.

.
.
.
.
.

UMA GRANDE IDEIA!

Quando eu era criança pequena e oferecia um desenho (eram as minhas prendas, que mais poderia eu dar?) creio que nem me passava pela cabeça perguntar qual seria o seu destino ( ou até talvez preferisse não saber alertada por algum sinal de condescendência mal amanhada expressa naqueles insípidos "está muito bonito"). Quando, por vezes, vinha a encontra-lo guardado numa gaveta ficava silenciosamente contente, sentia que o meu desenho tinha tido alguma importância, ou talvez fosse mesmo bonito.

Depois (não muito depois) passei à fase artística e fazia exposições pela casa. Estivessem os meus desenhos muito bonitos ou não eu achava que expressavam o que me ia dentro e, portanto, expunha-os, quer gostassem deles ou não, não era a aprovação que me movia.

Não sei se me corre nas veias sangue de artista ou não, estou-me nas tintas (e pincéis e outros materiais), sei que tenho a necessidade de me expressar plasticamente mesmo nas coisas mais quotidianas. As mudanças frequentes que arrasto pela casa, seguidas das (necessárias?) alterações que me divirto a fazer ou as pouco ortodoxas paredes do meu quarto são disto provas visíveis.


O meu filho não renega os genes maternos. Desde que teve a capacidade de garatujar começou a manter canetas e lápis a um alcance fácil (as prateleiras mais baixas) e mantém material de desenho no quarto dele, na sala, na cozinha. Ao contrário de mim, sempre fez questão de guardar grande parte da arte produzida (que de vez em quando tenho de seleccionar discretamente sob pena de me vir a tornar fornecedora de uma recicladora de papel) e mantém-se atento ao destino levado pelas preciosas e seleccionadas ofertas que faz; Ai do desafortunado que se esqueça de levar consigo uma prenda desenhada pelo seu punho, no mínimo será um ingrato e poderá mesmo vir a ser (temporariamente) proscrito devido à insensibilidade demonstrada.


Essa coisa das exposições também lhe toca periodicamente. A primeira visitei-a à saída de um duche em que permaneci mais prolongadamente... Tinha a cozinha coberta com uma espécie de pinturas rupestres. Tratei logo de delimitar os espaços de exposições futuras e os materiais utilizados ( mas não há resma de papel A4 que me pare nesta casa)

Comprei uma serie de ímanes para o frigorífico (costuma ser um espaço apreciado e até cinematográfico) mas a ideia não durou muito - «Frigorífico? Fica tudo estragado, manchado e molhado num instante.» Bem... pelo menos o rapaz não é parvo.

Esta semana o pirralho inventou que tinha de fazer um desenho para um concurso do Canal Panda (o concurso existe de facto mas já cuidei de me certificar que não requer ou sugere qualquer desenho).

Durante toda a semana, (que aliás não foi para ele, consequentemente para mim, das mais fáceis que temos passado) levou a falar no desenho, no que havia de desenhar e como e sei lá mais o quê. Obviamente não o contrariei (o rapaz não é parvo mas tem a quem sair...).

Ontem, sexta-feira, lá deu o desenho por feito embora sem que o seu espirito artistico estivesse muito convencido «mas tem de ir para o correio, é o último dia» (mas onde é que ele foi buscar esta?).

Correio? Sim, claro, amanhã - disse eu às seis e meia da tarde, estafada e a caminho de um duche-tiro-e-queda.

- "Amanhã? Amanhã é sábado não há correio! Temos de ir hoje àquele correio que está aberto até tarde que fica na praça grande da rua das árvores" (leia-se Restauradores)

- "QUÊ?", saiu-me alto e esganiçado.

À sexta-feira, a esta hora, com o corpo a pesar-me arroubas e a cabeça em greve, ir para os Restauradores, com o trânsito maluco e cortado junto ao rio, para enviar uma carta com um desenho para um concurso que não vai premiar desenhos? Ai como é que eu me safo desta...

A verdade é que este miúdo, corajoso e esforçado, acaba ter umas semanas filhas da mãe e não está no melhor momento para lidar com mais desilusões desnecessárias.
- "Olha, já sei, vamos enviar pela internet", disse-lhe eu contente comigo por ainda ter sido capaz de desarrincar uma ideia do meu dormente cérebro. E lá o convenci...

Pus o desenho no scanner, abri o site do Canal Panda, abri o meu e-mail, fiz um auto-envio, dei mais uma volta para reforçar a veracidade da operação e fui tomar duche. Duuuuccccchhhheeee!

Estava eu naquela fase em que retiramos o champô do cabelo, com a água quentinha a lavar-nos o cansaço da alma, quando o meu rebento bate à porta, já dentro da casa de banho, para me comunicar a sua última grande ideia:

- "Mamã já sei onde é que vou fazer uma exposição: NO TEU BLOGUE! Não é uma grande ideia?"

Nem vale a pena contar o resto da conversa, seria muito esforço para pouca produção. Ainda me passou pela cabeça fazer um blogue para ele mas recuei a tempo de me aperceber das implicações.

- "Podemos começar hoje com o desenho dos Transformers que já lá tens, não é?"

Suspirei... Suspirei... Suspirei...

- "É um grande ideia, sem dúvida. Está bem mas tratamos disso amanhã, ok?"


7 comentários:

Anónimo disse...

o "pirralho" tem futuro como artista. O melhor é começares a pensar na criação de um blog para ele. Não tarda está a saber ler e depois não vai gostar dos textos que a mãe escreve quando introduz as suas obras de arte.

beijinhos, Nanita

O Pinoka disse...

Aproveita e incentiva-o.
Nunca se sabe se não terás em casa um futuro arquitecto,pelo menos.

Beijocas e bom fim-de-semana.
Obrigado pela preocupação. Simpática.

myself disse...

sempre adorei "vernisages" mas onde
estão os pontinhos vermelhos para as reservas?
Bjinhos

Manel B. disse...

Olá Luis my friend, com'é qu'é???
Tudo em alta???

Olha, só pa dizer que curti bué os teus "graphics" (desenhos), e já agora queria perguntar se também fazes a pedido, porque eu tava a pensar encomendar-te um mas com o Surfista Prateado, assim do tipo como fizeste dos Transformers, mas com o Surfista Prateado, pode ser??? O quê? Não conheces o Surfista Prateado? Então pede já à Mamã para ir comprar uma revista dele à papelaria, e não me interessa se ela tá muito cansada e a pensar no duche-tiro-e-queda, já te deveria ter apresentado o Surfista Prateado o melhor dos super-heróis.
Depois quando o desenho estiver pronto, não é preciso pedires à Mamã para o pôr no correio para mim, basta que ela me convide a mim e à Tia Jony para um cafezinho, e logo mo darás ok???

Então fico à espera, até lá mando-te um beijo e um abraço fortes, outro para a Mamã e também para o Merlin, Piriquitos e Peixes,

Manel (da Tia Jony)

Alex disse...

Nanita,
Não sei se o pirralho tem futuro como artista mas tê-lo-à sem dúvida como argumentista... Quanto ao blog, sinceramente não preciso ir arranjar mais sarna para me coçar; acho que sim mas tem tempo, vou deixar que ele tenha mais essa "grande ideia".
Beijos para ti também.


Pinoka, OLÁAAA!

Este tipo só precisa de incentivos para fazer os TPC, de resto já nasceu incentivado; creio que ele irá ser um futuro muitas-coisas, varia com o dia da semana, o estado do tempo, o heroi da semana, etc.
Eu não estava bem preocupada... mas foi agradável constatar que não havia novidade na costa.
Beijinho para ti e à Pinokinha.


Myself (ou deveria dizer Yourself?)

De ti pouco mais sei do que usas uma ligação PT Prime - Soluções Empresariais, que tens um sistema operativo Microsoft WinNT em português, que usas o Internet Explorer 7.0 num monitor com uma resolução 1440 x 900 em 32 bits de cor: Posto isto acho que és capaz de estar grávida...
Pois, o "vernisage" foi podre de chic, mas só por convite ( e para enviar o convite preciso de um nome). Fica para a próxima que, segundo os meus cálculos, não deve tardar muito.

Manel,
Estás sempre convidado para o café, tal como a Tia Jonnie e a minha querida Mary, e para aquela parte de garfo, faca e tinto antes do café. (Já temos saudades vossas, mesmo)
Agora... ESTÁS PROÍBIDO DE FALAR COM, OU AO PÉ, DO MEU FILHO. Depois de lhe ler a tua mensagem o miúdo sai-se com um: "O Tio Manel é bué da maluco". O problema não está no facto de ele topar o estado de insanidade mental do Tio Manel mas esta do "BUÉ DA" fritou-me!BUÉ DA?
Oh Manel, ponha-se au pau senão o Tio só entra no Principado amordaçado, tá-a-ver...Inda pcima não dá jêto nenhu pa cmer, psebe?
Vá lá, bjinhos pa si.
PS- telefona para combinar um pastel de bacalhau

Emiele disse...

Mas que coisa mais esquisita. Escrevi um comentário a seguir ao «myself» e antes do Manel B. Se não está cá é prque devia estar mais cansada ou coisa assim e não cliquei na janela do "Publicar" apesar de ter ideia de ter escrito as letras do código e tudo!!

Pronto, lembro-me de ter aplaudido a persistência do LR (e alias a tua foto aqui até parece mesmo ele...) e pensado que realmente o desenho é a «escrita» da criança. Antes de escrevermos como deve ser, desenhamos. Quando eu era criança não se estimulava assim tanto essa forma de expressão, e contudo, até eu tenho guardado para aí, uns desenhos que fiz mais ou menos na idade do teu filho. :) E tinha andado num malfadado Jardim de Infância onde nos ensinavam a desenhar em linhas rectas! (lembras-te de eu ter relembrado isso no almoço com o teu amigo arquitecto? ele lembrava-se bem)
A ideia do blog para o próprio não me parece nada mal. Assim tem uma exposição permanente e à sua medida. Outros tempos, heim?!

Alex disse...

O teu comentário deve ter sido comido por quem descascou a maçã e se esqueceu dela na cozinha (LOL)

É, a foto estava tão parecida que houve quem julgasse que era ele - tirei-a, isto é, transformei-a por isso mesmo depois de um amigo me ter chamado a atenção.

Por agora não vou abrir um blog para ele; egoísmo ou não a verdade é que sei que iria ter publicação diária e em série nos tempos mais próximos o que, contando com scannings e refilices iria ocupar um tempo que sinceramente não me vejo a conseguir dispor de bom grado. Por agora vou partilhando quando lhe der na real gana
Beijo.