.

.
.
.
.
.

UM HOMEM DO 25 DE ABRIL



 SALGUEIRO MAIA
    1944 - 1992





A grandiosidade da nobreza de carácter não se põe em bicos dos pés, não reivindica atenções dúbias, não faz birras de frustração
Um homem nobre faz o que tem a fazer de acordo com as suas convicções, faz aquilo  que acredita ser o correcto e necessário; depois não grita aos quatro ventos o quanto é grande, a história encarrega-se de o fazer, com uma elegância inimitável.







  «Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados corporativos e o estado a que isto chegou! Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos. De maneira que quem quiser, vem comigo para Lisboa e acabamos com isto. Quem é voluntário sai e forma. Quem não quiser vir não é obrigado e fica aqui.»
Salgueiro Maia, madrugada de 25 de Abril, 1974, Escola Prática de Cavalaria, Santarém. 






«A revolução em Portugal», 1974 
(Centro de Documentação 25 de Abril - Universidade de Coimbra)

Para ler a entrevista na integra clicar no link:   Entrevista de Salgueiro Maia


.

Sem comentários: