.

.
.
.
.
.

NÃO FAZ MAL PENSAR NISTO

Caiu-me sob o nariz um poster que se encontra colocado na casa-de-banho das senhoras num bar em Lincolnshire, Inglaterra. No tal poster explica-se que se disponibiliza ajuda a quem sentir que se encontra numa situação de perigo ou mera desconfiança relativamente ao(s) seu(s) acompanhantes dentro do bar; nesse caso pode dirigir-se ao balcão e perguntar pela "Angela"; esta palavra-código alerta os funcionários para a situação e será chamado um táxi ou acompanharão a pessoa até ao exterior de forma discreta mantendo o(s) acompanhante(s) "debaixo de olho" dentro do bar.



É verdade que raramente se encontrará uma "Angela", ou qualquer prima dela, pelos bares e discotecas mas esta iniciativa lembra que a qualquer momento nos podemos dirigir à casa-de-banho e chamar um táxi pelo telemóvel ou escrever numa folha de papel-higiénico "Por favor chamem-me um táxi" ou "Preciso de ajuda para sair daqui sozinha e discretamente".


É, eu sei que parece evidente mas perante uma situação confrangedora nem sempre se consegue pensar na via mais fácil e mais segura.
O simples "Vou-me embora" pode despoletar reacções indesejadas das quais a mais frequente é o "Acompanho-te a casa" e o sequente diálogo chato que pode acabar mal; A simples "Saída-porta-fora" sozinha também não será a melhor das ideias, sobretudo numa situação de perigo, pressão ou ameaça.


Nota: 
"The #NoMore campaign, held from Sept. 26 to Oct. 2, was designed to raise awareness for ending sexual violence and abuse, support and empower victims, and help spread the word on the various support services the organization provides."
“The ‘Ask for Angela’ posters are part of our wider #NoMore campaign, which aims to promote a culture change in relation to sexual violence and abuse, promote services in Lincolnshire, and empower victims to make a decision on whether to report incidents,”
.

Sem comentários: