.

.
.
.
.
.

A PORTUGUESES COM FILHOS NA ESCOLA


A Drª Madalena Homem Cardoso, médica, no exercício do poder paternal para com a sua filha, e educanda, uma menina de 7 anos de idade, aluna do 2º ano do ensino primário, escreveu uma carta ao ministro da Educação, no dia 24 de Março do corrente ano, a qual veio a ser noticiada pelo jornal "Público" a 5 de Abril; Inicia-se nos seguintes termos:

«No exercício do poder paternal, cumpre-me dirigir-me a Vossa Excelência para, com a maior deferência, comunicar ao Ministério da Educação e Ciência, na pessoa do seu máximo responsável, que não posso de forma alguma autorizar que a minha filha e educanda Inês --------, com sete anos de idade, aluna nº-- do 2º ano (Turma -) na EB1-------- , seja ensinada de modo não conforme à ortografia actualmente em vigor (aquela que foi promulgada pelo Decreto-Lei nº35 228/1945 de 8 de Dezembro,e depois ratificada com alterações mínimas pelo Decreto-Lei nº32/1973 de 6 de Fevereiro, sendo que, até à data, nada na ordem jurídica portuguesa veio revogar estes Decretos-Lei

Em particular,no papel de encarregada de educação,não do posso anuir a que a aprendizagem da minha filha seja perturbada pelo auto-denominado "Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa(1990)(que passarei a referir por "AO90", o qual
nâo é "acordo", pois conta com a oposição quase unânime dos especialistas em língua portuguesa e da esmagadora maioria dos falantes-escreventes de Português de Portugal,tendo resultado de uma anti-democrática e anti-patriótica sucessão de atropelos ao bom senso e à Lei, e o qual não é "ortográfico",pois contradiz em si
mesmo a própria noção normativa de "ortografia" ao consagrar facultatividades e excepções como regras .../...

Mais solicito que a observância pela ortografia em vigor se verifique no presente ano lectivo e seguintes .../...»
Segue esta carta, plena de fundamentos específicos e bem sustentados, encontrando-se disponível no seguinte link: http://static.publico.pt/docs/educacao/carta.pdf

O ministério da educação afirma que só recebeu dez cartas a protestar pela aplicação do acordês.
Acredito piamente. Os portugueses protestam, protestam mas não actuam, esperam sempre que alguém faça alguma coisa, que apareça feito.

Pois bem...

Aqui fica a sugestão (o repto...) lançado no "Causes" "Pela Língua Portuguesa contra o "Acordo":
E que tal escrever ao Ministro a dizer que apoia a Dra. Madalena Homem Cardoso?
Basta dizer que "Sou pai/mãe/encarregado de educação e apoio a posição da Dra. Madalena Homem Cardoso!
O mail é: gabinete.ministro@mec.gov.pt
Ou use o portal do governo ( http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-educacao-e-ciencia/contactos.aspx?rc=3729 ).

Pela parte que me toca já não contarão 10 cartas mas 11
E mais? Vá, mais! Vamos mexer-nos, sim?
É SÓ ENVIAR UM E-MAIL!

PS - E quem não tem filhos na escola bem pode alertar quem tem, não é?

.

Sem comentários: