.

.
.
.
.
.

Ahhggg José...

Não sei qual é o fundamento desta notícia mas

1º - Não estou a ver que um semanário nacional de grande informação se atrevesse a publicar uma bronca destas sem saber que se trata de um facto; saber mesmo - não apenas acreditar

2º - Apesar da comunicação social social valer o que vale, acredito incomparavelmente mais no semanário "Sol" de olhos fechados do que em Sócrates de olhos abertos.



«Sócrates já tinha preparado pedido de ajuda quando negociou PEC»

Quando José Sócrates assinou em Bruxelas, no passado dia 11 de Março, o acordo com as medidas do PEC 4 ficou também estabelecido que a esse acordo se seguiria um pedido de ajuda externa a Portugal no valor de 80 mil milhões de euros, apurou o SOL junto de elementos da Comissão Europeia (CE) envolvidos nas negociações.

O compromisso assumido pelo primeiro-ministro português com o Banco Central Europeu (BCE), a CE e o grupo Euro começou a ser negociado no final de Fevereiro e passou pelo encontro, a 2 de Março, em Berlim, de Sócrates e Teixeira dos Santos com a chanceler alemã Angela Merkel.

.../...

O anúncio das medidas do PEC 4, no mesmo dia 11 de Março em que foi oficializado em Bruxelas, apanhou o país de surpresa. E deixou antever - pela forma como o primeiro-ministro marginalizou ostensivamente o PR e a Oposição do processo - que dificilmente o PEC 4 recolheria o imprescindível apoio maioritário na AR. E que estava próxima a abertura da crise política.

Ciente de que a negociação do PEC 4 tinha implícito, num segundo momento, o pedido a Bruxelas da ajuda de 80 mil milhões de euros, Sócrates apostou tudo no bluff político e na estratégia de ruptura que permitisse culpabilizar a Oposição, e em especial o PSD, pela queda do Governo e pelo recurso à ajuda financeira da Europa.
Luís Gonçalves In "Sol"- 8/04/11

_______________________

E no dia 6, nas horas que antecederam o anúncio ao país que ia ser apresentado em Bruxelas um pedido de financiamento externo "Financial Times" noticiava que já existiam contactos entre o executivo português e Bruxelas a fim de ser formalizado um pedido de ajuda externa a Portugal.
Contactado pelo Diário de Notícias o Gabinete do Primeiro-Ministro declarou:

"A notícia é falsa. Não passam de rumores sem fundamento."

Como é que José esperava sair-se desta?
Decididamente o homem endoidou.
____________________

«Eu apresentei uma solução para o problema e lutei sozinho»

Ahhggg José, partes-me o coração ao ver-te tão só, tão só...


PARA JOSÉ



.

Sem comentários: