.

.
.
.
.
.

A REVOLUÇÃO VERDE ou

A SEMENTE VERDEJANTE NO MÉDIO ORIENTE

A promessa de Democracia é uma promessa perigosa quando se pretende vã.

Quando um povo se levanta, ainda que seja um povo como o iraniano, com o peso da sua história - da ancestral à dos últimos 40 anos - e as condicionantes estabelecidas e derivadas da sua cultura, situação geográfica,do Islão, poderá haver alguma coisa, à excepção da aniquilação, que o possa fazer parar?

Não se pode ignorar o facto de, actualmente, 75% da população iraniana (70 milhões) ter menos de 30 anos e, de entre esta, há que manter em mente, cerca de metade são mulheres. A revolução é óbvia, inevitável. O confronto com o poder conservador, fanático, religioso e fundamentalista é tão inevitável quanto a revolução.
Que espaço de fuga existirá ao fundo deste beco que se adivinha sangrento?

Até onde desejará, e conseguirá, ir Ahmadinejad?
Até onde conseguirá opor-se o povo iraniano e até quando?
Até onde poderá o mundo observar sem interferir o que se irá desenrolar ao longo dos próximos dias?
Que peso terão os Direitos Humanos deste povo no intrincado xadrez internacional?





O Vídeo abaixo é, no auge de ânimos inflamados, de pessoas agredidas, assustadas até ao pânico, sustidas pela raiva, uma inesperada lição de humanismo.

Durante os primeiros 25 segundos assistimos a mais uma das manifestações de um rio de gente que ocorreram nos últimos dias em Teerão.
Depois tudo muda... e quando pensamos assistir ao inevitável - a violência gerada no meio da turba em revolta - sucede o inesperado: um acto de humanismo.
Emociona presenciar aquilo que marca a diferença entre os homens, felizmente não são todos iguais.





OPEN LETTER TO THE WORLD -
uma tocante carta / vídeo de denuncia e pedido de apoio internacional dirigida aos cidadãos de Estados democráticos

.

Sem comentários: