.

.
.
.
.
.

O ATENTADO

Doa a quem doer, e os meus amigos de esquerda que se aguentem (seja lá o sentido que "esquerda" possa ter no contexto político actual), considero-me uma cabeça racional e emocionalmente democrata, profundamente humanista (os meus amigos de direita consideram-me aceitavelmente "esquerdo-fila" por colocar o Ideal Democrático acima da "realidade" dita democrática mas lá me vão aguentando).

Considero a Liberdade de Imprensa e de expressão como bens fundamentais inalienáveis, seja a que título for.

Considero que a existência da Internet um marco de liberdade, aprendizagem e cultura na história da humanidade;
com todos os seus perigos revolucionou não só a sociedade mas a vida humana concedendo-lhe um novo e nunca imaginado Poder tornando-se imprescindível pela positiva.

Isto posto e firmemente assinado por baixo tenho a dizer o seguinte:

Irrita-me ao ponto da fúria que gajos como o Assange e a WikiLeaks , utilizem um bem fundamental, pertença da humanidade, de forma absolutamente abusiva e irresponsável fazendo perigar a segurança de milhões de pessoas e favorecendo um dos maiores flagelos da nossa era - o terrorismo.
Irrita-me ao ponto da fúria que façam perigar o livre direito de informar e de ser informado, o livre acesso aos meios de pesquisa, a liberdade de expressão.

Não há compreensão possível, não há perdão possível.
Não me venham falar da liberdade de informação, Liberdade não é isto. Isto é como dar a uma criança a "liberdade" de brincar com uma arma. Não me lixem.



Acabei de ler as declarações de Mario Vargas Llosa, Nobel da literatura 2010 após ter publicado um livro que se debruça sobre "as estruturas do poder".
Diz ele:

«A publicação de documentos pelo site WikiLeaks é óptima porque favorece a transparência, mas também perigosa porque fragiliza a essência da democracia»
Ora pois é exactamente aí que bate o ponto, pensei eu que só sou "Nobel" cá em casa porque não há mais ninguém elegível.
«Minha opinião é contraditória; Por um lado parece-me óptima a transparência, que tudo apareça à luz. Isto defende-nos das intrigas, manobras, que estão sempre vinculadas à vida política e sobretudo ao poder.
Por outro lado, se tudo sai à luz, se desaparece toda forma de confidencialidade, de privacidade, não vejo como pode
rá funcionar um Estado.

Os Estados seriam de uma fragilidade tal que as Instituições, uma após a outra, se desprestigiariam e a própria essência da democracia se veria em perigo.

O paradoxo é o facto de serem justamente os Estados democráticos os mais vulneráveis a este tipo de exposição nudista de todas suas interioridades, as ditaduras estão a salvo»

«My opinion (about WikiLeaks) is contradictory.
On one hand, I think the transparency is wonderful, that everything is brought out into the light. This protects us from intrigue, ploys and lies.
On the other hand, if everything comes out into the light, if all forms of confidentiality, of privacy, disappear, I do not know how a state could function

In simple terms, states would be placed in such a vulnerable position that institutions ..., the very essence of democracy, would be in danger

It's paradoxical that it was the most democratic states that were the most vulnerable to this kind of exposure, while dictatorships are saved»

Ainda que o Nobel seja ele confesso que eu não diria melhor, é o que chamo "ora nem mais".

É grave, gravíssimo que sejam expostos assim ao primeiro borra-botas com acesso à Internet, ou aos meios de comunicação social, potenciais e interessantes alvos de ataques terroristas* , segredos de Estado, mas, a meu ver, ainda mais grave, porque com repercussões mais amplas e lamentáveis, são os efeitos que poderão afectar uma forma essencial de liberdade que é pertença de toda a humanidade. É isto que me enfurece.

Al Capone foi preso por fraude fiscal...
Se prenderem este tarado por crimes sexuais é justíssimo, anda a "fornicar-nos" a todos.


*
fábricas de armamento; laboratórios farmacêuticos (vacina contra a raiva / febre aftosa, soro antiofídico, insulinas, Tamiflu), minas de cobalto, radares, cabos de telecomunicações submarinos (ligações de rotas terrestres e energéticas), oleodutos e gasodutos, a maior fábrica de processamento de petróleo, a maior fonte de gás natural, e mais...

Assange e WikiLeaks - sumariamente , história de um fora-da-lei

WikiLeaks, o "bunker" , eles lá sabiam para quê...


.

2 comentários:

Eduardo disse...

Concordo com o que dizes sobre a WikiLeaks, mas julgo que não vais até ao fundo da questão, que quanto a mim resulta da conjugação de uma ambição desmedida, com a ausência ou distroção de valores.

Alex disse...

Olá Eduardo!

Obviamente...
Este gajo tem uma mente criminosa, é um tarado no mais verdadeiro sentido do termo.

Só pretendi "desabafar" a minha posição perante o que se passou e da gravidade que parece estar a ser "ocultada" em nome da "liberdade" de meia-tigela;

Do gajo nem falo, pela mesmíssima razão que não vou ao site da WikiLeaks