.

.
.
.
.
.

2001 A Space Odyssey Orbital

A MÚSICA NÃO É A ORIGINAL, O QUE É PENA, MAS TEM UM CHEIRO DAQUELA GENIAL SEQUENCIA FINAL, AQUELE ESPANTOSO "OLHAR" INFINITO, QUE UNE O FIM AO PRINCIPIO E QUE É O "MEU" SIMBOLO DO MARAVILHAMENTO, A ESSÊNCIA DE ARTHUR C. CLARKE

Sem comentários: