.

.
.
.
.
.

BRINCAR COM O FOGO

Duas notícias lado a lado neste dia 9 de Janeiro:

1
«Exportações aumentaram 15% e compramos menos ao estrangeiro»

«As exportações aumentaram 15,1% entre Setembro e Novembro, face ao período homólogo, enquanto as importações caíram 3,6%.
A balança comercial ficou beneficiada em mais de dois mil milhões de euros.
.../...
A taxa de cobertura das importações pelas exportações foi de 78,6%, o que representa uma melhoria de 12,8 pontos percentuais face à taxa observada no período homólogo do ano passado.»

2
«Adesão quase total. Só Leixões trabalha»

«A greve dos trabalhadores portuários, que começou à meia-noite e decorre até sábado, está a contar com uma adesão total, diz o presidente da Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários (Fesmarpor), Alexandre Delgado.
O porto de Leixões, acrescenta o responsável, é o único que não tem trabalhadores
filiados da Fesmarpor e, por isso, está a funcionar em pleno.
.../...
“Não consigo estimar os custos para o país. Obviamente que são elevados.
Qualquer greve sectorial tem sempre custos. Como também nunca foram capazes de nos explicar as mais-valias que geravam a partir dali, difi cilmente podemos deduzir os custos."(vice-presidente da Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários,
Vítor Dias)
.../...
A paralisação tem como objectivo contestar o processo de insolvência da Empresa de Trabalho Portuário de Aveiro.»

«“Não há economia sem logística, que é a circulação sanguínea de todo o sistema.
Não há logística sem portos competitivos e não há portos a funcionar sem uma atitude global de disponibilidade da economia para funcionar. É preciso ver que cada dia de portos parados são os nossos produtos que não saem, são as nossas empresas que estão bloqueadas, são os nossos concorrentes ao nível internacional que ocupam esse espaço. Estamos a mexer no centro nervoso da nossa economia e vejo com muita preocupação estes dias de greve”, disse Pedro Reis, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.»

Pergunto-me se a "contestação ao processo de insolvência da Empresa de Trabalho Portuário de Aveiro" tem em mente a criação de condições para vir a "contestar" processos de insolvência dos outros portos nacionais...

Não digo mais nada, perco sempre a vontade de dizer seja o que for quando vejo brincar com o fogo.


.

Sem comentários: