.

.
.
.
.
.

STAR WARS IN CONCERT - PARA ALÉM DO FANTÁSTICO

QUANDO A CRIATIVIDADE, O GÉNIO E O VIRTUOSISMO SE FUNDEM EM ENCANTAMENTO






As imagens dos 6 filmes da saga Stars Wars de George Lucas fazem renascer em nós um incondicional acordo em revivermos todos os sentimentos e emoções com o fascínio
e inocência de quem mergulha profundamente naquela aventura, esquecendo o mundo, o dia a dia, a nossa galáxia, que se torna, por umas horas, longínqua e insignificante; Vivemos as horas dos heróis, dos vilões, dos cavaleiros e dos sábios - e nós ali com eles, vibramos, saltamos, encolhemo-nos, sustemos a respiração, respiramos de alívio, e sorrimos, sorrimos sem pensar.


Para que este fascínio funcione em pleno não podemos prescindir...




A empolgante e sedutora música de John Williams - é nela que reside a magia que torna possível a forma indescritível como somos envolvidos de coração e cabeça até ao âmago da alma.
Pessoas assim, como o grande John Williams, nunca deveriam desaparecer, são tesouros da Humanidade.





Last but not least...



A irrepreensível interpretação da Royal Philharmonic Concert Orchestra; a força, heroísmo, doçura e graça com que, "como quem bebe um copito de água" preenchem o espaço em que todos nós respiramos, ao ritmo do que ouvimos vemos e sentimos.
Dirk Brossé,
para além de um soberbo maestro, diria que é precisa muita distracção para não notar a facilidade de comunicação que este homem tem não só com a sua orquestra mas também com o narrador e com o público, sem uma só palavra. Notável.

Inultrapassavel é também o espantoso coro de 120 figuras que acompanha a orquestra.
Torna-se difícil manter a consciência de que se trata de um couro ao vivo e não de uma banda sonora gravada em estúdio que acompanha o som dos filmes. Não tenho palavras.



Não quero deixar de referir...



A narração das histórias,
que
decorrem ao longo dos 6 "episódios" de Star Wars, não poderia estar melhor entregue:
o actor britânico Anthony Daniels, que esteve presente em cada um dos 6 filmes na pele, ou melhor dizendo, na armadura dourada do impagável robot C-3PO, faz a narração em pequenas interrupções ao longo do concerto, apresentando personagens, explicando motivos e desenvolvimentos, introduzindo os diversos capítulos em que foi dividida a narrativa subjacente à música.

A simpatia, a graça e a classe deste narrador são francamente insuperáveis; são sem dúvida momentos agradáveis deste espectáculo que, de outra forma poderiam ser transformados em quebras maçadoras e mal recebidas; Nada disso, foi um "apresentador" que cumprimentou o seu público em português, agradeceu , brincou
e despediu-se em português e ainda nos perguntou com um divertido sotaque após o final do espetáculo: "Maisss ûmá?"


Posto isto nem vale a pela dizer o quanto gostei deste Star Wars in Concert; fascinou-me do princípio ao fim. E no fim estaria pronta para recomeçar. Eu e não só, estou certa a avaliar pelos entusiásticos e demorados aplausos em pé que deram origem a um simpático "encore" que, mesmo assim, soube a pouco. Espantoso.


A FORÇA ESTEVE CONNOSCO



FOTOS E MÚSICA AQUI

2 comentários:

Hugo Bringel disse...

Simplesmente espantoso! Vale a pena rever ao vivo e em DVD se um dia for publicado. Uma obra prima.

Alex disse...

Olá Hugo!

Então tiveste uma comemoração de aniversário em cheio... Não é para todos; O Luis Ricardo foi pelo teu caminho, também teve esta fabulosa prenda de anos.

Parabéns para ti, atrasados mas com carinho.