.

.
.
.
.
.

DEIXA-ME SÓ MUDAR DE SAPATOS QUE VOU CONTIGO

Lisboa, 12 Agosto (Lusa) - A informação da visita do Presidente da República à Protecção Civil chegou às redacções a meio da tarde.

Umas horas depois os serviços de assessoria de São Bento enviavam uma nota a confirmar a presença do primeiro ministro no mesmo encontro.
O briefing operacional terá sido solicitado pelo Presidente da República, que, estando sempre a par das informações sobre os incêndios no país, quis ser informado com mais pormenor, tendo ocorrido, para tal, contactos com o Governo.


Ai José, não te distraias...Desta vez os assessores lá deram por ela e telefonaram-te a ver se também querias ir; Se te distrais lá continuas tu de férias...

------------------------APOSTO QUE O ANÍBAL NÃO VAI VESTIDO A RIGOR
_______________________________________


«O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, garantiu, esta quinta-feira, que o Governo «está a fazer tudo» o que é possível para combater os incêndios florestais e anunciou a contratação de mais dois meios aéreos para reforçar o dispositivo.


(Já terão mandado comprar mais baldinhos à loja da praia?)


Num balanço da operação de combate aos incêndios, no final da reunião do conselho de ministros, Rui Pereira anunciou que «dentro de dias» estarão ao serviço do combate a incêndios dois meios aéreos que pertencem a particulares, um helicóptero Kamov e um outro helicóptero pesado. O ministro remeteu para a Autoridade Nacional de Protecção Civil mais pormenores sobre a aquisição daqueles dois meios.
TVI24

(Vamos ter calma, Agosto ainda não vai a meio, ainda há-de estalar muito incêndio, não se pode gastar os euros em tralha que quase só serve para o Verão)
------------------------

«O ministro da Agricultura António Serrano admitiu quarta-feira, falando dos incêndios, que o Estado está disponível para olhar para as propriedades mal cuidadas e intervir «com meios reforçados, seja de que maneira for, seja por via fiscal, ou por outras vias».

("Por via fiscal", ora nem mais! E não se esqueçam de tributar os recebimentos dos incêndiarios a soldo, parece que alguns não ganham nada mal... Quanto às "outras vias", toda a gente sabe que floresta expropriada não arde, sim senhores, muito criativo!)

«Nós esperávamos tudo menos isto, quando toda a floresta está a arder, que representa uma das maiores riquezas, 38 por cento do território, seria expectável que o governo se concentrasse no essencial que é o combate mais eficiente à floresta e promovesse todos os mecanismos de detecção e vigilância», afirmou à Lusa Jorge Moreira da Silva.

.../... o governo não precisa inventar, tem ao seu dispor todos os mecanismos para fazer face ao desafio da valorização da floresta, tem as zonas de intervenção florestais, «que são uma boa solução para promover uma gestão mais integrada da propriedade florestal e enfrentar os problemas da fragmentação que existe na propriedade».

«Infelizmente, estas ZIF insistem em não sair do papel, o Governo não tem incentivado estas zonas que apenas cobrem 16% da área florestal», critica o ex-secretário de Estado do Ambiente lembrando ainda que o Fundo Florestal Permanente que serviria para reflorestar a área ardida «não tem cumprido a sua função, gerindo hoje 30 a 40 milhões de euros por ano que estão a ser totalmente gastos em despesas de pessoal pagando salários, estruturas e planos».
TVI24 /Lusa

Sem comentários: