.

.
.
.
.
.

FECHAM-SE AS MATERNIDADES, FECHAM-SE AS ESCOLAS. PORTUGAL FECHA QUANDO FECHAREM OS ASILOS DE VELHINHOS. ESTÁ QUASE.

«Este Governo tem consciência de que o que está a fazer é encerrar localidades deste país?». Heloísa Apolónia, deputada de Os Verdes

Citações retiradas do "Sol on line"

«A oposição condenou hoje no Parlamento a decisão do Governo de encerrar escolas do ensino básico com menos de 20 alunos,
enquanto o Executivo afirmou que o ensino em Portugal viveu nos últimos anos uma «revolução»

  • Heloísa Apolónia, dos Verdes, acusou o Governo de ter escolhido o sector da Educação para «poupar uns bons milhões». «Pôr crianças a sacrificar-se é demais, é inaceitável», condenou a deputada ecologista, questionando se o Governo tem noção do peso desta medida no ordenamento do território: «Este Governo tem consciência de que o que está a fazer é encerrar localidades deste país?».
  • Pelo CDS, José Manuel Rodrigues considerou que «o PS colocou em primeiro lugar a questão financeira, esquecendo a questão pedagógica, que deveria ser a primordial».
  • O comunista Miguel Tiago acusou o Executivo de tomar decisões «à revelia daquilo que estabelece a lei de bases do sistema educativo», desafiando o Governo a «verificar os impactos no terreno das medidas» adoptadas no passado: «Desertifica-se o interior, que também não serve para nada, não é, senhor ministro?».
  • O Bloco de Esquerda, que vai chamar a ministra da Educação ao Parlamento para explicar esta medida, afirmou que esta decisão é uma «estratégia de regra e esquadro para poupar com crianças de seis ou sete anos» que vai «matar comunidades educativas».
  • Pedro Duarte (PSD) considerou preocupante «a visão centralista e dirigista do nosso sistema de ensino», acrescentando que «o Governo quer manter-se cúmplice com os problemas de fundo do sistema educativo».
E BLÁ-BLÁ-BLÁ, BLÁ-BLÁ, BLÁ-BLÁ

Vai o Governo e responde:

Pelo Governo, o ministro dos Assuntos Parlamentares justificou a intenção de «encerrar escolas sem viabilidade educativa», afirmando que a medida atinge «três a quatro por cento dos alunos do 1º ciclo do ensino básico».

3 ou 4 % ? E do 1º ciclo, os mais pequeninos? Ó pá, então que se lixe.

«Não faz qualquer sentido os discursos ditirâmbicos* relativamente às eventuais consequências arrasadoras que esta decisão teria no conjunto do nosso sistema escolar», sustentou o ministro Jorge Lacão, garantindo que a medida será implementada «de forma comedida, sustentada com as autarquias locais e devidamente partilhada com as comunidades locais».

1º - O Lacão, rapaz a minha preferência porque é muito querido, jeitoso e inteligente, é agora também um bem falante...


Ditirâmbicos*
  1. relativo a ditirambo, composição de versos e estâncias irregulares que exprimem entusiasmo ou delírio
  2. excessivamente elogioso
Já tentei substituir a bonita expressão utilizada pelo giraço da Alagoa (Portalegre) mas ainda não consegui entender bem em que acepção é que Jó-jó utilizou o adjectivo, se na 1ª se na 2ª... Experimentem. Cá por mim fica sempre bem, faz todo o sentido. Ou talvez em Portalegre queira dizer outra coisa...

2º -"implementada «de forma comedida, sustentada com as autarquias locais e devidamente partilhada com as comunidades locais»."

Isto sim, caros leitores, isto é o verdadeiro discurso parlamentar nacional. Palavras para quê? É um ministro português. E bem podia ir para o raio que o parta com as comesuras sustentadas e as partilhas devidas com as... as quê? Ah, sim, as comunidades, mas as locais.

Sem ter nada contra as pobres das crianças, a quem já basta terem tal progenitor, bem que gostava de ver os filhos de um Lacão levantarem os seus rabinhos de 6, 7, 8 ou 9 aninhos, uma hora ou duas mais cedo para se fazerem à estrada meios a dormir, sobretudo pela fresquinha dos meses de Outubro a Março e levarem com outro tanto ao fim do dia.

Este Governo estará a "
encerrar localidades deste país", é verdade, mas pior, muito pior, está a encerrar a infância de 3 ou 4% dos pequeninos deste país que serão deslocados, desenraizados, passarão, ainda mais, o seu tempo de brincar na estrada; se tiverem avós ou outra família em casa, tanto faz, urbanismo selvagem é isto mesmo.

Mas BLÁ-BLÁ-BLÁ, BLÁ-BLÁ, BLÁ-BLÁ,
e
ninguém falou nisto, que quanto a mim, no meu fraco entender e desculpem-me a franqueza, é o problema mais grave, gravíssimo, e sem retorno.

E com toda a lata que o assiste o Lacão rematou:

O objectivo é, disse o governante, «contribuir para a valorização da qualidade pedagógica», considerando que não são admissíveis casos de professores que leccionam em simultâneo do primeiro ao quarto anos e a existência de escolas «degradadas, sem condição de salas de aulas para adaptar o plano tecnológico, ter bibliotecas, salas de informática, acesso á internet, refeitórios adequados».

"a valorização da qualidade pedagógica" ???
Pegar nuns miúdos pequenos que frequentam uma escola no seu meio social e familiar, que têm a sorte de não frequentar turmas sobre-lotadas entregues a um professor que tem de lidar com mais crianças do que aquelas que consegue gerir (já nem falo em educar) e espetar com eles numa carrinha de manhã e à tarde é valorização da qualidade pedagógica ? Segundo quem?

Qual é o país civilizado onde se pretende aumentar o número de crianças por turma em vez de o tentar diminuir, a menos que seja por razões económicas? A bem de quê?

"Salas de aulas para adaptar o plano tecnológico"?
Para crianças do 1º ciclo do ensino básico? Mas de que é que o Lacão precisa para ligar os preciosos "Magalhães"?


"Salas de informática e
acesso à internet" ?
Para escolas com menos de 20 crianças? Qual é a dificuldade? Fica mais barato do que o combustível e os seguros de transportar as crianças ao longo de um ano lectivo. Vê se te enxergas ó Lacão e se compras uns binóculos à Ministra do pelouro; Pede os computadores ao tipo da Microsoft que ele resolve-te o drama num estantinho. Parvalhão!


Bibliotecas?

Cínico. Quais são as escolas básicas que as têm? Comprem uma carrinha e levem a biblioteca até às crianças, talvez se espantassem com os resultados.


Refeitórios adequados
?
Uma cozinha limpa, higiénica, e quatro mesas para menos de 20 gatinhos pingados...

Ó Lacão vai-te catar, o vosso negócio é "números" mas não incluem de forma alguma os 3 ou 4% de crianças para quem o Governo se está borrifando.

Vale tudo para "vencer a crise" - leia-se: ficar bem na fotografia para a posteridade, para distribuir pelos amigos europeus. Pois mas não ficam, não são fotogénicos, são feios porcos e maus.

Oxalá não lhes faltem 3 ou 4% nas legislativas, talvez fiquem espantados com como podem ser fundamentais.



.

2 comentários:

Rui Morais disse...

Eu apetecia-me comentar mas esta coisa de esperar que seja autorizado pela proprietaria do Blog e que e o carago!!!!!!

Rui Morais disse...

Fechem tudo hoje ate ja foram ao meu bolso no ordenado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!