.

.
.
.
.
.

MARIA, 18 ANOS, SOU FAN


Hoje a minha muito querida Maria faz 18 anos

(à parte aquela mania esquisita de ser do Benfica,)

É uma pessoa invulgar, especial, especialíssima

Os 18 anos da Maria equivalem aos vinte e tal, trinta, de muito boa gente que anda por aí; atenção, não quero com isto significar que a Maria é uma miúda batida, vivida, sabida. O que penso não passa nem cruza essa vertente. O que desde muito tenra idade a Maria demonstrou, e manteve, é uma maturidade incomum, uma sensatez admirável, uma invulgar capacidade de superar o menos bom e de deixar transparecer o melhor, na vida, na personalidade, no relacionamento.
A Maria é uma daquelas raras pessoas para quem olhamos e em quem somos compelidos a confiar: tudo na Maria é franco, é autêntico, "é assim e quem gosta gosta e quem não gosta paciência", mais vale desgostar do que enganar.
Neste ponto é melhor ressalvar que a Maria não é santa nem sequer isenta de "lado lunar" (credo, longe vá a perfeição). É uma rapariga normal com qualidades importantes, e que vão rareando, com "pancas" e atribulações próprias. Um sentido de humor finíssimo, uma humildade discreta e nada servil, uma capacidade inata para apreender situações omitindo juízos levianos, fazendo-os na apreciação ética.
Tem a enorme vantagem, perante a vida, de saber tanto quanto possível o que quer e, mais importante aos 18 anos - quero dizer, sobretudo aos dezoito anos - também sabe o que não quer, q.b. Não se pode exigir mais, não se pode sequer pedir mais.

Minha muito querida Maria,

Que o vento te sopre sempre pelas costas e que continues a saber contornar, ultrapassar ou mesmo escalar as pedras que sempre pontuam o caminho da vida.
Que permaneças essa torre de força que encerra uma sensibilidade camuflada e a beleza mansa da sabedoria.
És uma Alma Antiga, sei que não te irás perder nos labirintos com que a aprendizagem da vida nos põe à prova.

Um abraço tão longo e apertado que até chateia.
Alex








Um abraço cheio de recordações para a João e para o Fernando,
hoje como há 18 anos.

Beijinhos nas bochechas da Alice e do Salvador

___________________________

PS- a 26 de Setembro

Maria,
Não creio que tenhas sequer uma vaga ideia do quanto gostei de estar contigo - e com os teus pais, avó, amigos, e os teus irmãos caçulinhas - ontem à noite.
Sabes, é que quando somos "testemunhas" da vida das pessoas, sobretudo daquelas de quem gostamos muito, acabamos por sentir muitas coisas que elas sentem; e ontem foi uma noite de bons sentimentos, de emoções profundas, de amor verdadeiro no ar. E eu tive a bênção de lá estar.

.

5 comentários:

Afonso Brás disse...

Olá Alexandra.

Foi por via da Maria que vim parar ao seu blog. Eu sou o Afonso, o melhor amigo da Maria (e ainda bem!), que também esteve presente na festa surpresa. Por acaso foi ela que me mostrou este seu post. Não poderia estar mais de acordo. Desde que conheci a Maria que percebi que ela era especial. E conheci-a da forma mais natural que poderia conhecer. Certa aula, estávamos nós no segundo ano, a Maria estava a perguntar quem tinha uma borracha que lhe pudesse emprestar. Imediatamente eu disse que sim, que lhe poderia emprestar a minha. Esse momento marcou o início de uma amizade que dura até hoje. Sabe, eu acho que o destino quis que nós nos encontrássemos e que nunca mais nos separássemos. E assim foi: há doze anos que andamos juntos, sempre na mesma turma, sempre ao pé um do outro. E por mais estranho que possa parecer às pessoas (a mim não me parece), não nos fartamos um do outro. Muita gente diz: porque é que nao se casam? Obviamente que não. Tanto eu e a Maria sabemos perfeitamente que nós nao fomos feitos para casar um com o outro, mas sim para partilhar a vida um do outro da forma mais bonita e sensata que pode haver, a amizade (além de que se nos casássemos não aguentávamos muito tempo juntos!) Eu aprendi, e continuo a aprender, imenso com a Maria ao longo destes anos. Ela foi muitas vezes o meu "pilar de salvação" para todas as situações. E sei que o contrário também se passou, e também se passa. Se discutimos? Sim, mas no dia seguinte já está tudo resolvido. É por todas estas razões que a Maria é especial. E eu sei que nunca me irei separar dela. Obrigado pelo seu texto e felicidades!

Afonso Brás.

Alex. disse...

Pois é Afonso, a Maria conquista-nos, de vez.
Um beijo para ti

Anónimo disse...

FERNANDO P. disse:

Conhecer a Maria é um privilégio. Quem o diz é a pessoa mais suspeita do mundo, eu sei. Mas nada me vai fazer mudar de opinião. Tudo aquilo que disseste Xana, define na melhor perfeição uma miúda, perdão de uma Mulher que cresceu atirada para coisas difíceis, complicadas, mas a quem, como diz o ditado, o que não nos mata torna-nos mais fortes.

É esta a minha Filha mais velha.

Uma mulher de corpo inteiro, de espírito aberto, de convicções fortes, uma força de carácter interminável, disponível para o que der e vier.
Assim é fácil gostar-se dela.

No passado sábado, confesso alguma tensão inicial. Mas bastou ver as chispas de felicidade a brotarem dos olhos dela, por ver deixadas lá fora diferenças, ressentimentos, batalhas, querelas e outras que tais.

São pessoas com tu Xana ou tu Afonso que completam aquele ser maravilhoso. Se aqui há alguém a dar graças por poder testemunhar toda aquela imensa alegria sou eu. Falta-me o discurso, porque a freguesia é demasiada incómoda.

Só mesmo para acabar, quero deixar agradecimentos:
á Maria João por ter tido esta ideia.
Á Fátima por ter dito logo sim. Aos irmãos que lhe enchem o peito de felicidade.
Ao Manel pelo amigo que tem sido. Á gaijada da escola (simplesmente fantástica).
Á família e aos amigos presentes. Á minha cunhada e ao Rui.
A ti Xana seres amiga do peito da Maria e por teres dito ao mundo que ela existe.
A ti Afonso, por seres aquilo que és para a Maria.
Desculpa ocupar este espaço. Para mim é curto, porque tinha muito mais para escrever e dizer.
A todos, sem excepção, um grande, enorme obrigado por fazerem parte do lado bom da minha Filha.

maria joao disse...

Querida amiga, estou sem palavras, e cheia de lágrimas de felicidade, com tudo o que foi escrito para a minha filha.
Foi com muito orgulho e ainda com mais emoção que li todas as tuas palavras, do Afonso e do Fernando. Ela é realmente um Ser especial, a minha companheira de vida, para toda a vida...
O que se passou no sábado foi magia pura.Para mim, e agora sei que também para a Maria, foi um sonho tornado realidade.
Obrigada a ti Xana por tudo o que escreveste e por seres como és, a ti Afonso, por seres o amigo que todos gostavamos de ter, e a ti Fernando por seres o pai que és.
Aproveito para agradecer a todos os que participaram nesta festa de ALEGRIA.
Aqui vai um agradecimento especial para a minha mãe(que provavelmente não vai ler este comentário)que tem sido o nosso pilar nesta vida, e que tornou este sonho em realidade.
Agradeço ainda à Fátima (eu sabia que tinha dito logo que sim!), ao Fernando que conseguiu vencer a tensão, e ao Manel, que para além de ser o meu verdadeiro companheiro, tem mostrado que não é preciso ser Pai para amar alguém.
beijo grande

Alex. disse...

Querida, querida Johnnie,

Que queres que te diga?
Valeu! Valeu tudo, todos os montes e vales, as pedras no sapato. E as gargalhadas, os abraços, as conversas que afinal não eram difíceis porque eram bem ouvidas.

Estamos cá, estamos bem. Muito bem

E diz à tua mãe que foi bom abraça-la.

Para ti... o costume.