.

.
.
.
.
.

APRES MOI LE DELUGE





"HÁ MAUS LÁ FORA...
"

"HÁ TRAIDORES CÁ DENTRO...
"

"O MUNDO ESTÁ CHEIO DE CONSPIRADORES...
"







Para portugueses com falta de pachorra para ouvir o gajo chalupa que anda a fazer de primeiro-ministro desde o dia 12 de Março de 2005, tendo completado assim os seus 6 aninhos de estadia no poder no passado sábado, dia em que "o povo saiu há rua com a alegria que costumava ter, cantando se o rei faz anos que venha à praça para nos conhecer (José Cid)", fica o resumo do que ele disse ontem à noite:

"Après moi le déluge"
("Depois de mim o diluvio"
frase erradamente atribuída a Louis XV
pois foi Sócrates I, O Tenaz, que a disse logo à nascença)


Assumiu-se como um desgraçado a quem toda gente faz a vida negra dentro e fora do país :

"há maus lá fora, e há traidores cá dentro. O mundo está cheio de conspiradores que põem em causa Portugal e a minha governação"

mas descansou os portugueses de duas formas:

1º - Não estamos em "crise política"
"ninguém na Europa acredita que Portugal cometa o erro de precipitar uma crise política"
2º - Se vier o dilúvio ele cá estará para nos salvar
"Eu não sou dos que viram a cara às dificuldades, nem viro a cara à luta. Era o que faltava. Agora, o meu dever é fazer tudo o que está ao meu alcance para que o país não cometa esse erro de entrar em crise política e eleições antecipadas"

"Nessas circunstâncias cá estarei para lutar pelo PS porque sou o líder do PS e tenciono recandidatar-me"
Ok, José, um acto falhado... Para lutar pelo país estamos cá muitos

"Se a Assembleia da República votar contra o PEC, não tem de votar a favor mas se votar contra..."
Tradução:
Vá lá gajada, ó p'ra mim aqui tão querido a querer continuar a sacrificar-me como grande-primeiro, ó p'ra mim aqui a deitar-vos a escada... Então mas uma abstençãozita custa alguma coisa? Vocês lavam daí as vossas mãos e eu continuo para PEC5.

Então e relativamente a apresentar e informar Bruxelas das novas medidas incluídas no PEC4 antes de as apresentar na AR, ou seja, ao soberano povo português?
Ah bem, é que
"era importante apresentar as ideias em Bruxelas antes da cimeira de chefes de Estado para ganhar a confiança de todas as Instituições".

De todas? Quais todas? Então e os portugueses? E o P.R.? Então e a AR, não tem que se pronunciar sobre esta matéria? Primeiro dispara-se e depois pergunta-se quem lá vem?

Gajo, quem foi eleita foi a Assembleia da República... Eleições para a Assembleia da República, lembras-te?

Curiosamente 28 de Fev., 11 dias antes da comunicação, aos portugueses, do PEC4 o executivo falava assim:

Primeiro o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, e depois José Sócrates, admitiram hoje, na II Conferência da Reuters/TSF, em Lisboa, o cenário de atingir o objectivo do défice.
Se a execução orçamental vier a revelar que são necessárias mais medidas, tomá-las-emos, mas, até ver, não temos indicação nesse sentido”, disse Sócrates, lembrando que a execução orçamental de Janeiro deixa o Governo ‘tranquilo’...In Economía/ Público


E se Portugal tiver de recorrer a ajuda externa a culpa é "do PSD que deseja criar uma crise política".
What else?






.

Sem comentários: