.

.
.
.
.
.

O CZAR DAS NOVAS RÚSSIAS

Não consigo deixar de estabelecer um paralelismo chocante entre as acções do kaiser Guilherme II de Julho de 1914 e o Putin de Julho de 2014. Um outro mundo, outro contexto, outra ordem internacional, a mesma loucura que (conhece mas) não reconhece limites.

Guilherme II não sossegou enquanto o Império Austro-Húngaro não declarou guerra à Sérvia, mesmo após a Sérvia ter aceitado as rocambolescas condições do ultimato. (Consola-me saber que após a declaração de guerra Guilherme II também não voltou a ter sossego)

Ontem, apesar de veículos militares russos, artilharia e tanques inclusive, terem entrado continuamente em território ucraniano -  alguns dos quais capturados ontem mesmo juntamente com documentos militares e civis russos*(ver link/video1) -  foi acordado que após a inspecção dos camiões a carga de "ajuda humanitária" seria passada para camiões mais pequenos e, acompanhada pela Cruz Vermelha em grupos de 30, passaria a fronteira rumo às cidades mais martirizadas do sudeste da Ucrânia.

Hoje deu-lhes na "veneta" e resolveram passar a fronteira; apenas 30, dos 270, camiões haviam sido inspeccionados e não houve qualquer escolta da Cruz Vermelha porque "não puderam ser garantidas condições de segurança pelas facções combatentes". Ou seja: concretizaram uma invasão do território ucraniano com todo o descaramento. Disseram estar cansados de tanta demora...


Mais...
O ministro dos Negócios Estrangeiros russo avisou hoje o governo da Ucrânia que não admite qualquer tipo de interferência com o "comboio humanitário" que "tanto tempo levou a preparar com toda a transparência e em cooperação com o lado ucraniano e com a Cruz Vermelha internacional" (REUTERS 22/08)*Video2

*2http://www.reuters.com/video/2014/08/22/tensions-rise-as-russian-convoy-crosses?videoId=340741539

Que dizer??? É absolutamente ES-PAN-TÔ-SO!

O que quer Putin?

Desde que invadiu e anexou a Crimeia a popularidade de Putin tem vindo a subir.
As formatadas cabeças russas ainda não perceberam o que lhes vai cair em cima durante os próximos anos; ficarem sem McDonalds será a mais ingénua das suas festas...
 Foram ultrapassados durante a Guerra Fria que, obviamente, nunca deixou de existir, e voltam a sentir-se fortes, estão a dobrar o ocidente - que os teme, que não se atreve a enfrenta-los - e voltam a sentir o apetite por uma "Nova Rússia", mas não a assim referida Crimeia, uma "Nova Rússia" renascida das cinzas da sua saudosa URSS.
Dizem os entendidos que Putin foi atrás dos altamente plausíveis depósitos de gás e petróleo no Mar Negro adjacente ao sudeste da Ucrânia, e, já agora, a estratégica posição geográfica da península da Crimeia...
 Ter petróleo no jardim ou uma piscina que vá desaguar no Mediterrâneo não são coisinhas que se desdenhem mas, na minha humilde opinião, não é isto que desperta a adrenalina a um Putin-todo-poderoso que aparece para os jogos do xadrez mundial e, nos intervalos, troca as peças e movendo-as a seu bel-prazer.

Putin acredita que o Ocidente não se atreverá a ataca-lo para além das sanções económicas, as consequências apresentam-se demasiado aterradoras; e quando tiver conseguido os seus objectivos poderá colmatar com vantagem os efeitos das sanções.

A história do mundo já não é o que era no tempo de Ivan o Terrível, nem sequer no tempo de Stalin. O mundo perdeu a sua tolerância para com a tirania, de há umas décadas para cá têm uma marcada tendência para acabar, e mal.

Sem comentários: