.

.
.
.
.
.

CORTESIAS

Conhecem aquela sensação que se poderá descrever como "HÁ COISAS QUE SÓ ME ACONTECEM A MIM"?
Sei que não corresponde à realidade mas a sensação é essa.


(Agora que já tenho internet e tudo e tudo) Vou contar-vos.


Pouco antes das quatro horas da tarde, ia eu buscar o infante à escola muito pacificamente e a uma velocidade perfeitamente normal, quase dentro dos limites legais, quando deparo com um Opel Corsa na minha frente conduzido por um homem que gesticulava animalesticamente e com uma mulher ao lado que ia, literalmente, aos pulos. O carro ziguezaguiava um pouco, nada demais, curvinhas que se deviam obviamente aos movimentos do condutor que iria muito mais preocupado com a discussão que decorria dentro do carro do que com o volante. Não pensava no volante nem tão pouco no acelerador, seguia entre os 20 e os 30 Km/h.

Quando cheguei, finalmente, à rotunda dei uma pisadela no acelerador, ultrapassei-o sem dramas e saí pela primeira à direita. E ele também... tendo-se lembrado de repente de que também era proprietário de um acelerador. Vvrruuuummmm!

Parei na passagem de peões e apercebi-me de que o homem continuava a gesticular com movimentos amplos e pouco graciosos... Ah mas agora comigo!
Quase atropelando uma dama lá arrancou primeiro do que eu.

Quis a sorte que nos encontrássemos de novo no semáforo pouco adiante. O homem continuava a gesticular e a berrar perante as visíveis trombas da matrona a seu lado. Berrava com ela e comigo como se assistisse a um jogo de ping-pong - esquerda, direita, esquerda, direita.
Não me contive; abri a janela e perguntei-lhe:

-"Perturbei-o?". O homem virou bicho...

Aparentemente à beira de um enfarte berrou-me:
- "Lá porque tens um jipe grande julgas que tens de andar à frente de toda a gente, é?" E blá-blá-bla que já nem ouvi.

Com um ar de psicóloga budista, mas muito entendida, diagnostiquei-o em alto e bom som:
- "Ora então temos problemas de pila, não é verdade?".

Já nem tive oportunidade de ouvir a seguinte opinião do marmanjo, a matrona do lado adiantou-se e vociferou qual Valquíria vingada:
- "Hããã, pois tem, de pila e de tomates".

Arranquei rapidamente... antes de me escaqueirar às gargalhadas até às lágrimas.

Coitado do homem, o dia não estava a correr-lhe nada bem, nada mesmo.

.

4 comentários:

Rui Morais disse...

Adorei ainda me rio.Certamente era bicha

Alex disse...

Qual bicha... Era até muito macho, daqueles machos muita grandes e fortes, qu'aguentam toda a pinga, que têm força pa levantar quatro gaijos antes do paqueno almoço, que são os mais maus lá do bairro e até têm dois "pitabules" que se borram cada vez que ele lavanda o sobrolho, E... têm uma pilinha muit'a pacanininha e não conseguem viver com ela.

Rui Morais disse...

O ALEX!!! O ALEX !!!! O ALEX !!!!

Alex disse...

O que foi Rui? O que foi Rui? O que foi Rui?