.

.
.
.
.
.

AS 270 SOMBRAS DA DEMOCRACIA

Já não estamos em 1787.
Já passamos a primeira década do séc.XXI.
A comunicação e informação tornou-se global,
instantânea e individualmente acessível.

Eu, portuguesinha, não tenho nada com isso mas sofro desta mania de ter de entender o sentido das coisas:
Que sentido faz presentemente a manutenção de um Colégio Eleitoral em
detrimento do voto popular directo?
(sim, está bem, mas agora apetece-me fingir que sou completamente parva)

Aconteceu em 2000  (Buch 47,9% : Gore 48,4%) , já tinha acontecido antes por duas vezes e este ano voltou a acontecer (Trump 47,5% ; Clinton 47,8%  +283.289 v)
Trump teve uma grande vitória, huge! Teve?
Teve, de acordo com as regras, claramente estabelecidas e válidas para todos os candidatos-
Estas regras permitem a verdadeira expressão do voto popular?
Muitas vezes sim, outras vezes não; às vezes lá calha, desta vez não calhou.
...mas se eu fosse americana estava a fazer uma fogueirinha com aquelas páginazinhas da Bill Of Rights

Como perguntava ontem à noite um Prof. de ciências políticas muito pertinentemente:

With 92% of the total votes counted Hillary has 200,000 more votes nationwide than Trump.
Imagine if Trump lost and had more votes?!


Conseguem imaginar? Pois... RIGGED ELECTIONS!!!

Eu, portuguesinha, estou mais contente do que nunca por não ser americana;  e por cá podemos ter um primeiro-ministro que não foi eleito mas, pelo menos, sabemos exactamente por quanto ele perdeu as eleições.

Sem comentários: