.

.
.
.
.
.

VOTOS DE ANO NOVO


Este ano, nas horas que antecederam a Noite de Natal, fiz uma coisa muito feia: em desespero de tempo e cansaço meti o telemóvel numa gaveta, virei costas e nunca mais me lembrei de semelhante objecto.
Ontem, porque saí, fui busca-lo e assustei-me com o número de chamadas não atendidas e de mensagens... Senti-me mal... Hups! Desliguei o bicho e meti-o na mala para o caso de precisar dele.

Só hoje voltei a olhar para o acusador objecto como quem pega num assunto sério a que tem de dar solução. Mas não está fácil...
Estive, finalmente, a ouvir as minhas mensagens de Natal...



Desculpem-me os meus amigos telefonicamente abandonados, e não só porque o pessoal dos e-mails também não teve muito melhor tratamento, mas este ano faltou-me o tempo, a cabeça e, confesso, até o meu habitual espírito natalício.

(Vou ligar-vos, um a um, nada de SMS's em série, dêem-me um desconto...)



Então fiquei aqui sentada a pensar nos votos de Natal, nos desejos de Ano Novo que ouvi...
E os meus?


Pela ordem mais aleatória que se possa conceber começaram a vir-me à cabeça uma dúzia de desejos de Novo Ano


Que todos os Mr, e Ms, Scrooge do mundo tenham encontros com os seus fantasmas passados, presentes e futuros todas as 365 noites do ano ( e em 2012 lhes aconteça o mesmo na noite de 29 de Fevereiro)

Que o José se vá embora que estou farta dele e desconfio que não sou só eu

A paz mundial, claro, para que as "Misses" de todos os tempos vejam finalmente os seus sonhos realizados. E eu também ficava contente, confesso.

Que os gajos que batem nas mulheres sejam todos apanhados numa esquina e que levem um valentíssimo enxerto que culmine numa violação feroz. (não nunca nenhum gajo me bateu mas a coisa enoja-me)

Que todos os gajos e gajas que maltratam crianças, seja de que forma for, sejam apanhados numa esquina e que levem um valentíssimo enxerto que culmine numa violação feroz. (não, nunca fui maltratada mas a coisa enfurece-me)

Que todas as associações que cuidam, de facto, de crianças tenham os meios económicos e humanos para o fazer

Que todos os gajos e gajas que maltratam animais, seja de que forma for, sejam apanhados numa esquina e que levem um valentíssimo enxerto e os deixem fechados numa jaula uns com os outros

Que todas as associações que cuidam, de facto, de animais tenham os meios económicos e humanos para o fazer

Que os terroristas islâmicos entrem todos no paraíso
Os terroristas não islâmicos se encontrem com os islâmicos no paraíso

Que todos os velhos possam viver os seus últimos anos de acordo com a dignidade com que viveram a sua maturidade

Que Justiça se passe sempre a escrever com maiúscula e que Portugal seja pioneiro

Que ganhem vergonha e juízo e mandem "Acordo ortográfico" para casa da mãe


Que a comida que existe no mundo seja melhor distribuída

Que os solos aráveis sejam arados e não se tornem campos de golf ou outras maluqueiras

Que os meios clínicos - técnicos, estruturais e humanos - sejam disponibilizados a todos os seres em função da gravidade e sofrimento inerentes à sua condição

Que a Educação e o desenvolvimento cultural sejam entendidos como bens de primeira necessidade à evolução da espécie humana e não apenas "direitos fundamentais" declarados e ultrapassados.

Que todos os Amigos se revelem de acordo com o que realmente são

Que a sorte proteja os audazes e desnude os cobardes,
que ilumine os solidários e confronte os egoístas

E todos os outros desejos,
ideias e sonhos
que só me assaltam
quando estou quase a adormecer


Para mim? Ora, nada de especial;

que:

o meu filho seja feliz
a minha mãe seja feliz
os meus amigos estejam bem
e "os outros" não me venham à memória
mais tempo para ler
e para os amigos
mais energia
mais dinheiro
rejuvenescer em alegria
uma grande quinta com uma casa, um hotel e uma vinha e cavalos
5 cães, dentro de casa
um zoo doméstico lá fora


um orfanato-escola
boas pessoas para lá trabalharem




.

1 comentário:

Anónimo disse...

UM BOM ANO!

bejinhos, Nanita