.

.
.
.
.
.



«Juízes perderam a confiança» no Conselho Superior da Magistratura
A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) declarou hoje que «repudia» a suspensão da classificação do magistrado Rui Teixeira e que «os juízes perderam a confiança» no Conselho Superior da Magistratura (CSM)»

«A ASJP, presidida pelo desembargador António Martins, refere que, «por iniciativa de três vogais eleitos pela Assembleia da República e indicados pelo PS, o Plenário do CSM avocou a classificação de serviço do juiz Rui Teixeira e deliberou, com nove votos a favor, dois votos contra e uma abstenção, suspender a decisão sobre essa classificação enquanto estiver pendente o pedido de indemnização formulado pelo ex-ministro [socialista] Paulo Pedroso contra o Estado Português», relacionado com a sua prisão preventiva no caso Casa Pia, em que não chegou a ir a julgamento.

Segundo a ASJP, trata-se de uma situação «inédita e surpreendente», em que o órgão de administração e gestão dos juízes «condiciona» a avaliação do juiz à pronúncia de um tribunal superior quanto ao mérito das decisões proferidas num processo judicial concreto, em «violação dos princípios constitucionais da separação de poderes e da independência do juiz».

Lusa/Sol

Vale a pena,

digo bem, a pena,

ler a notícia completa:

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade

«ultrapassados os limites do tolerável e da decência»



Declaração do
Presidente da República

Palácio de Belém, 29 de Setembro de 2009
http://www.presidencia.pt/?idc=22&idi=31744


1 - Durante a campanha eleitoral foram produzidas dezenas de declarações e notícias sobre escutas, ligando-as ao nome do Presidente da República e, no entanto, não existe em nenhuma declaração ou escrito do Presidente qualquer referência a escutas ou a algo com significado semelhante.

Desafio qualquer um a verificar o que acabo de dizer.

2- Durante o mês de Agosto, .../... fui surpreendido com declarações de destacadas personalidades do partido do Governo exigindo ao Presidente da República que interrompesse as férias e viesse falar sobre a participação de membros da sua casa civil na elaboração do programa do PSD (o que, de acordo com a informação que me foi prestada, era mentira).

E não tenho conhecimento de que no tempo dos presidentes que me antecederam no cargo, os membros das respectivas casas civis tenham sido limitados na sua liberdade cívica, incluindo contactos com os partidos a que pertenciam.

3- .../...
Pretendia-se, quanto a mim, alcançar dois objectivos com aquelas declarações:

Primeiro: Puxar o Presidente para a luta político-partidária, encostando-o ao PSD, apesar de todos saberem que eu, pela minha maneira de ser, sou particularmente rigoroso na isenção em relação a todas as forças partidárias.

Segundo: Desviar as atenções do debate eleitoral das questões que realmente preocupavam os cidadãos
.

Foi esta a minha leitura e, nesse sentido, produzi uma declaração durante uma visita à aldeia de Querença, no concelho de Loulé, no dia 28 de Agosto.


4- Muito do que depois foi dito ou escrito envolvendo o meu nome interpretei-o como visando consolidar aqueles dois objectivos.

Incluindo as interrogações que qualquer cidadão pode fazer sobre como é que aqueles políticos sabiam dos passos dados por membros da Casa Civil da Presidência da República.


Incluindo mesmo as interrogações atribuídas a um membro da minha Casa Civil, de que não tive conhecimento prévio e que tenho algumas dúvidas quanto aos termos exactos em que possam ter sido produzidas.


Mas onde está o crime de alguém, a título pessoal, se interrogar sobre a razão das declarações políticas de outrem?


Repito, para mim, pessoalmente, tudo não passava de tentativas de consolidar os dois objectivos já referidos: colar o Presidente ao PSD e desviar as atenções.

5- E a mesma leitura fiz da publicação num jornal diário de um e-mail, velho de 17 meses, trocado entre jornalistas de um outro diário, sobre um assessor do gabinete do Primeiro-Ministro que esteve presente durante a visita que efectuei à Madeira, em Abril de 2008.

Desconhecia totalmente a existência e o conteúdo do referido e-mail e, pessoalmente, tenho sérias dúvidas quanto à veracidade das afirmações nele contidas.
.../...

6- A primeira interrogação que fiz a mim próprio quando tive conhecimento da publicação do e-mail foi a seguinte: “porque é que é publicado agora, a uma semana do acto eleitoral, quando já passaram 17 meses”? .../...

7- Mas o e-mail publicado deixava a dúvida na opinião pública sobre se teria sido violada uma regra básica que vigora na Presidência da República: ninguém está autorizado a falar em nome do Presidente da República, a não ser os seus chefes da Casa Civil e da Casa Militar. E embora me tenha sido garantido que tal não aconteceu, eu não podia deixar que a dúvida permanecesse.

Foi por isso, e só por isso, que procedi a alterações na minha Casa Civil


8- A segunda interrogação que a publicação do referido e-mail me suscitou foi a seguinte: “será possível alguém do exterior entrar no meu computador e conhecer os meus e-mails? Estará a informação confidencial contida nos computadores da Presidência da República suficientemente protegida?”

Foi para esclarecer esta questão que hoje ouvi várias entidades com responsabilidades na área da segurança. Fiquei a saber que existem vulnerabilidades e pedi que se estudasse a forma de as reduzir.

Um Presidente da República tem, às vezes, que enfrentar problemas bem difíceis, assistir a graves manipulações, mas tem que ser capaz de resistir, em nome do que considera ser o superior interesse nacional. Mesmo que isso lhe possa causar custos pessoais.
Para mim Portugal está primeiro.


O Presidente da República não cede a pressões nem se deixa condicionar, seja por quem for.

Foi por isso que entendi dever manter-me em silêncio durante a campanha eleitoral.

.../...

_______________________________________

NESTE MOMENTO SÓ TENHO UMA DÚVIDA:


ANTES DE ESTA ESCANDALEIRA ESTALAR NOS JORNAIS DURANTE A CAMPANHA, QUAL ERA A ESCANDALEIRA DE QUE SE FALAVA?


(Ou, "a mordida de um cão cura-se com o pêlo de outro")

Se alguém se lembrar agradeço um auxiliar de memória
...


.

"THE MORNING AFTER THE NIGHT BEFORE"

OU, FALANDO A SÉRIO, SÓ DESTA VEZ



Vistas as coisas à luz do dia, depois de um duche e de um café

Obviamente não me sinto feliz: ter de partilhar José com o país inteiro durante não sei mais quanto tempo não é coisa que me anime mas, bem vistas as coisas, passadas todas as hipóteses de uma surpresa, as inevitáveis expectativas, sem a pressão da campanha, o desassossego das eleições, a algazarra dos resultados, pergunto a mim mesma se estamos de facto pior do que estávamos.

Ontem achei que sim, hoje tenho algumas dúvidas. Depois do duche e tomando o café comecei a pensar que não.

Além de que "pior" não é fácil; Ou seja, pior do que José a governar com uma maioria, é uma coisa que se pode facilmente imaginar mas dificilmente concretizar.

A mudança de cenário da noite passada leva a passar directamente do "tenebroso papão da Direita" para o "tenebroso papão da Esquerda"... Ora a vida não é assim. Acalmemo-nos todos, à esquerda e à direita, os papões só existem enquanto reflexos virtuais dos nossos medos. E ponto.

O PSD perdeu as eleições. Subiu, organizou-se mas perdeu. E agora talvez perca mais qualquer coisa: as aves de rapina, que vestem as camisolas laranja quando lhes dá jeito, começaram de imediato a levantar voo e a gritar, piar, grasnar e outras coisas que a passarada faz, logo ao bater das 20 horas, hora de Lisboa. É feio, é pouco subtil, é muita sede para tão pouco pote. E não vão parar por aqui, são vampiros.

O PS ganhou as eleições... Bem, deve ter ganho uma vez que não as perdeu.
Olhemos de mais perto... Será que ganhou? Claro, vai ter a formação de um governo a seu cargo, vai chefia-lo, vai decidir que acordos pretende ou não.
Foi o partido mais votado com uma diferença de cerca de 7,5% para com o segundo partido, logo, obviamente, ganhou.

Será?

Não estou a pensar seguindo os trâmites utilizados pelos últimos classificados que, quer chova ou faça sol, obtêm sempre "uma grande vitória sobre a derrota do mais votado". Não vou por aí, não vou pela perda de percentagem, não vou pela perda de deputados; seria demagógico, obtuso e irrelevante.
O PS não foi derrotado, o PS não perdeu as eleições. Só me pergunto se as ganhou... Sinceramente não gostaria de me ver nos sapatos italianos de José, em circunstância alguma e agora muito menos.

José é esperto, espertíssimo. José tem uma imensa ginástica mental, é exímio em flick-flaks mentais, tem o treino e a presença de um bom mentiroso que não se deixa apanhar em pequenas traições espelhadas na mudança de expressão facial ou de pequenas hesitações na voz. José começa uma frase com um "veja bem..." e dá a volta ao tema. José é bom a antecipar cenários, joga com as ideias dos adversários, manipula-as como um ilusionista brinca com duas ou três bolinhas entre os dedos fazendo-as girar diante dos nossos olhos. E nós apercebemo-nos do que se passa mas ele já girou as ditas, bolinhas ou ideias, a seu bel prazer. Com uma enorme "lata", sem perder a pose, José deixa sair boca fora a maior enormidade, qualquer "está-se-mesmo-ver" com o ar mais cândido ou indignado, dependendo da fase que atravessa. É claro que também depende do adversário e isto deve ser tido em conta, por todos, sobretudo por José.
E é... Soares e até Manuel Alegre vieram ao beija-mão. A vida está difícil, por um lado e daqui às presidenciais vai um saltinho, por outro. Se José está a subir nas sondagens não convém nada irrita-lo, a Moura Guedes que o diga...

José é uma eficiente e bem oleada máquina de auto-promoção e de auto-defesa, subreptício no ataque. É, mas falha. Falha porque, para além de ser uma eficiente máquina José é, muito obviamente, humano e, como humano, José peca, muito.
José pecou no seu passado, continua a pecar e não vai parar. José é um pecador nato. José é soberbo, orgulhoso e birrento. José é um autoritário que tenta disfarçar-se de consensual - não consegue. José foi eleito o mais sexy dos não-sei-o-quê (ele há gente para tudo) e fingiu não ligar importância; mas é o líder que fala da sua barriguinha. José vive para a sua auto-imagem, que acarinha e constroi; isto fragiliza-o, não suporta críticas e quando não consegue fugir-lhes ou refutá-las faz como um miúdo pequeno: põe um ar pesaroso e apela ao coração: "eu dei o meu melhor, eu dou sempre o meu melhor". E quem dá o que pode... Não José, não chega.

Apesar dos seus sapatos italianos e dos seus tenis de competição José está metido numa camisa de varas, de muitas varas.
O grande drama deste seu governo não será tanto o ser minoritário, já os houve antes e vivêssemos nós num país de gente civilizada o problema resolvia-se, com maior o menor facilidade, com maior ou menor consenso. O grande drama deste governo é a forma como está dividida, em termos quantitativos, a oposição; e como está agrupada, em termos político- ideológicos. José vai ter de agradar a gregos e a troianos, sem esquecer os seus próprios eleitores - são, no mínimo, três frentes de batalha. Ah g'anda José... vai levar grandes estaladões na face esquerda e na face direita faça o que fizer, arriscando-se a que, no desfecho, possa acabar com um valente murro bem frontal, dado pelos seus.
Não queria mesmo estar-lhe na pele.
E mais, e pior... José deu de caras com um outro "animal feroz", não tão esperto nem tão bem rodado mas mais animal e mais feroz. Com Louçã no parlamento, reforçado e sonhando alto, Paulo Portas pode sair de vez em quando para beber uma bica e saberá que deixa José bem entregue; pode voltar revigorado com o seu brilhozinho nos olhos. E pegar onde Louçã tiver largado. Virou!

Nesta altura, a seu favor, José tem a sua inegável capacidade e as guerrilhas internas de um PSD arrivista - Cavaco, quando por lá mandou encarregou-se de afastar todos os que lhe poderiam fazer sombra, todos os que tinham mais tarimba do que ele; deixou um legado de carreiristas e aves trepadoras. Espero que José saiba agradecer-lhe. Há algumas, poucas, excepções mas não creio que estejam sequer dispostos a lançar-se no lodaçal que se perfila.

José precisa, para sobreviver enquanto primeiro-ministro, de uma estabilidade que já pediu mas que não vai ter. Nem com uma maioria José equilibraria este país, os resultados estão bem à vista para quem os quer ver e para quem não acredita em papões. Estabilidade não houve e não vai haver agora. Há vários escorpiões dentro do mesmo aquário e José vai estrebuchar, ter ataques de raiva, ser vítima da incompreensão e da má vontade e irá berrar o que Cavaco dizia: "Deixem-me trabalhar", mas vai saltar e pular ao ritmo dos solavancos ora de um lado ora de outro. E Portugal vai ser abanado com ele. Bonita obra!

E também há a crise... Por mais optimistas que queiramos ser todos sentimos na pele, na carteira, na qualidade de vida, nas contenções e muitos, cada vez mais, no estômago, que "a crise" está longe de ter o fim à vista. Há sinais de retoma económica...Haverá, mas cá pelo nosso rectângulo não se enraízam. Diz o ministério da finanças que o deficit do PIB se situa nos 5,9% - A Comissão Europeia previa uns animadores 6,5% para 2009 e uns 6,7% para 2010. Retoma? Eu não sei quem tem razão mas a verdade é que o Inst. Nac. Estatística se recusou a validar a 2ª notificação de 2009, ao contrário do habitual, remetendo-a ao Ministério das Finanças. Eles que se entendam...

Mesmo assim José insiste em que este é o momento para rasgar os portões de entrada em Portugal; José não é homem de "entrar pela porta pequena", para ele é tudo em grande - vamos fazer um novo aeroporto, mais uma auto-estrada Lisboa/Porto, construir mais uma ponte sobre o Tejo e, acima de tudo, passar a viajar imenso de TGV. Ahhh, grandes obras se fizeram no tempo de José, exclamarão os nossos filhos. O investimento na indústria, na agricultura? Que se lixe, depois hão-de ficar contentes com todas as novas e modernas formas de fazerem escoar os seus produtos para a Europa, mesmo que entretanto deixem de os conseguir produzir. As PME´s são muito importantes mas não percebem nada de modernidade.

"One thing I'll say for him": depois de toda a merda que fez, a que se constata, a que se sabe, a que se desconfia e a que nem se imagina, num aspecto José tem toda a razão, «Foi uma extraordinária vitória».
Foi, de facto extraordinário... Foi uma grandiosa vitória, para si. Parabéns José.


Para aqueles que, mesmo depois do duche e do café ainda não se sentem capazes de sorrir perante o saltitante futuro que se avizinha deixo AQUI uma vingança que, por certo vos deixará bem dispostos.
Cliquem no boneco com o rato e vão ver se não se sentem muito melhor, mesmo virtualmente falando.

PELAS BRUMAS DA MEMÓRIA...


Ó MANEL... NÃO HAVIA NEXEXIDADE...
OU HAVIA? HUM, SE CALHAR HAVIA...


É PENA, MANEL

.

SONHO

DE UMA NOITE PÓS-ELEITORAL...


UM DIA...




ELEIÇÕES NA ALEMANHA


Merkel ganha eleições
Económico com Lusa
27/09/09

Os eleitores alemães deram a vitória à conservadora Ângela Merkel nas eleições legislativas de hoje.
As estações de televisão ARD e ZDF avançaram que os conservadores de Merkel (CDU/CSU) e os seus aliados liberais do FDP conseguiram uma maioria confortável de mandatos parlamentares: entre 320 e 324 num total de 598.

VÍDEO BBC AQUI

.

A NOITE ESPERADA...

2005 %

PS 45.03...PSD 28,77...CDS-PP 7,24.....BE 6,35...PCP-PEV 7,54


2009 %*
PS 36.56...PSD 29,09...CDS-PP 10,46...BE 9,85...PCP-PEV 7,88

*faltam apurar 4 deputados eleitos pelos emigrantes

DEPUTADOS 2005
PS 121 ...PSD 75 ...CDS-PP 12 ...BE 08 ...PCP-PEV 14


DEPUTADOS 2009*
PS .96 ....PSD 78 ...CDS-PP 21 ...BE 16 ...PCP-PEV 15


*faltam apurar 4 deputados eleitos pelos emigrantes
Ou seja:

BE ...........+3,50.............CDS-PP.....+9 DEP
CDS-PP.....+3,22
.............BE ...........+8 DEP.
PCP-PEV....+0,34.............PSD..........+3 DEP.
PSD..........+0,32
.............PCP-PEV....+1 DEP.
PS............-8,47..............PS...........-25 DEP.


Para quem acaba de ter uma, e cito, «uma extraordinária vitória», José pareceu-me um bocadinho irritadiço...

Espantou-me o tom com que, ao subir ao "podium" para fazer a sua declaração de vitória, enxotou - não me ocorre outra expressão - os jornalistas que o queriam fotografar.

Parece-me que temos um regresso do "Animal feroz"...

Cuidado José, tenha cuidado, olhe que feroz "à séria"
esta noite pareceu-me Francisco.


A frase que mais gostei de ouvir a José:

«A vitória da decência e da elevação na política»
(C'um caraças!)

O VÍDEO DA NOITE DAS ELEIÇÕES:



.

COLIGAÇÕES, QUEM AS QUER?

COLIGAÇÕES?
ACORDOS PARLAMENTARES?
A DOIS? A TRÊS?
À ESQUERDA? À DIREITA?
FAZEMOS CONTAS?
VAMOS À BRUXA?

E QUEM VAI TER O MELHOR PAPEL?
O GOVERNO?
O(S) SEU(S) APOIANTE(S)?
A OPOSIÇÃO?


CÁ PARA MIM VAI SER O "DESTABILIZADOR DEMOCRÁTICO"
(senão estiverem bem a ver o que quero dizer, o Garfield explica...)



.






O PS VENCEU

O PAPÃO DA DIREITA






Será que agora as crianças vão, finalmente, poder dormir descansadas?


Não sei como dormirão os 40% de abstencionistas... Provavelmente como anjos, a inconsciência tem dessas benesses

Agora vamos às provas de aritmética... Atenção às culatras!

.

PARA BOM ENTENDEDOR


PROVÉRBIOS PORTUGUESES

SE NÃO QUISERES IR VOTAR
DEPOIS NÃO VENHAS REFILAR

O "RANKING" DA 5º DIVISÃO

Boletim Informativo de Execução Orçamental, do Ministério das Finanças

Dados reativos ao periodo decorrente entre Janeiro e Agosto de 2008
Multas relativas ao Código da Estrada - 53,8 milhões de euros

O Governo previa então um crescimento de 28,6% das receitas da rubrica
" Taxas, multas e outras penalidades". Qualquer coisa como 780,8 milhões de euros.
________________________________

A 25 de Setembro de 2009

«Elementos da PSP queixam-se de pressões para passarem mais multas»

«Elementos da 5 Divisão de Lisboa da PSP (Penha de França) queixam-se de estar a ser forçados pelo 2º. Comandante a aumentar o número de autuações, sob ameaça de mudança de Secção se não se destacarem nas estatísticas mensais.
.../...
De acordo com o relato feito
à Lusa por elementos daquela Divisão, está a ser implantado um denominado "Código de Conduta" pelo 2 Comandante e criado um "ranking" mensal onde só têm ascensão na carreira e "prémios de produtividade" os elementos que passarem mais multas.

A partir de segunda-feira esta situação estende-se também aos polícias que fizerem mais detenções.

Relataram que as pessoas estão a ser informadas individualmente pelo próprio Comissário Carvalho da Silva, em conversa no seu gabinete, a sós ou acompanhados pelo chefe de Secção. Quando não atingem os objectivos alegadamente estabelecidos, dizem estar a ser chamados e confrontados com ameaças de saída da Secção onde se encontram ou saída da Divisão.

"Os graduados são obrigados a chamar diariamente à atenção os agentes para que efectuem mais autuações", disse uma das fontes, acrescentando que há dias em que são feitas operações STOP de manhã e outra à tarde.
As mesmas fontes adiantaram que estes procedimentos estão a ser transmitidos também aos novos elementos que chegam à 5 Divisão, "para que sintam as mudanças e aprendam que têm de autuar".

Segundo os testemunhos, esta situação está a criar "um grave mal-estar" entre oficiais, subchefes e agentes, que receiam resistir às ordens de aumentar o nível de autuações e de detenções.»

A totalidade desta notícia, incluindo a super-convincente "hemi-negação" por parte do Gabinete de Relações Públicas da Direcção Nacional da PSP, pode ler-se AQUI














.

COM PÉZINHOS DE LÃ



VOU NEURAR NÃO TARDA MUITO

O FRIO QUANDO ACORDO,

O BRRRRR AO SAIR DA CAMA

AS JANELAS FECHADAS

A NOITE À HORA DE FIM DE TARDE

A NOITE À HORA DE AMANHECER

UM SOL PIÉGAS E DISTANTE

DIAS PARDOS COMO PAPEL DE JORNAL

BOLAS JÁ FAZ FRIO...

RAIOS QUE ESTÁ FRIO!

NÃO ME QUERO MEXER,

NÃO TENHO ENERGIA ANÍMICA

QUERO IR PARA CASA, TENHO FRIO

QUERO JANTAR EM CASA, TENHO FRIO

TRÊS CAMISOLAS

DUAS ASPIRINAS

SALADA? COM ESTE FRIO?

FRUTA? SÓ SE FÔR NO PONCHE!

O AQUECEDOR, A MANTA E O EDREDON

ESTÁ OUTRA VEZ A CHOVER A POTES

ESPLANADA? ESTOU A TREMER

HHHHAAAAAATTTTTTCCCCHHHHHIIIIIIIINNNNNN!!!!!!!!!!

QUANDO EU FOR GRANDE VETO O INVERNO

E COMEÇO LOGO POR RETIRAR A VIGÊNCIA AO OUTONO

MESMO ASSIM, MASCARADO DE VERÃO

E COM PÉZINHOS DE LÃ ENTRANDO A RONDAR OS 30 GRAUS

NÃO ME ENGANAS...

NÃO TARDA MESMO VOU NEURAR




.

AFINAL HAVIA OUTRA

Ó raça... Até ao mau-feitio já chegou a crise.

Depois de todos estes anos em que tem andado por jornais, revistas e tv's , José, que sempre evitou trazer os filhos à baila, deu-lhe de repente o orgulho paterno, deu-lhe para escutar os conselhos dos infantes (sê bonzinho - que é como quem diz põe o ar bonzinho), enfim, deu-lhe para ter filhos publicamente.

Pronto, está bem, Super-Sócrates quer mostrar que, sob aquela capa vermelhusca-rosada, existe um ser humano.
Por mais que lhe custe mostra-se vantajoso que, pelo menos, aparente ser um homem como os outros, como o comum dos mortais. Ainda bem porque a malta andava desconfiada...
José é, como eu sempre quis acreditar, apesar de tudo, capaz de amar (pessoas).

E não só... José é amado!
(Oh, então e eu não sei...)

E as coisas que uma mulher é capaz de fazer por amor (Bem sei que José merece, ó se merece!)
Não, não estou a falar de mim... Estou a falar da outra Senhora; Não, também não é essa, agora falo de Fernandinha.

Fernandinha tem vivido oculta, no que a José se refere.
Esta jornalista do Diário de Notícias admite «já ter apresentado queixas contra mais do que um jornal» e justifica-as afirmando: «Não admito que me tratem com essa categoria» (namorada de José)
Compreendo-a...

Mas o amor é lindo e agora, por mera coincidência durante a campanha eleitoral, José jorrou o seu amor à luz do dia e publicamente confidenciou que Fernandinha o ajuda a vestir-se, quero dizer, a escolher as roupinhas. E não consta que Fernandinha tenha apresentado queixa contra José. Fernandinha trata bem José, ainda bem, 'tadinho; Fernandinha é querida e até trata bem as amigas de José, por mais louras e platinadas cendré que possam ser: também a querida Edite, estrela do nosso firmamento político, não terá sido processada quando, no seu best-seller biográfico "Sócrates: O Menino de Ouro do PS", refere Fernandinha com essa categoria - a de namorada de José.

(Quem dera houvesse um qualquer simplex a preencher on-line para uma mulher se poder inserir "nessa categoria", suspiro eu)

Perguntarão vocês: como consigo eu conviver com uma notícia desta categoria «A NAMORADA» de meu José... Como aguento sem cortar os pulsos?
Ora... Primeiro não sou ciúmenta, nunca fui, deixo isso para as almas complicadas - eu sou integralmente simplex.
Depois sei que, venha o que vier, entre mim e José nada se interporá que nos possa afectar mutuamente.
Por último, para José nunca serei a outra Senhora; e mais... de mim não falará José publicamente, essa vos garanto.

Já nem o mau feitio é o que era (quanto mais o ouro)... Afinal parece que só mesmo os diamantes são eternos.



.

JÁ É MANIA...

Uma foto muito semelhante à que surge no último "outdoor" de José, belíssimo cartaz, diga-se de passagem, em que José aparece um tanto quanto difuso, mas esta a preto e branco e com mais ruguinhas marotas (de onde se deduz que 4 anos de governo têm um efeito "liftting") , foi publicada no "La Presse", de Monreal - Canadá, a 21 Fev. 2005, segundo as minhas fontes - como está "in" de se dizer.
Atentai pois na legenda da foto e digam lá se não é mania...


Agora entende-se porque a campanha de José apresenta esta foto para o seu cartaz final...

Mira, Jhosé, cuidate con la Aljubarrota... Es que tennia una pañera muy bruta...

.

CONQUISTA OU OCUPAÇÃO?

PRIMEIRO PENSEI QUE LUIS AMADO TINHA MANDADO UNS CHUTOS PÁ VEIA ANTES DO COMÍCIO DO PS, ONTEM À NOITE EM LEIRIA


«Portugal só pode ser um país plenamente inserido na Europa quando a Espanha o for, a Ibéria for, a Península Ibérica for um espaço de integração económica e política”
“A gestão dessa relação é difícil, mas ela é pedra angular da nossa relação estratégica com a Europa. Mais do que isso é a pedra angular da nossa inserção geopolítica do mundo do século XXI”. “Quem não compreender isto não pode ser primeiro-ministro de Portugal»

Luís Amado, Ministro dos Negócios Estranjeiros, curiosamente, de Portugal


DEPOIS FUI VERIFICAR O MAPA E FINALMENTE PERCEBI A IDEIA...



Não foi eu que inventei o mapa com o "en Portugal", podem verificar a meio desta página:
http://html.rincondelvago.com/el-corte-ingles_1.html

Como diria o enorme João Soares:
"A nós ninguém nos dá lições de patriotismo".


É verdade, ninguém lhes dá, ninguém lhes deu ou, se deu, não aproveitaram.

.

ÚLTIMA HORA!

FINALMENTE ASSUMIDA
A COLIGAÇÃO POSSÍVEL!





.



CAMPANHA DE FIM DE SEMANA

UMA CAMPANHA TRANQUILA




"COM JEITINHO CONSEGUIMOS"



(PARABÉNS À EQUIPA DE MARKETING)










.

G'ANDA SEMANA!

Digam-me cá uma coisa, daqui a nove dias há eleições? Bem me parecia...

Esta semana deu para tudo, g'anda semana!


O Top está, de longe, com o "Gato Fedorento" a esmiuçar soberbamente a política nacional.


De resto houve caixinhas com "umas notinhas" num vão de escada junto a uma (ou duas? não percebi bem) secções do PSD, ou, como se insinuou, seria mesmo num vão de escada ao lado da sede distrital de Lisboa? Não percebi bem nem quero perceber, li na diagonal e mesmo assim estupefactei.
Já os videos que continham as macabras denúncias vi/ouvi com alguma atenção.
Procurei esmiuçadamente as letrinhas que advertem: "Conto baseado num romance de XXX - qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência". Não encontrei.

Vamos lá a ver... Até posso acreditar que tenha havido um qualquer pagamento, não sei de quem a quem, e quanto a razões posso apenas sofismar (e não estou para isso).
E quando se teria passado isto? Também não percebi muito bem.


Agora... Essa do:
-"Você é que faz os pagamentos? Olhe, já votei"
-"Ah sim? Então tome lá 25 euros
"...

Vou blasfemar!


Então e o resto do diálogo? Sim, o:

- "
Já votou? Hum... Em quem? Veja lá se votou em branco... Não escreveu palavras feias no boletim? Tem a certeza? Olhe que votos nulos não pagamos"

E também há o antes:


"
Você quer ganhar 25 euros? Então no dia tal vai ali abaixo e vota no XY e depois vai à loja ao lado que está lá quem lhe pague".

- "
Só isso? E posso levar a minha prima, a minha avó e o Toni?"

-
Se eles são filiados pode, se não são não pode, e também não pode contar a ninguém"

-"Está bem esteja descansado, é um segredo só nosso"


Ó céus! Se não fosse eu ser uma pessoa de inabalavel boa-fé diria que estamos em época pré eleitoral (logo a seguir à "Silly Season" mas com agravamento do estado do mar e chuva lá mais pr'á tarde)


Adiante.


Apesar de esta ser uma novela gira não é a transmitida em "horário nobre"; aí a revista Sábado teve azar, o DN arranjou uma intrigalhada maior e quanto maior a intrigalhada maior a audiência.



Em Agosto, plena "Silly Season-mas-não-tanto-quanto-agora", veio à baila, melhor diz
endo, a PÚBLICO, que se suspeitava no Palácio de Belém que haviam escutas, segundo uma «fonte da Casa Civil do PR.»
O povo permaneceu calmo, um estou-me nas tintas generalizado e fazia muito calor.
O "timing" foi errado. José desdramatizou, e bem, dizendo que se tratava de «disparates de verão».
Ninguém escarafunchou no - QUEM acha que há escutas - nem tão pouco no - QUEM pode estar a escutar.

Pior, ninguém levantou a questão COMO é possível que hajam escutas não autorizadas no nosso país, ou então QUEM autorizou e com que fim
.

(Aguenta aí pela campanha que a gente já cá vem).

Há que reconhecer que isto de já não haver O "jornal de sexta" desanimou muito os fins de semana nacionais; a Sexta-feira tornou-se um "ex libris" da comunicação social, anda tudo a ver quem ocupa o lugar do "lança broncas mediáticas" e hoje o lugar coube ao DN.

Nesta novela há vários factos interessantes, a parte chata é surgirem dentro dos "valores normais para a época". Vejamos:

O PR suspeita de que está a ser espiado - é grave.

O PR suspeita de que está a ser espiado pelo Governo - é gravíssimo

O PR suspeita de que está a ser espiado mas não sabe por quem - é chato


O PR NÃO suspeita de que está a ser espiado, tem a certeza - então e
agora?
O PR NÃO suspeita de que está a ser espiado nem tal lhe passa pela cabeça - é de mestre


O PR está a ser espiado pelo governo - é gravíssimo

O PR está a ser espiado pelo SIS - é muito grave

O PR está a ser espiado sabe-se lá por quem - é hilariante

O PR NÃO está a ser espiado - deixem-se de merdas mas é de mestre

O PR está mesmo a ser espiado - CHAMEM O CSI, JÁ!


CHAMEM O CSI, JÁ!
Circundem o Palácio de Belém com fita amarela, revolvam moveis, chão, quadros, paredes por dentro e por fora, levem os cães farejadores, analisem as moléculas do ar, levem os computadores todos, disquetes, cd's e dvd's.
FAÇAM A REVOLUÇÃO.



Agora a parte importante:


O DN teve acesso a um e-mail entre dois jornalistas do PÚBLICO

É violação de correspondência.


O DN publica correspondência privada entre dois jornalistas de outro jornal.


O DN, tendo conhecimento de uma, suposta, situação tão grave quanto esta não a denuncia à Justiça, à Procuradoria Geral da República (que, se bem me lembro, também já lá teve umas escutazitas sob o soalho do gabinete do Procurador). É dúbio.


O DN não diz quem é a sua fonte; está no seu direito MAS está indubitavelmente a sobrepor os seus direitos de órgão de informação aos direitos dos portugueses à informação. E esta não é exactamente uma questão mal amanhada de vão de escada.

Tanto mais que a direcção do DN afirma que se publicou correspondência privada foi por considerar o seu conteúdo «de interesse nacional».
Ok, assim sendo, cadê o resto? Quem forneceu as informações ao DN, quem sabe o que se passou podendo prestar algum esclarecimento sobre o assunto? E porquê exactamente agora?


Os senhores do DN que me desculpem mas falta aqui qualquer coisa, em nome do "interesse nacional". (Ou talvez lá para segunda-feira, sempre se vendem mais uns jornalecos, as novelas são em capítulos bem se entende por quê.)

E depois há a forma como o DN apresenta a suposta notícia, assim:

«Revelação
Homem forte do presidente encomendou 'caso das escutas'»
Encomendou? Bem, no corpo da notícia a versão é menos travessa:

«'E-mail' denuncia que Fernando Lima, assessor de Cavaco, entregou ao 'Público' um 'dossier' sobre as suspeitas de espionagem do Governo a Belém. »

Hum... A ser verdade, não é bem a mesma coisa, pois não? Em Abril de 2008...

Anyway e para finalizar,

quem põe bem o dedo na ferida é o jornalista
Carlos Enes, rapaz da minha preferência por várias razões, no final da sua análise publicada hoje com o título «A ENCOMENDA»;

diz ele:


«A notícia do "DN" é a materialização que faltava de um facto que porventura queria ridicularizar, no que à Presidência da República possa dizer respeito: há escutas e violação de comunicações privadas em Portugal, feitas à margem da lei e politicamente orientadas

Tudo o resto é conversa, digo eu.



Diz José
«O meu dever é concentrar-me na campanha. Eu li a notícia com muita surpresa mas essa matéria pode esperar.»

Ó José, o seu dever? O seu dever enquanto quê e para com quem?

E que relevância tem «essa matéria» face à Sua campanha? Convenhamos...




Diz o PR
«Durante este período eleitoral eu evito fazer comentários sobre matérias que possam ter conexões sobre questões político-partidárias, por isso eu vou ficar em silêncio; mas depois das eleições eu não deixarei de tentar obter mais informações sobre questões de segurança»


Ficamos à espera Senhor Presidente.

AS SENHORAS...

Estive a ver o inegualável "Gato Fedorento".
Entre muitíssimas com tanta graça, esta frase, proferida por João Soares agora, durante a campanha de José, ficou-me no ouvido:


(“Por muito respeito que se tenha por Paulo Portas, Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã),

os dois verdadeiros candidatos
são José Sócrates e a "outra senhora"

Ora nem mais, caro João, fica-lhe bem reconhecer quem e o que é quem.
A minha única dúvida é se José será mesmo uma "Senhora"...

SE EU FOSSE A MANUELA...

Por tudo quanto é sítio encontrei comentários à falta de agressividade nas respostas de Manuela F.L. a José durante o seu confronto televisivo. Algumas coisas li que têm intenções veladas de vários tipos e de diferentes quadrantes políticos; outras fundamentadas por crítica bem alicerçada (gostei, por exemplo do post «Vou maldizer, posso?» publicado ontem por Carlos Carmo Carapinha; concordo e discordo mas é limpo).

Assim como José é o que é e já não muda, Manuela tem lá o seu feitiozinho e não parece que seja particularmente cordata no que toca a fazer as vontade ao pessoal do marketing. Ao contrário de José, Manuela tem uma inoportuna fobia ao estrelato dos media - como tão bem exempleficou após o debate com Paulo P., "esgueirando-se" dos jornalistas à porta do estúdio para dentro do seu carro.
Manuela perdeu "tempo de antena" por timidez, Paulo agarrou-o com as mãos todas tendo a "última palavra" da noite.


Mas já me estou a alongar e, como já disse antes, não estou a qui para devotar a minha atenção senão a José.


E José, coitado, não tem que o ajude, os diversos liders partidários vão para os debates e só sabem critica-lo, apontar-lhe os erros como se ele não tivesse sido um primeiro-ministro como ainda estará para nascer outro. Dar sugestões para resolver os problemas é que nada...


Pois bem, se EU fosse Manuela havia de arranjar nas profundezas de mim coragem para vencer a inibição e, ainda que tivesse de o interromper selvaticamente, a bem dele e da nação, dir-lhe-ia:


-" Cariño mio, el TGV es mau negócio porque el país está de tanga pero si lo hechas demás, lo quieres más que à la anti-democratica independência económica, entonces voy a dar-te la solução: lhama à la tua mandatária para la juventude e diz-lhe que mande la empregada guardar lô "caroço" das cerejas e, já agora, las grainhas, que es una trabalheira pero dão jeito para hacer los trocos."

Isto sim, seria oposição construtiva, democrática, vontade de ajudar o país; agora aquele ar de estupefacção que está mesmo a dizer: "estavas era a precisar de levar um estalo"... pois não é patriótico.




.

PATRIOTISMOS













«INDEPENDÊNCIA ECONÓMICA SÓ SIGNIFICA ISOLAMENTO ECONÓMICO»,
José dixit http://www.tsf.pt/paginainicial/AudioeVideo.aspx?content_id=1361791

Ó José, querido, diga-me cá uma coisa, você anda a snifar umas linhas de coca, não anda? Linhas de alta velocidade, claro...

Eu não estou aqui para defender seja quem fôr, por razões várias entre as quais porque seria uma absoluta perda de tempo e, além do mais, esta campanha dedico-me a José, apenas a José, totalmente a José; porém confunde-me o seguinte:

Onde raio foi José buscar a ideia de que, ao falar de "Independência Económica" , Manuela F.L. estaria a pôr em causa a Integração Europeia?

Ou será que lá no fundo José até sabe que a questão não é essa mas pensou que essa "música" daria um bom "jingle" para o seu discurso eleitoral?

Não sei, digo eu...

E foi pena sair-lhe esta logo a seguir à frase mais gira do primeiro fim de semana de campanha, em Évora, que, na minha bem disposta opinião, não "rima" uma coisa com a outra; terá sido:

«Aqui, neste partido, só há patriotas»

José fartou-se de suar, no sentido literal, mas saiu-lhe bem, teve muita graça.

.

«VERGONHOSOS PARA A NOSSA DEMOCRACIA»


Não é que a memória dos portugueses seja curta, apenas a de alguns portugueses.

Resolvi fazer uma "repescagem"...
Sabe bem e não faz mal
Lembrar José a falar de coisas «vergonhosas para a nossa democracia»; Hum... "nossa", de quem?
Fica o vídeo do tempo em que José ainda era "aquela fera", não este amoroso ternurento que tanto nos fala ao coração

"Entre les deux mon coeur balance..."

C. , obrigada pelo vídeo



.
Dije o povo e cum rajão,
nun faxas aos j'outros o que nun queris que te faxão a ti,
burrro!

A EVOLUÇÃO LINGUÍSTICA

Recebi um e-mail de um respeitável e culto amigo que se tirou dos seus cuidados e me actualizou sobre a evolução da língua portuguesa. Talvez por saber, e apreciar, o meu profundo afecto por José, apressou-se a enviar-me uma nova expressão linguística, mais concretamente um verbo - coisa importante, não apenas um substantivo comum - para o qual meu nosso José contribuiu com o seu suor e talvez até com as suas lágrimas (a ver vamos...).

Em plena fase de campanha, tudo o que se diz é importante e tão importante, ou mais, é a forma como se diz e as palavras empregues (sim, e um arzinho dócil e sincero)

Passo a partilhar convosco o que o meu amigo J. A. partilhou comigo, demonstrando assim o meu reconhecimento e o entendimento de quão importante é o conhecimento da evolução linguística apropriada



DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA
EDIÇÃO 2009 APÓS MUITAS REVISÕES, AMPLIAÇÕES E ASSINATURA DE VÁRIOS ACORDOS


________________


SOCRATEAR
:Verbo, totalmente irregular de estranha conjugação.

1. Ocultar ou encobrir com astúcia e safadeza; disfarçar com a maior cara de pau e cinismo.

2. Não dar a perceber, apesar de ululantes e genuínas evidências; calar.

3. Fingir, simular inocência angelical.

4. Usar a dissimulação; proceder com fingimento, hipocrisia.

5. Ocultar-se, esconder-se, fugir da responsabilidade.

6. Atingir amigo ou inimigo, sem dó nem piedade (antes ele do que eu).

7. Encobrir, disfarçar, negar sem olhar para as câmaras e/ou olhos nos olhos.


8. Defraudar, iludir

9. Afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade, acreditar que os fins justificam os meios.

10. Negociar com dinheiro público em proveito próprio.












Socrateemos então, no linguajar, entenda-se.

A ÁGUA QUE VALE ÁGUA

«Arrancou esta semana em Portugal um projecto pioneiro de solidariedade.
A água embalada Earth Water é o único produto no mundo com o selo do
Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), revertendo
os seus lucros a favor do programa de ajuda de água daquela instituição.

Com o preço de venda ao público (PVP) de 59 cêntimos, a embalagem de Earth Water diz no rótulo que «oferece 100% dos seus lucros mundiais ao programa de ajuda de água da ACNUR», apresentando, mais abaixo, o slogan «A água que vale água».


"Todos os dias morrem seis mil pessoas devido à falta de água potável e destas 80% são crianças. A cada 15 segundos morre uma criança devido a uma doença relacionada com a água. Com 4 cêntimos, o ACNUR consegue fornecer água a um refugiado por um dia.

Com a criação da Earth Water pretende fazer-se a diferença e melhorar estas estatísticas assustadoras.
Ao desenvolver o conceito "You Never Drink Alone" pretende-se criar solução para a falta de água mundial.»



SAIBA MAIS: http://earth-water.org/

«Earth Water Breaks Ground in Portugal»

«In late 2008, Earth Water Portugal was launched in Lisbon, alongside newest Earth Water ambassador, football star Luis Figo.
Earth Water Portugal was met with resounding support from the Portuguese people and is already enjoying tremendous success and significant market penetration. Join us in thanking the people of Portugal for their support in our mission. Together, we have the potential to save millions of lives.
»

.

O DIA EM QUE O MUNDO PAROU

A FESTA DO HAMAS


Tinha acabado de tomar consciência de que hoje é "11 de Setembro" - O 11 de Setembro, dia em que o mundo sofreu uma reviravolta inesperada e sem retorno - quando me chegou um e-mail de um Amigo com o título "Repugnante".
Abri.

Caiu-me a alma aos pés...

Repugnante não é de todo a palavra apropriada, repugnantes são as baratas, que não fazem mal a ninguém.
Ocorrem-me várias palavras das quais "Crime contra a Humanidade" serão as primeiras. Há factos que podem chocar mas que são decorrentes da diferença de culturas, de costumes, de tradições, de religiões. Isto é diferente, isto é decorrente de uma sociedade inconsciente e inóspita, violenta e desumanamente sexista que bate no fundo ao revelar o desamor pelas suas crianças, a falta de capacidade para as proteger, ao contrário do que a larga maioria dos animais faz com as suas crias. Como é possível? Que tipo de sentimentos envolve?




Heis aquilo a que me refiro:

«Um evento de gala ocorreu em Gaza.

O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais.

A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos;

A maioria das noivas tinham menos de dez anos.

Estes casamentos pedófilos envolvem até crianças de 4 anos.

Cada noivo recebeu 500 dólares, presente do Hamas

Tudo com a devida autorização da lei do islamica radical. »


«Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planeada. »

"Nós estamos felizes em dizer a América que vocês não podem nos negar alegria e felicidade. Nós estamos oferecendo este casamento como um presente ao o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra",
discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.

A minha leitura das palavras discursadas é, sumariamente, próxima do seguinte:
"Nós sabemos que vos chocamos, que vos revoltamos mas não há nada que possam fazer contra o que decidimos nem para salvar estas crianças".
Um "tomem e embrulhem" que o mundo aceita na maior passividade


Sou eu que ando, muito, distraída ou a comunicação social internacional não falou no assunto? A ONU? A Unicef? A UNESCO? Alguém?

O que lhe aconteceu após a festa?


Tenham um bom fim de semana, abracem as vossas crianças

... e durmamos descansados