo é "acordo", pois conta com a oposição quase unânime dos especialistas em língua portuguesa e da esmagadora maioria dos falantes-escreventes de Português de Portugal,tendo resultado de uma anti-democrática e anti-patriótica sucessão de atropelos ao bom senso e à Lei, e o qual não é "ortográfico",pois contradiz em si
mesmo a própria noção normativa de "ortografia" ao consagrar facultatividades e excepções como regras .../...

Mais solicito que a observância pela ortografia em vigor se verifique no presente ano lectivo e seguintes .../...»
Segue esta carta, plena de fundamentos específicos e bem sustentados, encontrando-se disponível no seguinte link: http://static.publico.pt/docs/educacao/carta.pdf

O ministério da educação afirma que só recebeu dez cartas a protestar pela aplicação do acordês.
Acredito piamente. Os portugueses protestam, protestam mas não actuam, esperam sempre que alguém faça alguma coisa, que apareça feito.

Pois bem...

Aqui fica a sugestão (o repto...) lançado no "Causes" "Pela Língua Portuguesa contra o "Acordo":
E que tal escrever ao Ministro a dizer que apoia a Dra. Madalena Homem Cardoso?
Basta dizer que "Sou pai/mãe/encarregado de educação e apoio a posição da Dra. Madalena Homem Cardoso!
O mail é: gabinete.ministro@mec.gov.pt
Ou use o portal do governo ( http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-educacao-e-ciencia/contactos.aspx?rc=3729 ).

Pela parte que me toca já não contarão 10 cartas mas 11
E mais? Vá, mais! Vamos mexer-nos, sim?
É SÓ ENVIAR UM E-MAIL!

PS - E quem não tem filhos na escola bem pode alertar quem tem, não é?

.

UM INOCENTE À ESPERA DE LIBERDADE




















ENCONTRA-SE NO HOSPITAL VETERINÁRIO DO RESTELO, EM LISBOA, UM SHARPEI MUITO PARECIDO COM O DA FOTO, COM UMA COR DE PELAGEM INVULGAR, PARA ADOPÇÃO.

VI-O ONTEM, NA SUA JAULA ONDE ESTEVE A RECUPERAR DE UMA CIRURGIA ÀS ORELHAS.
O DR. DIOGO MAGNO, QUE O OPEROU, PERGUNTOU-ME SE SABIA DE ALGUÉM QUE O QUEIRA ADOPTAR

É UM CÃO JOVEM, TEM ENTRE 1 E 2 ANOS, E DÁ DOR NA ALMA VÊ-LO PRESO ALI. ALGUÉM O QUER PARA CASA?

HOSPITAL VETERINÁRIO DO RESTELO

Lisboa - São Francisco Xavier
Rua Gregório Lopes Lote 1513 - Loja E
1400-195 Lisboa

Telefone: 213 032 119
Telemovel: 933 032 120

1º DE ABRIL





EU LICENCIEI-ME A
UM DOMINGO... DE PÁSCOA!

(toma e embrulha que sou melhor cá ti)



.