.

.
.
.
.
.

UMA RESPOSTA PESSOAL

No final de Junho escreveste aqui sobre a colectânea de músicas que compilei para o meu filho (THANK YOU FOR THE MUSIC).
Mais uma vez tocaste-me profundamente. O que contas dos sentimentos e recordações que te assaltaram tocou-me, as imagens que tiveste de mim tocaram-me mais ainda mas o profundo conhecimento que tens da minha face menos manifesta, a facilidade com que me "lês", calaram-me fundo.
Para tentar fazer sentido no que aqui te deixo hoje vou repescar dois bocadinhos da tua escrita:


"Quando escolhes música para “oferecer” é como se escrevesses uma carta, buscas-te nas palavras. Com Mozart ou Beethoven mergulhas na intenção. Eu sei como gostas de um enigma. Tentei desfiar cada um dos temas que ouvi considerando o destinatário: histórias infantis, poucas e sempre, sempre as letras que outros usaram para escrever as “cartas” que são tuas."
.../...
" Se eu fosse um pouco mais atrevido pedir-te-ia que colhesses deste canteiro, que com tanto cuidado plantaste, uma música para mim. Roo-me de curiosidade. E só."

Obviamente que és absoluto merecedor daquilo que me pedes e sem qualquer atrevimento. Decidi então escolher, para ti, "uma música do canteiro". O problema é que, "no canteiro", não encontrei UMA. Encontrei várias que serviam, se adaptavam. Mas eu queria UMA, uma que fosse aquela, que não pudesse ser outra, uma que me desse aquela sensação de "cá está!"
Pus a busca de lado e esperei. Só agora te respondo; como tu tão bem compreendeste "Quando escolhes música para “oferecer” é como se escrevesses uma carta".

Primeiro pensei em enviar-te um e-mail e responder-te mais pessoalmente, ou, melhor dizendo, menos publicamente. Depois reconsiderei. Tu expuseste-te Aqui, fizeste-me um pedido Aqui. É Aqui que, a responder-te, o devo fazer. É uma questão pessoal... Pois, sem dúvida, mas este blog chama-se Real Gana por alguma razão; é uma questão pessoal, é uma história pessoal, e ninguém tem nada com isso. (E escusam de me fazer perguntas porque eu não respondo)

Deixo Aqui a TUA música, é esta e nenhuma outra, que fui colher para ti. E sei, sem sombra de dúvida, que só tu a compreenderás na "carta" que leva, porque nestas coisas da alma, raramente as coisas são o que à superfície aparentam.

http://www.youtube.com/watch?v=4z1l3Mop0_A


Sem comentários: