.

.
.
.
.
.

A CHAFURDEIRA


Não venho aqui defender o Paulo Portas, considero-o muito bem entregue a si próprio.

Durante esta última campanha eleitoral, e até um pouco antes, publiquei por aqui uma ou outra alfinetadazita dedicada ao rapaz; nem foi dedicatória ao "líder centrista", foi a ele, Paulo, que conheço há muitos carnavais e, por isso mesmo, sei que estas "alfinetadas" que não foram as primeiras não serão as últimas.

Mas com as muitas artimanhas que já vi o P.P. fazer, dizer, insinuar, rebuscar e provocar, nunca o vi ou ouvi chafurdar na vida de ninguém. Telhados de vidro? Sinceramente não creio que seja isso: não o vejo expor a sua vida pessoal mas também não o vejo esconder-se em falsas armaduras, sociais e/ou morais. Está na dele e é assim que deve ser.





E ao escolher o termo "CHAFURDAR" não o faço ao acaso, escolhi-o porque foi o primeiro que me veio à boca quando li as moralíssimas declarações da Ana Gomes: CHAFURDEIRA!

A Ana Gomes não disse nada, não pariu nada de novo, insinuou tendo por bibliografia as notícias que em momentos cruciais se fazem vir a público. Fez uma mistura nojenta entre politiquices e a vida pessoal de um adversário político. A vida pessoal não, insinuações porcas sobre a vida pessoal. Isto vindo dela, Ana Gomes, a mulher de esquerda, a libertária... Querida... não cola, foi feio, desbocado, baixo, e hipócrita.

A Ana Gomes enfeitou-se de defensora dos valores éticos nacionais, esquecendo-se dos telhados de vidro do seu recém-derrotado líder - "o primeiro ministro do Freeport, Face-Oculta, "desculpe não percebi a pergunta passemos a outra" , mentiroso e trafulha, para ao abrigo desses mesmo valores, continuamente violentados no nosso país durante últimos anos mais do que nunca, deu uma volta ao bilhar grande para estabelecer um paralelismo muito criativo entre Paulo Portas e Strauss-Kahn.
A Ana Gomes quer, está a provocar, uma peixeirada na praça pública; ou muito me engano ou está com azar, não a vai ter. Vai ter de pensar em outra maneira de se pôr em bicos dos pés.

Como disse, não vim aqui defender o Paulo Portas mas se há coisa que detesto desde as profundezas do meu ser é gente que chafurda a vida dos outros, ainda mais assim, publicamente e sem pontas para atar.
Sendo eu tão contra este tipo de modus operandi quanto se pode ser, a "irrepriensível" Ana Gomes bem merecia que lhe fossem chafurdar a vidinha dela, desde que nasceu até hoje.
Cuidado Ana, o teu xarope pode ser bem amargo...





.

1 comentário:

Anónimo disse...

gostaria de ver a sua conta bancaria digo dela ana gomes com o que ganhou na ASIA digo TIMOR! eSO MURAL......