.

.
.
.
.
.

COREIA DO NORTE, A LOUCURA IMINENTE

"Big Brother is whatching you"
Kim Jong Un, pegou num país que é uma potência nuclear, fechado ao mundo e à informação, 
elevando o conceito de ditadura militar à potência máxima, acente na propaganda, no egocentrismo e na megalomania. Kim Jong Un é um senhor feudal do século XXI, com a tecnologia do século XXI e um poder medieval. É um líder incontestado que brinca com o seu país, o seu povo e com os meios que dispõe como um puto mimado e arrogante que põe e dispõe a seu bel prazer brinca com o seu tamagotchi*

Esta manhã, quando acordei com a Euronews notei que se deu uma escalada em progressão geométrica na crescente preocupação relativa às inacreditáveis ameaças norte-coreanas
Logo entendi... Kim Jong Un festeja o seu aniversário na próxima segunda-feira, dia 15 de Abril... Dada a sua personalidade, atomicamente concentrada no seu umbigo, que parece ser também o do mundo, não será de estranhar que decida festejar a sua vinda ao mundo com "foguetes" e festa de "arromba", vindo dali tudo, mas tudo, é possível.
A meia-noite norte-coreana chegará nove horas antes da nossa, ou seja, a partir das três da tarde de domingo GMT não será desinteressante estarmos atentos ao "Parabéns a você" cantado pelo exército na Coreia do Norte...

 Tamagotchi*- brinquedo que consiste em cuidar do animalzinho virtual como se fosse real, dando-lhe carinho virtual, comida virtual, banho virtual, cuidados virtuais etc.


Abaixo deixo um artigo publicado hoje  na RTP notícias on line.
Não se trata de uma análise militar, essas são gotas de água na "realidade da imprensa", nós, comuns mortais, estamos a milhas de ter uma noção da realidade; chega até nós o que deixam que chegue e o que pretendem que chegue.
Trata-se de uma análise de perfil e intenções inserida num contexto histórico e circunstâncial.
Interessante.
 ----------------------------------------------

Jeon Heon-Kyun, Epa - 11 Abril 2013.
 
«Zhang Liangui, um conceituado professor da Escola do Partido em Pequim, veio hoje a terreiro advertir os numerosos comentadores chineses, sul-coreanos e norte-americanos contra o perigo de sub-estimarem o risco de uma guerra desencadeada pela Coreia do Norte. Segundo Liangui, a probabilidade de uma guerra é de 70 a 80 por cento. Em declarações hoje publicadas no diário Huanqiu, o professor Liangui sustenta que a direcção norte-coreana tem o objectivo de unificar as duas Coreias por meio da guerra. Aquele perito desenvolve ali uma análise psicológica a dois níveis: o da dinastia reinante em Piong Iang e o da população.»


«Ao nível da direcção, Liangui afirma que Kim Il Sung, avô do actual líder, ficou na História como fundador do Estado norte-coreano; o seu filho Kim Jong Il, pai do actual líder, será recordado por ter feito do país uma potência militar e por ter lançado, com o teste nuclear de 2009, os fundamentos para uma unificação da península coreana pela força; e Kim Jong Un, filho e neto dos dois líderes anteriores, pretende imortalizar-se pelo feito da unificação coreana.

Liangui não entra em considerações quanto à situação económica da Coreia do Norte, nem quanto ao efeito das dificuldades económicas sobre a apetência por uma unificação com a metade mais rica do país.

Mas desenvolve uma outra análise psicológica, sobre o efeito de uma prolongada propaganda na percepção dos norte-coreanos sobre a força militar do seu país. Segundo Liangui, essa propaganda incute à população a convicção de que a Coreia do Norte é o único país que está à altura de poder enfrentar os Estados Unidos e que teria até facilidade em derrotar os EUA. O mesmo perito considera também largamente difundida a convicção de que a liderança norte-coreana tem um plano para tomar a Coreia do Sul em três dias.

Este ponto de vista é entretanto reforçado pelo de um perito norte-americano, Brian Myers, que defende a existência de um círculo vicioso que a propaganda triunfalista cria para a própria direcção norte-coreana. Depois de tanto ter afirmado a sua superioridade militar e a facilidade com que pode derrotar a Coreia do Sul, Piong Iang estaria agora pressionada pelo próprio ambiente que criou na população.

Hoje também o editorial do "Diário do Povo", órgão do PC Chinês, advertia a Coreia do Sul de que não deve subestimar as ameaças bélicas do Norte. O artigo avisa também o regime de Piong Iang de que estará a hostilizar a comunidade internacional se for além de um direito à legítima defesa e se se tornar um factor de instabilidade regional, em flagrante desafio às resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Para além da agitação mediática em torno do tema, há medidas com efeitos práticos a serem tomadas: a China fechou hoje aos turistas a fronteira com a Coreia do Norte próxima da cidade de Dandong
   _____________________________

North Korea delivers new round of war rhetoric


.

Sem comentários: