.

.
.
.
.
.

OH SENHOR ENGENHEIRO...SENHOR ENGENHEIRO...


Hoje em Santarém, a minha cidade favorita deste nosso Portugal, não foi um dia feliz para todos...



foto RFM 31/05/2011




«Sair à rua tem os seus custos. Ouve-se o que se quer, e o que não se quer: “Ó senhor engenheiro, diga-me uma coisa: porque é que a minha reforma por invalidez está congelada há dois anos? E ele vai a fugir! Ele virou-me as costas! Então como é que eu vou votar nele?”, perguntava um homem que acompanhava o percurso da campanha socialista em Santarém.

O engenheiro voltou costas às queixas. Não se pode agradar a todos, concluiu José Sócrates: “Claro está, governar é também desagradar e eu espero que todos os portugueses compreendam que o Governo teve de tomar muitas medidas difíceis ao longo deste último ano e meio, mas fê-lo para defender o seu país”, rematou o líder socialista.

Na micro passeata em Santarém, de 100, 200 metros, a organização da campanha andou sempre zelosa em não fazer chegar críticas ao candidato.»

In RFM - 31 Maio 2011

Há, do ládo direito da página onde se encontra esta notícia um arquivo audio onde se pode ouvir este episódio acima relatado que recomendo. Ao vivo é outra coisa:

«- Oh senhor engenheiro, senhor engenheiro... diga-me uma coisa... oh pá! estão-me a empurrar... então eu quero falar com ele... diga-me uma coisa, por que é que a minha reforma está congelada há dois anos? Por que é que a minha reforma está congelada há dois anos? Por invalidez... E ele vai a fugir...

- Tem de tirar daqui o cigarro!

- Tá bem eu apago o cigarro... Diga-lhe a ele... Então ele virou-me as costas...Então como é que eu vou votar nele?»


.

ESTÁ A SUBIR, ESTÁ A SUBIR!


JÁ ESTAMOS EM 4º LUGAR NO RANKING EUROPEU


A taxa de desemprego em Portugal atinge já os 12,6%

Entre os 21 países que constam da lista da taxa de desemprego elaborada mensalmente pelo Eurostat, Portugal está no quarto lugar. A Espanha lidera, com uma taxa de 20,7%, seguindo-se a Irlanda, com 14,7%, e a Eslováquia, com 13,9%.

No conjunto dos 17 países da Zona Euro, a taxa de desemprego fixou-se nos 9,9% em Abril, valor igual ao registado em Fevereiro e Março, melhorando ligeiramente para o conjunto dos 27 países da União Europeia,de 9,5% (desde Dezembro até Março) para 9,4% em Abril.

Os dados de Abril revelam que a taxa de desemprego é ainda mais alta nas mulheres - 12,9% contra 12,3% nos homens.
Quanto aos jovens com menos de 25 anos, a taxa foi de 27,4% - uma ligeira melhoria face aos 27,8% registados em Março.


ISTO SIM, É CAMPANHA ELEITORAL
VIVA A DEFESA DO ESTADO SOCIAL!

___________________________________

BEST OF SOCRATES - ÚLTIMO EPISÓDIO
("roubado" ao 31 DA ARMADA)





.

A INTERNACIONALIZAÇÃO

E ainda dizem que na vida não há almoços de borla...
Senhor Candidato dê-me música que eu gosto...

"The show mus go on...", canta José

Mas à noite, no escurinho da sua cama, que música soará na imparável cabeça de José?
"I can get no satisfaction"?

Amor, ao Poder, a quanto obrigas...



E para não passar pela cabeça de ninguém que isto foi "só desta vez", ou que sou eu que "ando à pesca", vejam lá AQUI, ou AQUI onde vale a pena atentar na foto

E ainda há 30 e tal % de portugueses que votam neste gajo,
uns porque precisam conservar os almoços,
outros porque comem tudo o que se lhes dá a provar,
outros ainda porque não querem a esquerda mas temem nos seus pesadelos mais enraizados o "papão da direita",
como se ESTE papão não nos tiesse já papado a todos.
G'anda noia!



.

VIVA EU! HÁ MAIS ALGUMA COISA?

Finalmente começo a vislumbrar por que Paulo Portas fez do PSD o seu alvo prioritário nesta campanha eleitoral

Primeiro pensei que tinha acreditado no Zé Sousa, O Sócrates, quando este berrou aos quatro ventos que o responsável pela "Crise" é o Passos Coelho, que "agiu contra o Estado Social e chumbou o PEC IV"

Sim, porque não estou a ver um rapaz como o Paulo a atirar-se contra o PSD como o gato assanhado por mera estratégia eleitoral, mais ou menos irresponsável, deixando os militantes do nosso estrondoso Executivo muito mais folgados e ligeirinhos de culpas, que isto de tempo de antena não dá para tudo...
Mas não, afinal está à vista que não terá sido isso, ou só isso.

Afinal não se trata do que é que Paulo Portas acredita (eu também estava a achar estranho...) mas da sua estratégia eleitoral, coisa naturalmente independente de credos políticos, que é outra:
Paulo assume-se como um homem de esquerda! Não há cá liberalismos para ninguém e, se alguém é Liberal são os social-democratas. Pois claro! Paulo está numa cruzada contra o liberalismo e atirou-se à conquista dos votos da esquerda... Pode? Nesta terra pode-se tudo


Agora falando um pouco mais a sério...

Sinto-me parva quando oiço as arruaças do Paulo tendo como "inimigo público nº1" o PSD. Sinto-me parva, não estúpida. Sinto-me parva porque aquilo sim, aquilo é que é ser esperto.

Ainda não houve eleições, ainda não há partido mais votado e Paulinho já passou o Executivo para a oposição - as suas responsabilidades agora não interessam nada - o alvo a abater é aquele que lhe faz sombra, o resto que se lixe.
E o que é o resto? O resto é tudo. Que tudo se lixe, que se lixe a Justiça Social, desde que se fale nela, a estratégia de conquista está acima das convenções éticas dos comuns mortais.

O que Paulo Portas disse hoje na Feira de Satão (where else?) não tem importância nenhuma face às atoardas que durante estes últimos dias lhe têm saído boca fora, não contra o PS ou o Governo, isso é trabalhinho que já foi feito até à queda do mesmo e já toda a gente sabe; além do mais há muito quem continue a fazê-lo.
O que Paulo Portas disse hoje só merece referência pelo exagero em que um homem sem travões na sua ambição, ainda que inegavelmente inteligente e educado, pode cair quando não tem a noção de que sua a estratégia já o ultrapassou, já raia os caminhos do ridículo


O líder do CDS-PP, Paulo Porta
s, afirmou hoje sentir-se "à esquerda do PSD" em "questões sociais", considerando que o "compromisso" dos democratas-cristãos nesse domínio é "mais forte, mais vincado, mais focado, mais permanente".


“Em geral, o nosso compromisso social é mais forte, mais vincado, é mais focado, mais permanente”, afirmou, considerando que no PSD há um “excesso de liberalismo”.
Negócios on Line - 29 Maio

Aahh, mas ressalvou a tempo, pois que é bem possível que possa estar um gabinetezito em S. Bento à sua espera e não convém cortar as pontes:
«Contudo, isso não é incompatível.“É por isso que são dois partidos diferentes».- Idem

.

MOSTRA, MOSTRA, MOSTRA!

«Afinal há dois textos diferentes do acordo entre Portugal, o Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e o Banco Central Europeu. José Sócrates afirma que os partidos tinham conhecimento da existência de dois documentos, Passos Coelho diz que não»

«O Ministério das Finanças confirmou que existem "ajustamentos pontuais" entre a versão preliminar do texto e a versão final do acordo, apresentado no Ecofin a 17 de maio.

A notícia avançada pela SIC Notícias foi confirmada pelo Ministério das Finanças.

A primeira versão do acordo foi assinada no dia 3 de Maio, às 13h40 minutos, pelo Governo socialista. Relativamente a este texto, o PSD e o CDS enviaram cartas à troika comprometendo-se a aplicar as medidas caso façam parte do novo governo saído das próximas eleições.

No entanto, o texto final do acordo, assinado entre a república portuguesa e a Comissão Europeia na cimeira de 17 de maio, em Bruxelas, é diferente.»

.../...

O primeiro-ministro, José Sócrates, disse que os partidos tinham conhecimento da existência de dois documentos relativos à ajuda externa a Portugal e explicou que na reunião do Ecofin de 17 de maio procedeu-se a uma compatibilização dos mesmos.

Em declarações à SIC, José Sócrates explicou que foram "assinados pelo Governo português e também pelos partidos", PSD e CDS-PP, "dois documentos", um com a Comissão Europeia e outro com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Depois, adiantou, na reunião do Ecofin, de 17 de maio, foi realizada uma "actualização" do documento da Comissão, tendo em vista "compatibilizá-lo" com o do FMI.» In "Visão" - 27 Maio, 2011


A versão de Passos Coelho

«Na sua intervenção, o presidente do PSD referiu que, segundo o executivo do PS, "afinal, havia um documento com o Fundo Monetário Internacional e havia outro com a União Europeia e que se tiveram de juntar os dois, e que, portanto, teve de haver umas adaptações".

Passos Coelho acrescentou que "já não há paciência para as desculpas tão esfarrapadas que este Governo dá".

O presidente do PSD reiterou que "o acordo que foi assinado pelo Governo e publicado no Ministério das Finanças não seja o mesmo que foi comunicado ao país e aos partidos da oposição" e perguntou como é que isso é possível.» in Sic Notícias - 27 Maio, 2011


Ok, se o chefe do Executivo diz que que foram "assinados pelo Governo português e também pelos partidos", PSD e CDS-PP, "dois documentos" a questão é fácil de resolver:

José, porreiro pá, mostra os dois documentos assinados pelos partidos que compareceram às reuniões.

MOSTRA, MOSTRA, MOSTRA!


Há no entanto um pequeno pormenor que me cria um ligeiro sobressalto na mente:

Sendo a "Troica" contituída pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu ,

tendo as reuniões do Executivo, e partidos que aceitaram estar presentes, sido com estas três organizações, simultaneamente,

por que raio « havia um documento com o Fundo Monetário Internacional e outro com a União Europeia foi realizada uma "actualização" do documento da Comissão, tendo em vista "compatibilizá-lo"» ??????????????


.

O ESPAÇO E O TEMPO

Não sei avaliar bem a perspectiva que aqueles que têm hoje 20/25 anos, ou daí para menos, terão do "Programa Mercury", do "Programa Apollo" e de figuras como John Kennedy ou John Glenn mas estou convencida de que para eles são factos e personagens quase tão longínquos quanto a primeira viagem de circum-navegação ou Fernão de Magalhães; Se digo quase é porque são factos e personagens mais difundidos pelos "Odisseia" ou "Discovery Channel" do que Fernão e os barcos, porque ainda hoje a sua "pegada" marca os acontecimentos a jusante da Conquista do Espaço que tão rapidamente se fizeram, e estão fazendo, história nos nossos noticiários, no nosso quotidiano, na nossa Ciência.

Pessoalmente "caí de quatro" quando, contas feitas, me apercebi de que fez esta semana, a 25 de Maio, 50 anos que o então presidente John Kennedy lançou publicamente o desafio de, em menos de 10 anos, ser cumprido o objectivo de colocar um homem na Lua e devolve-lo à Terra são e salvo.
Toda a estrutura tecnológica e científica foi direccionada para o programa espacial.



Agora, passado exactamente meio século sobre esse compromisso, neste mesmo dia 25 de Maio, dois astronautas do "shuttle" Endeavour davam o seu terceiro passeio pelo espaço, o penúltimo desta última missão da Endeavour - que terminará a 30 deste mês e regressará à Terra a 1 de Junho para não mais voar.

O Programa Space Shuttle, já com 30 anos, encerrará a 8 de Julho quanto a Atlantis fizer o seu regresso à Terra

Foi tudo muito rápido, é o que sinto; o fim da "saga Space Shuttle"* é como o acordar de um sonho que gostaria de sonhar mais um bocadinho

Columbia - 1981
Discovery - 1984
Atlantis - 1985
Challenger - 1986
Endeavour - 1992

Da primeira missão em Abril de 1981 à última, em Julho de 2011 - Sthuttle Slide Show


.

G'ANDA IDEIA!



Pensamento do dia:

"Pôr o Sócrates a gerir os 78 mil milhões
é como promover o Bibi a chefe dos escuteiros"




.

QUANDO OS PORTUGUESES QUEREM, FAZEM

UM VÍDEO MOTIVADOR QUE FALA DO QUE JÁ FOMOS CAPAZES

SE QUISERMOS PODEMOS


MUITO MAIS







.

O AUTO-GOLO


Aquele rapaz Paulo Campos, secretário de Estado adjunto das Obras Públicas, lá perdeu mais uma boa oportunidade de estar calado

Decorria o almoço dos PS's na Guarda em plena campanha pelo distrito.
Os ânimos estavam inflamados, já o cabeça de lista, o empenhadíssimo Almeida Santos, tinha gritado a plenos pulmões logo no início do seu discurso: «Aqui estamos nós, para ganhar, para ganhar, para ganhar!»

Veio então o Paulinho das obras e sai-se com esta:


«Nenhum presidente de clube de futebol escolhe para ser treinador quem não tenha experiência e não tenha apresentado resultados»

Dito isto no momento justamente áureo de André Villas-Boas, o treinador "puto maravilha"...
Cá para mim tem toda a pinta de auto-golo, este Paulinho.


.

BEST ACTOR IN A LEADING ROLE


A entoação; as pausas para engolir em seco; as pausas para entrarem as palmas; a voz embargada "Eu lembro-me bem do Seixal..."; A boca contorcida recusando a lágrima teimosa...

Este gajo não tem limites? Não. Este gajo não tem limites.

E o Carlos Silva... que se encheu de coragem e foi tirar o 12ºano... Best Actor in a Supporting Role - Nem Teixeira dos Santos faria melhor.




Haja alguma coisa em que este gajo tenha futuro


.

NÃO COMPLICAR O QUE É SIMPLES

Ontem à noite tocou o telefone:

- "Olá, está tudo bem contigo?"

- "Está tudo bem, respondi, porquê?"

- "Há três dias que não escreves nada no blog... mas não é isso... há que tempos que não acarinhas o Sócrates... "P'rá-í" há oito dias puseste aquela inspirada imagem do Sócrates-agressor mas, estive a ver, desde dia 4 que não lhe dedicas um tempinho mais profundo..."

Ri-me, com vontade.

- "Bem... é que existe vida para além do Sócrates, embora complicada existe."

E blá-blá-blá.

Hoje estava a tomar o meu café matinal quando o té-lé-lé recebeu uma mensagem, e passo a citar:

«Emigraste? Andam os homens em debates e tu nada, nem uma palavra. Estás bem?»

Mau... pensei eu.

Vamos lá a ver se a gente se entende.

Não tenho falado do Sócrates, nem dos debates, nem das múltiplas acusações pessoais e partidárias porque, francamente, não me interessam nada, nem um bocadinho. Do que vou ouvindo e lendo, muito pela rama, não há nada de novo, só mais do mesmo. De vez em quando oiço, ou leio, uma barbaridade que sobressai de entre as barbaridades costumeiras mas a verdade é que não se aprende nada, só mais do que já se sabe.
E se já se sabe quem quiser, ou precisar, que faça a revisão da matéria, eu dispenso, orais e escritas.

Para falar com franqueza custa-me até a entender como é que alguém com dedo e meio de testa se dá ao trabalho de ouvir os debates, só por gozo ou masoquismo, porque para tirar conclusões não dá, já era. Realmente não posso deixar de dar razão à opinião, um quanto desbocada, do Eduardo Catroga.

Quem nesta altura do campeonato quem ainda não percebeu o que está em causa nestas eleições bem pode "agarrar na trouxa e zarpar". Não tem nada a ver com programas, nem com politiquices partidárias, nem sequer com os afectos positivos e negativos de cada um. Nestes aspectos a coisa nunca foi tão simples:

Ou querem levar com o Sócrates durante mais uns tempos ou não querem levar com o Sócrates outra vez, tudo o resto é conversa, tudo o resto é campanha. Curto e duro é assim.

Depois podemos tornear a questão com uns floreados para dar um certo ar de "isso não é assim tão simples", fica sempre bem a quem desejar parecer mais entendido na matéria. Claro que há questões circunstanciais, claro que há formas diferentes de abordar os múltiplos problemas de que somos reféns, claro que há o mais à esquerda ou mais à direita (embora esta classificação seja cada vez mais obtusa e desprovida de significado real) mas tudo isto são questões menores, a escolha não bate aí; quanto às "questões circunstanciais", essas só serão abordáveis após os portugueses votarem, até lá só existem enquanto objectos constitucionais e incógnitas.

Pessoalmente vou votar em alguém que não me convence, vou passar um cheque em branco e ter esperança... Não vou ficar à espera do pior, de que "se espalhem ao comprido". Uma coisa sei que não quero:
Não quero o Sócrates nem mais um bocadinho, nem sequer para ter o gosto de o ver "espalhar-se ao comprido"(sim ainda mais, até o seu marketing enganador mas eficaz não lhe deixar mais saídas); Esse gajo não. E se não quero tenho de fazer por isso, racionalmente, afectos à parte. Tudo o resto são... Como é ó Catroga? Ah pois, isso.

A escolha é simples, a motivação é forte, como chegar lá também não é complicado.



.

COINCIDÊNCIAS E COEXISTÊNCIAS

Faz hoje exactamente 30 anos... Mal posso acreditar. Apercebi-me quando li que já passaram 30 anos sobre o atentado contra o Papa João Paulo II em Roma

Há coisas que nos ficam gravadas na memória nem sabemos bem como ou porquê; o 13 de Maio de 1981 foi um desses dias, lembro pormenores com uma clareza tal que "é impossível" que repouse sobre elas 30 anos de pó da vida.

Esse dia, por razões mais pessoais do que aquelas que não me importo de expor aqui, evoca-me na memória aquela teoria, suponho que demasiado optimista mas ainda assim suficientemente atraente para que pensemos nela com alguma seriedade, dos "seis graus de separação" ("Six degrees of separation").

Talvez estejamos de facto muito mais perto uns dos outros do que supomos, talvez existam de facto entre as pessoas ligações que são estranhas às leis da física tal como as conhecemos. Obedecerão a leis essas ligações, não penso que não, mas não as dominamos, não suspeitamos sequer de como poderão influenciar as nossas vidinhas, de como nos acompanham ao longo do tempo manifestando aqui e ali a sua presença de forma tão subtil que dificilmente damos por elas.

Há pouco, como há 30 anos, num momento tão subtil quanto um pensamento fugaz, por alguns minutos, talvez nem isso, a separação entre "realidades" desfez-se como se um breve raio de luz tivesse galgado as nuvens espessas do espaço-tempo para brilhar só um instante e todos os "graus de separação" se fundiram num niilismo intangível. Este momento só existe para mim, em mim, só eu é que o Sei. E Sei.
Felizmente não estava demasiado ocupada, ou atenta, ou desatenta, o ensonada, ou vigilante. Estava apenas, o que é raro. E, ao conseguir parar um pensamento, que nem sei se era meu, se apenas me atravessava a mente, surpreendi aquele pequeno raio de luz fora do seu mundo atravessando o meu. Olhei o relógio de parede... 30 anos... exactamente. Outra vez.


Agora apetecia-me recostar-me no meu sofá envolvente, encolhendo as pernas e afundando as costas, pegar num livro escrito por um Mestre muito sábio que tivesse por título: "O Sentido de Humor das Coincidências" mas não sei se já foi escrito.

Se algum dia eu for um Mestre sábio vou escrevê-lo.


.

APELO À PORRADA PORQUE A JUSTIÇA NÃO CHEGOU LÁ


MAS O QUE É ISTO?


Não vou publicar aqui a notícia na sua totalidade, não sou sequer capaz de a ler em voz alta
Estou estupefacta


«Psiquiatra absolvido de violação de paciente grávida»
In "SOL" - 12 de Maio, 2011- Andreia Félix Coelho
O Tribunal da Relação do Porto considerou que o psiquiatra João Villas Boas não cometeu o crime de violação contra uma paciente sua, grávida de 34 semanas, pois os actos não foram suficientemente violentos, apesar de este forçar a vítima a ter sexo com base em empurrões e puxões de cabelo.

O tribunal deu como provado os factos, que têm início com a vítima a começar a chorar na consulta e com o médico a pedir para esta se deitar na marquesa. (.../...)
Continua... AQUI

O ACÓRDÃO COMPLETO DO TRIBUNAL DA RELAÇÃO DO PORTO ENCONTRA-SE AQUI

Do qual extraí apenas o seguinte:

No acórdão recorrido o tribunal colectivo considerou provado que os factos decorreram em três momentos distintos, ou seja:

1 – “… a ofendida começou a chorar, tendo-lhe o arguido dito para se deitar na marquesa (ou divã) – ao que esta acedeu; o arguido começou então a massajar-lhe o tórax e os seios e a roçar partes do seu corpo no corpo da ofendida”;

2 – “Esta levantou-se do dito divã e sentou-se no sofá; o arguido foi então escrever uma receita; quando voltou com ela, aproximou-se da ofendida, exibiu-lhe o seu pénis erecto e meteu-lho na boca, para tanto agarrando-lhe os cabelos e puxando-lhe para trás a cabeça, enquanto lhe dizia “estou muito excitado” e “vamos, querida, vamos”;

3 – “A ofendida reagiu, levantou-se e tentou dirigir-se para a porta de saída; no entanto o arguido … agarrou-a, virou-a de costas, empurrou-a na direcção do sofá fazendo-a debruçar-se sobre o mesmo, baixou-lhe as calças (de grávida) e introduziu o pénis erecto na vagina, até ejacular”.


Segue um extenso relato e descrição do ocorrido, as justificações do Tribunal e a conversa costumeira que não tira nem acrescenta

A saber, os juízes foram:
  • Eduarda Maria de Pinto e Lobo
  • José Manuel da Silva Castela Rio
  • José Manuel Baião Papão (vencido conforme declaração de voto que junto)
Deste último, José Manuel Baião Papão, a voz discordante, pode ler-se, no final do Acórdão a sua declaração de voto da qual não sou sequer capaz de extrair qualquer texto; este merece de facto ser lido na integra. (link acima)


Deixo duas perguntas, uma que gostaria de fazer aos juízes Eduarda Lobo e José Rio:

Se, um destes dias, a Senhora assistente neste processo perdesse a cabeça e desse um tiro certeiro neste psiquiatra tarado, presumo que os senhores juízes a condenariam; estou certa?

A outra pergunta deixo-a a quem saiba a morada, de residência ou profissional, deste tarado:

Não há por aí alguém que se disponha a pregar um valentíssimo enxerto de porrada neste gajo?


Haja Deus!


.

LINGUAGENS

Bem... não é que o homem não tenha carradas de razão


Isto das entrevistas depois da meia-noite é o que dá...



Claramente sem comentários


Eduardo anda inspirado, ontem, numa entrevista ao "Público", disse assim:

“O Hitler tinha o povo atrás de si até à derrocada, até à fase final da guerra. Faz parte das características dos demagogos conseguirem arrastar multidões. José Sócrates, honra lhe seja feita, é um grande actor, um mentiroso compulsivo, que vive num mundo virtual em que só ele tem razão”.

Com esta o Batatinha chateou-se.
O fidelíssimo Francisco Assis veio a público exigir. Quer que o PSD peça desculpa. Quer não, exige. E por quê?
Diz o Batatinha:

“Uma comparação do primeiro-ministro à sinistra figura do Hitler é uma coisa que, em qualquer país da Europa, teria consequências para quem fez uma afirmação dessa natureza”

Ó Batatinha tem juízo, " em qualquer país da Europa" o teu líder já não era primeiro-ministro há que tempos


A parte mais gira é que Catroga só falou de Hitler, a propósito de Sócrates, no que concerne à sua capacidade de arrastar multidões - enquanto bons demagogos, um e outro.
Na parte que toca ao "grande actor, um mentiroso compulsivo, que vive num mundo virtual em que só ele tem razão", parece que o Batatinha não se chateou, ou pelo menos não reagiu.
Tem a sua graça...


.

A DÚVIDA...

Encontrei-me com um vídeo que contém várias abordagens, para início de discurso, de José em noites eleitorais e foi então que tomei consciência do que me vem corroendo de curiosidade e de algum nervosismo. É a dúvida. Aquela dúvida que só poderei ver saciada lá pela hora de jantar do próximo dia 5 de Junho (eu janto tarde...)

Sei que não adianta roer as unhas mas bem que eu gostava de saber se, na noite de 5 de Junho, José quererá dirigir-se logo às pessoas ou se primeiro se dirigirá aos senhores jornalistas, é essa a minha dúvida.
Julgarão que estou a brincar mas estou a falar muito a sério, é que fará toda a diferença.
Oxalá apareça cheínho de salamaleques para com os senhores jornalistas, se ele quiser falar às pessoas estamos todos lixados...





.

MAS NÃO PELA SUA APARÊNCIA?

O mundo inteiro viu a foto tirada no "Situation Room" de Barack Obama durante o ataque das forças especiais norte-americanas à casa onde se escondia Bin Laden; "Os 40 minutos mais longos da minha vida", disse Obama.
O mundo inteiro viu a foto e quem nela estava fotografado.
Por entre os presentes encontravam-se duas mulheres: Hilary Clinton, enquanto Secretária de Estado da Defesa, e Audrey Tomason, Directora do Contra-Terrorismo, sendo esta última uma das figuras chave da operação uma vez que, com o "National Security Council" (NSC), a Agência da Casa Branca que trabalhou de perto com os serviços secretos que conduziram a Bin Laden.



Até aqui nada de novo.
Porém há quem não goste de ver mulheres envolvidas nestas coisas; ou de ver mulheres de um modo geral, vá-se lá saber...

Há um jornal, o Der Tzitung - um orgão Nova-iorquino judeu Yddish - que não publica fotos de mulheres. Provavelmente há vários, fundamentalistas judeus, muçulmanos e islâmicos. Não estou a falar de mulheres nuas ou que para lá caminham, estou a falar de mulheres e ponto. Seja o qual for a notícia ou a mulher, se é mulher não pode aparecer numa foto do jornal. Pronto é lá com eles, evocam razões de ordem religiosa e não há nada a fazer, para eles são razões

Até aqui há que encolher os ombros, aceitar, ou não, protestar, ou não, e adiante.
Porém, uma coisa é não publicar fotos de mulheres: dá-se a notícia e não se ilustra com fotos em que estejam representados esses seres humanos; outra coisa, a meu ver bastante diferente e não justificável com credos religiosos, é pura e simplesmente manipular as fotos que se pretende publicar e apagar as mulheres que constem na dita. Ou seja, alterar o facto fotografado que deixa, ainda que parcialmente, de ser um facto para passar a ser um "quase-facto" - coisa que não existe - ou mesmo que deixará de ser coisa alguma, dependendo das circunstâncias e conteúdo.

Vamos supor que chega à imprensa uma foto do grupo de "Todos os laureados com um prémio Nobel no ano de XXXX"; vamos supor que deste grupo fazem parte 3 mulheres.
Esta foto, publicada pelo desenvencilhado Der Tzitung, teria 3 prémios Nobel a menos e, mais giro, demonstraria que as mulheres não ganham prémios Nobel.
Isto é notável... Culturalmente notável. Espero que esta rapaziada do Der Tzitung não se esqueça de fazer um bom arquivo fotográfico para poder mostrar aos vindouros como foi a história da humanidade. Gajas ao fogão, JÁ!

E vem este meu blá-blá-blá a propósito de quê?

DISTO:


Os motivos religiosos de cada um são seus. Ok.
Se olharmos para o Estado de Israel dificilmente poderemos esquecer Golda Meir, uma das fundadoras do Estado,o que ela fez e o que enfrentou.
Hoje alguns dos "homens" mais activos e perigosos do exército israelita e da Mossad são mulheres, pedras de toque da defesa do povo judeu.

Que raio deu nestes "jornalistas"?

Vieram a público "pedir desculpa" pelo ocorrido. Pedir desculpa?

Disseram eles:

"The readership of the Tzitung believe that women should be appreciated for who they are and what they do, not for what they look like, and the Jewish laws of modesty are an expression of respect for women, not the opposite"

"A redacção do the Tzitung crê que as mulheres devem ser apreciadas por serem quem são e por o que fazem, não pela sua aparência e as leis judaicas relativas à modéstia são a expressão do respeito pelas mulheres, não o oposto"

NÃO PELA SUA APARÊNCIA?

Por acaso o facto de Hilary Clinton ser Secretária de Estado da Defesa e de viajar pelo mundo inteiro em funções intima e directamente ligadas ao governo dos EUA teve algum peso na decisão da redacção?
Por acaso o facto de Audrey Tomason, detentora das funções já acima referidas, ter sido fotografada entre Tony Blinken, conselheiro de Segurança Nacional do Vice-Presidente dos EUA e John Brennan, conselheiro de Contra-Terrorismo, pesou na decisão da redacção?
Nada disto pesou, o que pesou foi a sua aparência: são mulheres. Corta.

Gostava de saber se estes tipos deram a notícia da entrega do Nobel da Paz a Madre Teresa. Estaria Gustavo da Suécia sozinho na foto estendendo a mão a um "ser invisível"?

Disgusting.


.

ESTE GAJO...






.

O QUE OS PORTUGUESES PRECISAM LEMBRAR...

Circula pela net um vídeo que voa sobre alguns feitos dos portugueses. Teoricamente terá sido feito para os finlandeses, para que este saibam que não somos exactamente uma "tribo latina" semi-selvagem que povoa a costa mais ocidental da Europa.

Foi apresentado nas "Conferencias do Estoril 2011" e recebido com agrado de portugueses e estrangeiros.

Deixo aqui duas versões:
O vídeo " Portugalnomics: Ep. 1 - What the Finns need to know about Portugal." na sua versão original e completa;
e a versão mais curta que inclui a sua breve apresentação, algumas reacções dos presentes enquanto estava a decorrer e a reacção final.







Provavelmente os finlandeses não sabem o que neste vídeo é dado a saber

E os portugueses, sabem? Talvez... mas parece-me que estão muito esquecidos ou que simplesmente "não querem saber".

Portugal pode "lá" chegar, se tiver a coragem de sair da inércia em que tem vivido como "vítima de maus tratos que não apresenta queixa contra os seus agressores"


.

CAÇA ÀS BRUXAS

Poderá não ser credível que uma real "caça ás bruxas" possa ocorrer no Séc.XXI; uma das verdadeiras, não em sentido figurado.
Mais, não ocorre no seio de uma qualquer tribo da África profunda nem numa longínqua aldeia do Brasil, nada disso, ocorre por ordem do líder supremo do Irão, um país com representação na ONU, país detentor de tecnologia nuclear avançada - obviamente demasiado avançada para as cabecinhas retorcidas que se podem prontificar a utiliza-la.
Poderá não ser credível mas é verdade e passa-se no nosso estranho mundo.
A coisa complica-se se considerarmos que os acusados de feitiçarias são mentalmente tão retorcidos quanto os acusadores.

Em que raio de século vive esta gente?



«Aliados de Ahmadinejad acusados de feitiçaria por Khamenei
»

«Durante esta semana, pelo menos 25 pessoas próximas do presidente iraniano e do seu chefe de gabinete foram presas sob a acusação de possuírem poderes sobrenaturais e de os utilizarem para colocar em prática as suas políticas.

De acordo com o britânico The Guardian, estes acontecimentos vêm azedar, as já de si, tensas relações entre o presidente Mahmoud Ahmadinejad, e o líder supremo do país, o aiatola Ali Khamenei.

Os apoiantes de Khomeini, os clérigos mais conservadores, acreditam que a confrontação entre as duas esferas do poder é incendiada pela grande influência que o chefe de gabinete, Esfandiar Rahim Mashaei, tem sobre Ahmadinejad.

Mashaei, que muitos consideram que poderá vir a suceder ao líder iraniano, é descrito como um conservador moderado, com ideias liberais e que defende uma maior divisão entre política e religião.

Alguns actos de desobediência do presidente face às altas esferas clericais têm sido alvo de duras críticas por parte dos conservadores, que ameaçam que este poderá vir a ter a mesma sorte de Abdulhassan Banisadr - o primeiro presidente iraniano saído da revolução -, que foi impugnado e exilado por ter tentado fazer frente ao poder secular.

Esta disputa sofreu uma reviravolta 'metafísica' quando num documentário recentemente divulgado se defende a tese de que o Íman Mahdi - Messias que destruirá todos os infiéis e estabelecerá o reinado mundial de Alá – regressará brevemente.

Os clérigos conservadores, que dizem que o regresso de Mahdi não pode ser previsto, acusam esta corrente próxima do presidente, na qual se inclui Mashaei, de ser responsável pelo filme.

A obsessão de Ahmadinejad com o Íman Escondido é bem conhecida, já que o presidente do Irão se refere a ele frequentemente nos seus discursos e assumiu estar a preparar o caminho para a sua chegada.» In "Sol" - 6/05/11






O PLÁGIO

SÓCRATES E TEIXEIRA ACUSADOS DE PLÁGIO




SÓCRATES DEFENDE-SE DIZENDO
QUE A ACUSAÇÃO É ABSOLUTAMENTE FALSA E INJUSTA POIS NÃO SÓ NÃO PRECISOU DE PIANO PARA NOS "DAR MÚSICA" COMO TEIXEIRA NEM SEQUER DISSE "BOA NOITE"











QUANDO INTERROGADO SOBRE O ASSUNTO TEIXEIRA DOS SANTOS NÃO PROCUROU DEFENDER-SE COMENTANDO APENAS:
"NÃO TENHO NADA A DIZER NEM SEQUER TROUXE O GUIÃO"






.

SENTIDO DE HUMOR

Não é preciso conhecer-me muito bem, meia dúzia de visitas ao Real Gana chegam e sobram para qualquer distraído se aperceber da importância que dou ao sentido de humor; é algo fundamental, para mim é quase tão imprescindível como respirar - sim, está bem, não tanto mas anda lá perto. Se respirar é imprescindível para viver, o sentido de humor é-me imprescindível para sobreviver, nos bons e maus momentos, em quase todos.


E além de ser uma "viciada" em sentido de humor, a forma mais inteligente e divertida que o humor pode assumir é, na minha pérfida preferência, sem dúvida a ironia.

Vem isto a propósito do novo cartaz da CDU que vi hoje quando vinha para casa.
Aquilo sim, é sentido de humor...
Ó pra ele aí:

BASTA DE ROUBO (então...) FMI fora de Portugal?
Não está o máximo? Não vos parece de uma ironia inabalável?

OU... SERÁ QUE NÃO ERA PARA TER GRAÇA?
(huuuppsssss! Não me digam que percebi mal..)

_______________________________

Ainda falando de sentido de humor, vi outra que é também rotundamente irónica e, confesso, surpreendeu-me:
até hoje nunca tinha ouvido o Francisco Assis dizer uma palhaçada com graça mas desta vez o "Batatinha" esmerou-se.
Olhem só...



.

O DISCURSO DE JOSÉ - A CONVERSA...

LEIAM SEMPRE AS letras pequeninas...


José deixou o povo muito mais descansado.
Isto afinal não vai se assim tão mau quanto estávamos à espera...
Há subsídio de férias; há subsídio de natal, para todos, mesmo everybody, reformados inclusive.
Só cortam nas reformas acima de 1500 euros e não acima de 600 como "alguém", um jornal disse José, andou por aí a espalhar. Uns malandros que assustaram as pessoas que agora, sim agora, respiram de alívio. Mais, até se aumentarão as mínimas.
E nenhum despedimento na Função Pública, nem sequer cortes salariais, nem privatização da CGD, nada dessas maluqueiras.
E não serão necessárias mais medidas orçamentais para 2011. Disse e repetiu. He pá, bestial! Para 2011 já está!
Depois... bem, depois logo se vê, isso agora não interessa nada


Prontus, isto é exigente mas prontus... Isto até é assim a modos que um PEC IV; «é certo que, nalguns casos, com um maior aprofundamento, é certo que, nalguns casos, com maior detalhe, e é certo também que algumas medidas são novas e ainda que haverá uma serie de procedimentos de análise e de monitorização que são habituais neste tipo de programas»As medidas para o mercado de trabalho também são mais ou menos as mesmas já negociadas, «com desenvolvimentos, é certo»É certo... É certinho, como o Sol...
Desta vez José não disse que o Orçamento está a correr bem, para não dizer muito bem, mas disse que «o governo conseguiu um bom acordo», para 3 anos... Ora, só 3 anos e estamos safos?

Afinal o FMI não era assim tão mau, parece mesmo que até é bom.
Afinal só é preciso disciplina e trabalho, de impostos a subir, comparticipações a descer, deduções a desaparecer, nem uma palavrinha; é só fartura.
Aquela parte de que é uma «indignidade para Portugal» ficou na gaveta
E a parte do discurso em que José afirma que não está disponível para governar com o FMI? Escapou-me completamente... Falta de atenção minha, só pode ser...

Ok, só nos falta ler o que está escrito nas letrinhas pequeninas e o que é o maior aprofundamento, o maior detalhe, e as algumas medidas novas, sem esquecer os desenvolvimentos das medidas laborais, é certo... De resto estamos todos muito mais aliviadinhos com este bom acordo que o governo conseguiu.

__________________________

Ouvi dizer, não sei, que até Kadhafi telefonou a José mal este tinha acabado o discurso



.

O DISCURSO DE JOSÉ - A PREPARAÇÃO



________________


________________



________________



________________




________________


________________


________________




.

MENOS UM mas continua o baile



Não festejo a morte de ninguém
mas este, entre outros, não faz cá falta nenhuma.
Por mim podem continuar na mesma linha,
tem várias vantagens:
por um lado melhora a qualidade do ar no mundo.
por outro posso manter a minha inocência na irresponsabilidade destas mortes.
E ainda querem que me queixe do policiamento que os E.U.A. fazem?
Não meus amigos, os americanos dão muito jeito bem pesadas as coisas.





.

A ÁRVORE DAS PATACAS QUE PAGUE A CRISE

Depois da II Guerra Mundial o Japão estava desfeito.

O Japão integra o grupo G8 - os sete países mais industrializados e desenvolvidos economicamente do mundo, mais a Rússia - tendo feito parte da sua constituição original em 1975
Ou seja, durante os meros 30 anos que decorreram entre o final da Guerra em 45 e a constituição do futuro G8 em 75 o Japão transformou-se numa super-potência industrial e económica.

Como foi isto possível? Como se tornou aquele estreito arco e as suas ilhas que correspondem pouco mais ou menos a duas vezes os Estado de S. Paulo no Brasil, no país que "dá cartas e pede meças" que é actualmente o Japão?

Trabalharam que nem uns loucos. Os japoneses são "workoolics".

A mim até me assusta, eu que penso que o trabalho deve servir a vida e não o inverso.
Mas eu não sou japonesa nem por lá passaram os meus ancestrais, poderia jurar...

A questão é a seguinte: quando há fogo é preciso correr e depressa, há que encher baldes, agarrar em mangueiras e apaga-lo antes que nos devore, a nós e ao que nos rodeia, futuro incluído.

Em mais de 30 anos, mais do que os mediaram entre o fim da II Guerra e a acção do Japão como super-potência, aqui pelo nosso rectângulo temos andado de incêndio em incêndio com uma grande calma, com um lusitano espírito de "logo se vê, isso resolve-se".
Por mim já me confessei, longe de ter os olhos em bico sou muito lusitana em muita coisa...

Porém...

Isto da quinta-feira santa última, véspera de feriado como todas, ter tido uma tolerância de ponto fez-me confusão; andamos de mão estendida a ver se arranjamos safa para o buraco económico em que estamos metidos mas lá passar sem uma tolerância de ponto antes de quatro dias "prá sossega"... isso é que era bom... No Estado prescinde-se de uma tarde de trabalho que, como qualquer bom português sabe, se traduz numa manhã de conversa e cafezinho mais duas folhas A4 em cima da secretária e vamos embora que já se faz tarde.


Seguiu-se o 1º de Maio...
E aqui del-rei (passo a expressão) que o pessoal do Pindo Doce vai trabalhar no 1º de Maio
O pessoal do Continente também mas com a Sonae, vá-se lá saber porquê, houve menos barulho.

Os sindicatos insurgiram-se porque "os trabalhadores do Pingo Doce não podiam gozar o Dia do Trabalhador". Estiveram carros de som à porta de vários destes super-mercados (estiveram sim, um vi eu) com um blá-blá-blá como se lá dentro os trabalhadores estivessem forçados e impedidos de sair.
E lá dentro? Bem, não sei o que se passou em todos os "Pingo Doce" mas sei o que se passou dentro de um deles. Já bem para o fim da tarde, a rondar já a hora de fecho o super-mercado estava cheio, filas enormes nas caixas e, curiosamente, os funcionários estavam bem dispostos e a trabalhar normalmente, sem "trombas" nem cara de quem estava ali porque não queria "sofrer represálias" laborais.

Alguma coisa não bate certo, não me venham com histórias de bons escuteiros que querem ajudar a velhinha a atravessar mesmo que a velhinha queira permanecer no passeio onde se encontra.

«Num comunicado da empresa para ser distribuído aos clientes, a que a Lusa teve acesso através do Sindicato do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), o Pingo Doce refere que “trabalhar no dia 01 de Maio de 2011 representará, para todos os colaboradores que entendam apresentar-se ao serviço, uma remuneração de mais de 200 por cento, que acrescem à remuneração de um dia normal de trabalho e a concessão extraordinária de um dia de folga”.

Garantindo que os colaboradores que decidam exercer livremente o seu direito à greve não terão "nenhuma outra penalização", o Pingo Doce considera que, "no Portugal de hoje, o direito à greve não se deve sobrepor ao direito ao trabalho".»
In "Negócios On Line", 30 Abril 2011
Se o feriado fosse outro, que não o 1º de Maio, tenho sérias dúvidas de que os dirigentes sindicais sentissem tanta urgência em defender tão espalhafatosamente os direitos dos trabalhadores ao merecido descanso; a questão é política, claro.
Os trabalhadores são uma bandeira mas se estiverem interessados em triplicar o valor de um dos seus dias de trabalho (1 dia de salário normal + 200%) e a isso juntarem mais um dia de folga, o raio-que-os-parta;
Se resolveram ir trabalhar é porque das duas uma:ou se deixam "oprimir" ou são "traidores da classe".
Mais do que política este charivári é hipócrita: é a resposta exacerbada da defesa do "sacro-santo" reduto de uma posição revolucionária, que, por acaso, até nasceu de uma rebelião de mulheres americanas, o país da opressão capitalista.

A verdade é que a "Jerónimo Martins", tutelar do "Pingo Doce" apresentou em Fevereiro último, em plena "crise" resultados de crescimento em 2010 de 40,3% face ao ano de 2009.
40% é obra em qualquer altura, tanto mais nesta altura do campeonato.

18 de Fevereiro de 2011 — Comunicado de Imprensa - resultados 2010

Para Jerónimo Martins, 2010 foi um ano de resultados sólidos e de clara superação, com as vendas a aumentarem 18,8%, o EBITDA consolidado a crescer acima das vendas (23,6%) e o resultado líquido a atingir um novo máximo, cifrando‐se nos 281,0 milhões de euros, o que equivale a um crescimento de 40,3% face a 2009.
.../...
Mantendo uma política de preços competitivos e estáveis, o Pingo Doce continuou a investir nos vectores de diferenciação ‐ perecíveis, marca própria e take away ‐ e reforçou o investimento publicitário para níveis em linha com a média do sector, alcançando, em 2010, a liderança em recordação total declarada.
O trabalho realizado ao nível da proposta comercial e da sua notoriedade consolidou a liderança do Pingo Doce, com impacto no crescimento LFL das vendas, que atingiu, no ano, 8,4% nos supermercados e 7,2% na rede total das lojas e registou vendas no valor de 2,749,3 milhões de euros.
Se os senhores sindicalistas se enxofrarem com estes resultados talvez seja melhor lembrarem-se no irreal número de empresas que fecharam portas durante 2010, dos despedimentos que ocorreram e continuam a ocorrer e da distribuição de parcelas de lucro pelos seus trabalhadores que a Jerónimo Martins fez no final do ano.

Não pretendo minimamente tomar partido pela "Jerónimo Martins" e muito menos pela "Sonae" (com o Tio Belmiro não vou à bola nem para ver o meu Sporting ganhar), para o melhor e para o pior não possuo cota em nenhum dos grupos, mas este espírito revolucionário meio histérico é ridículo e não vem a propósito num país que precisa de trabalhar(-se), produzir(-se) e dinamizar(-se) para que o pão chegue às inúmeras e crescentes bocas onde já falta.

Tudo bem, no dia 6, uma sexta-feira como convém, já nos podemos consolar com uma "forma de luta": A greve nacional convocada Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública.
Não, não contesto o Direito à Greve, contesto sim uma greve estéril a um preço que não podemos pagar.
Ok malta, vocês lá sabem o que resolvem com isso.Lutem lá pelo que quiserem que o sector privado cá estará a trabalhar para sustentar as leviandades deste país.


.

DIA DA MÃE


A experiência humana mais próxima da Natureza, mais intrincada com o Universo, mais Intima com a Vida é, sem dúvida, a Maternidade


E, obviamente, não apenas a humana...














.