.

.
.
.
.
.

LÁ VAMOS NÓS OUTRA VEZ

Desde que me lembro de ser gente, e já vão umas décadas maduras, só não tive uma Árvore de Natal duas vezes: num ano em que não "fiz o natal" em casa e no ano passado - quando a um enorme cansaço se reuniu o facto de ter um cachorro que, como bom saloio, é maluco por coisas a brilhar, sejam bolas, fitas ou qualquer outro objecto que lhe provoque a curiosidade... e o natal presta-se a essas saloíces e outras luzinhas.


Este ano vou atrever-me, embora esteja certa de que um dia vou chegar e ver o meu cão grande todo enfeitado e o pequeno a rir-se de barriga pró ar.

Depois de um domingo dedicado à "agricultura natalícia" e à escolha de objectos apropriados lá me atirei à efémera tarefa de meter o natal cá em casa. Desconfio que vai ser trabalhito para me ocupar a semana inteira: o frio que me sobrecarrega leva-me a energia e a paciência mas tem de ser.

Tem de ser... este ano muito especialmente.
Todos os anos, em particular este último par, se diz «Este ano não há prendas, só para as crianças»... Pois. São as crianças, a família mais próxima, os amigos mais chegados, umas visitas que se fazem ou que se recebem, um carinho aqui, uma gracinha ali...
Mas este ano creio mesmo que as gracinhas e as ternuras vão ter de se manifestar de forma bem mais "Natalícia" e menos material. Digo eu, que só sei de mim...

Francamente acho que isto não é mau; más serão as razões subjacentes mas não tanto as consequências.
É bom que o Natal seja mais reencontro e partilha de tempo e companhia - com menos laços e fitas e papel de embrulho - com mais dar de si a quem realmente queremos e estimamos. E ter isto em mente a cada momento em que se celebre o natal, seja por opção ou à força do poder da conta bancária.

Tem de ser... este ano muito especialmente.
Vou enfeitar a casa, a porta de entrada, as janelas, a mesa, vou pôr luzes e velas acesas no coração, na cara, em todas as noites quando me for deitar
... E no Real Gana também.

Aprendi um pouco tarde, mas muitíssimo a tempo, que isto de «Ser Feliz» é uma atitude, uma decisão que se toma, todos os dias.

Um FELIZ NATAL a todos.

2 comentários:

Laurus nobilis disse...

A propósito do último parágrafo, se me permite a ousadia, gostava que pelo menos desse uma vista de olhos por um livro. Chama-se "Óscar e a Senhora Cor-de-Rosa" e é de um francês, chamado Eric-Emmanuel Schmitt. Ainda o li editado pela AMBAR, mas parece que agora saíram umas edições novas.

José Magalhães disse...

"Aprendi um pouco tarde, mas muitíssimo a tempo, que isto de «Ser Feliz» é uma atitude, uma decisão que se toma, todos os dias"
Eu, não diria melhor, eheheh.
Que sejas muito feliz, aos bocadinhos, um de cada vez, e que nesta quadra, tenhas umas Boas Festas e um Santo e Feliz Natal.