.

.
.
.
.
.

A EVOLUÇÃO LINGUÍSTICA

Recebi um e-mail de um respeitável e culto amigo que se tirou dos seus cuidados e me actualizou sobre a evolução da língua portuguesa. Talvez por saber, e apreciar, o meu profundo afecto por José, apressou-se a enviar-me uma nova expressão linguística, mais concretamente um verbo - coisa importante, não apenas um substantivo comum - para o qual meu nosso José contribuiu com o seu suor e talvez até com as suas lágrimas (a ver vamos...).

Em plena fase de campanha, tudo o que se diz é importante e tão importante, ou mais, é a forma como se diz e as palavras empregues (sim, e um arzinho dócil e sincero)

Passo a partilhar convosco o que o meu amigo J. A. partilhou comigo, demonstrando assim o meu reconhecimento e o entendimento de quão importante é o conhecimento da evolução linguística apropriada



DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA
EDIÇÃO 2009 APÓS MUITAS REVISÕES, AMPLIAÇÕES E ASSINATURA DE VÁRIOS ACORDOS


________________


SOCRATEAR
:Verbo, totalmente irregular de estranha conjugação.

1. Ocultar ou encobrir com astúcia e safadeza; disfarçar com a maior cara de pau e cinismo.

2. Não dar a perceber, apesar de ululantes e genuínas evidências; calar.

3. Fingir, simular inocência angelical.

4. Usar a dissimulação; proceder com fingimento, hipocrisia.

5. Ocultar-se, esconder-se, fugir da responsabilidade.

6. Atingir amigo ou inimigo, sem dó nem piedade (antes ele do que eu).

7. Encobrir, disfarçar, negar sem olhar para as câmaras e/ou olhos nos olhos.


8. Defraudar, iludir

9. Afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade, acreditar que os fins justificam os meios.

10. Negociar com dinheiro público em proveito próprio.












Socrateemos então, no linguajar, entenda-se.

Sem comentários: