.

.
.
.
.
.

"O Inverno do nosso descontentamento"



Uma lindíssima Árvore de Natal a lembrar-nos a tristeza do país: em volta tudo é escuro. A ridícula iluminação que, de foco em foco, tenta iluminar umas esculturas em sebe, bem giras, que representam vários animais, projectam sombras permanentes à passagem de cada pessoa que cruza pelo meio. Há música... as pessoas tentam te-la presente mas não é fácil: do outro lado da rua já não se ouve... Pensei em Londres... que raio de comparação! Deixa-lá, dizia eu ao meu filho que ia aos saltos sem se aperceber do que nunca viu, vimos cá de dia para ver os bichos.

Macacos me mordam... Sei da miséria que vai por esse mundo fora, estou aqui sentada no bem quentinho e iluminado conforto da minha casa, depois de um jantar do qual, mais uma vez, sobrou comida para mais um... Mas tenham paciência, quando saio com o meu filho para ir ver a Árvore de Natal, não quero "confortar-me" com a miséria do mundo. Desculpem-me a franqueza mas o que eu quero mesmo é esquece-la. A do mundo e a nossa, aqui na ponta ocidental da Europa. Europa... My...
Eu tentei, palavra de honra que tentei, mas aquela escuridão em torno de um símbolo de Luz e festa embebeu-me a alma. Olho para a minha Árvore de Natal e lá me sinto melhor... Lá fora, como dizia "o outro", reina o "Inverno do nosso descontentamento" e, pelo menos durante uns dias, deixem-me tentar disfarçar. Ho Ho Ho, Hai, ai, ai...

3 comentários:

N.Phillips disse...

Tu não presisas de luz lá fora.
Vai, força, sempre

Emiele disse...

Sabes que ainda não fui ver as «luzes de Natal»? Vi, dentro do carro o que se vê quando se passa a andar. E nunca vou de carro à Baixa.
Enfim, tenho de me tirar de preguiças e dr uma voltinha, até para poder falar com razão.
Árvore, só vi a do Parque Eduardo VII, ao longe (de carro, como disse...) Essa é onde?

Alex disse...

Esta... é a do Parque, na fase vermelha