.

.
.
.
.
.

A FESTA DO HAMAS


Tinha acabado de tomar consciência de que hoje é "11 de Setembro" - O 11 de Setembro, dia em que o mundo sofreu uma reviravolta inesperada e sem retorno - quando me chegou um e-mail de um Amigo com o título "Repugnante".
Abri.

Caiu-me a alma aos pés...

Repugnante não é de todo a palavra apropriada, repugnantes são as baratas, que não fazem mal a ninguém.
Ocorrem-me várias palavras das quais "Crime contra a Humanidade" serão as primeiras. Há factos que podem chocar mas que são decorrentes da diferença de culturas, de costumes, de tradições, de religiões. Isto é diferente, isto é decorrente de uma sociedade inconsciente e inóspita, violenta e desumanamente sexista que bate no fundo ao revelar o desamor pelas suas crianças, a falta de capacidade para as proteger, ao contrário do que a larga maioria dos animais faz com as suas crias. Como é possível? Que tipo de sentimentos envolve?




Heis aquilo a que me refiro:

«Um evento de gala ocorreu em Gaza.

O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais.

A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos;

A maioria das noivas tinham menos de dez anos.

Estes casamentos pedófilos envolvem até crianças de 4 anos.

Cada noivo recebeu 500 dólares, presente do Hamas

Tudo com a devida autorização da lei do islamica radical. »


«Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planeada. »

"Nós estamos felizes em dizer a América que vocês não podem nos negar alegria e felicidade. Nós estamos oferecendo este casamento como um presente ao o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra",
discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.

A minha leitura das palavras discursadas é, sumariamente, próxima do seguinte:
"Nós sabemos que vos chocamos, que vos revoltamos mas não há nada que possam fazer contra o que decidimos nem para salvar estas crianças".
Um "tomem e embrulhem" que o mundo aceita na maior passividade


Sou eu que ando, muito, distraída ou a comunicação social internacional não falou no assunto? A ONU? A Unicef? A UNESCO? Alguém?

O que lhe aconteceu após a festa?


Tenham um bom fim de semana, abracem as vossas crianças

... e durmamos descansados






Sem comentários: