.

.
.
.
.
.

ESTOU LOUCA COM JOSÉ

"O primeiro-ministro acredita que a economia vai começar a inverter a actual tendência de queda já em 2010.
«a economia está num momento de inversão»
Isto «manter-se-á até fim da crise, que se inverterá já em 2010»."
in Público

Ou seja:

  • Se José ganhar a legislativas, foi o seu governo, ou talvez melhor dizendo, executivo, que conseguiu inverter o declínio económico.
  • Se José perder as legislativas, quem vier depois nada mais fará do que colher os louros da sua certeirissima política.

Só uma pergunta, já algum de vós, lá por casa, lá pelo trabalho, se deu conta da inversão da economia?
...............................


«Estou sinceramente convencido que o país cometerá um erro terrível e que as gerações futuras se arrependerão se não avançarmos com o TGV»

Pois sim!
Será que José ainda se lembra, se é que alguma vez soube, quantos quilómetros vão do Minho ao Algarve? De Lisboa a Badajoz? Etc, etc.?


Será que José julga que um TGV pode andar em "pára/arranca" ?

Que José queira ligar a "libertação TGV" a uma "oferta sua" - «TGV JOSÉ» - ao bom povo português, como Salazar ligou o seu nome à primeira ponte lisboeta sobre o Tejo, bem o entendo. O que eu já não entendo tão bem é como é que José pensa que consegue vender o TGV ao bom povo com tão baixa argumentação e tão elevados custos.

E, ainda que o TGV fosse de facto um bem necessário, o que não acredito de forma alguma, será que seria imprescindível que nos atirássemos à façanha do TGV AGORA?
Os TGV's estão em saldo? Vão acabar? "It's now or never"?

Arre José, ainda que fosse um investimento formidável, O PAÍS ESTÁ DE TANGA. Uma gargantilha de diamantes, um Rembrandt, 999Ha no Ribatejo tamb
ém são excelentes investimentos e eu bem sei porque não os faço... Além de não precisar, sim, posso viver sem qualquer deles, não me parece que fosse uma ideia limpinha adquiri-los e deixar para outrem pagar.



«quando vivia na Covilhã, demorávamos 5 horas a chegar a Lisboa. Queríamos uma auto-estrada que nos permitisse chegar mais rapidamente a Lisboa e agora existe. Não foi um investimento bem feito?»

Primeira pergunta: Quais são as semelhanças entre uma auto-estrada e um TGV?

Segunda pergunta: Quais são as diferenças entre uma auto-estrada e um TGV?

Pois é José, nesta, como em muitas outras questões da vida, o mais importante não reside nas semelhanças mas nas diferenças, percebeu? (Duvido...) Além disso, e lá pela Covilhã que me perdoem, mas se não tivessem construído a auto-estrada talvez José se tivesse ficado por lá...

...............................

«Parte-se-me o coração». Foi assim que José Sócrates demonstrou esta quarta-feira a sua solidariedade para com os clientes do BPP que têm o seu dinheiro em risco, por terem sido «enganados» pelo banco.
in Público

Sobre esta afirmação de José não posso expressar o que me ocorre dizer... Abstenho-me, "noblesse oblige".
(Deixem-me lá manter o blog dentro dos mínimos de higiene linguística aconselháveis)


...............................

Questionado se achava que é um bom primeiro-ministro, Sócrates admitiu-o:
«Es
tou muito satisfeito comigo. É preciso auto-confiança para andar na vida pública»

Como diria a menina Arlete, rapariga prá-frentex e desinibida: «É precisa muita auto-confiança para se assumir que se anda na vida pública».

De resto, ainda bem que José está muito satisfeito consigo próprio, haja alguém...
Ao que se diz por aí, nem a sua mãezinha anda muito contente; que diabo, era escusado Portugal inteiro saber...



Atenção, a foto ao lado é da menina Arlete, não da mãezinha de José.




.

Sem comentários: